Caindo no Mundo – Crescendo no subúrbio inglês

Caindo no Mundo se passa nos anos 70, onde os amigos Freddie (Christian Cooke), Bruce (Tom Hughes) e Snork (Jack Doolan) vivem em um subúrbio inglês e só pensam em festas, garotas, bebidas e brigas, até que Freddie começa a trabalhar.

O rapaz começa a levar o trabalho cada vez mais a sério e passa a se questionar se está levando a vida da maneira certa. Os sentimentos se intensificam quando ele descobre que sua ex-colega Julie (Felicity Jones), de quem ele sempre gostou, é filha do seu chefe (Ralph Fiennes) e noiva de Mike (Matthew Goode), seu colega de trabalho.

Caindo no Mundo – Crescer e amadurecer

Temos aqui um filme de formação que retrata três amigos que parecem não ter muitas perspectivas. Freddie, Bruce e Snork vivem em um subúrbio e levam uma vida suburbana. Eles se distraem indo em festas, bebendo e procurando garotas e brigas.

Bruce
Bruce

Bruce vive só com o pai, uma vez que sua mãe foi embora com outro homem, e é violento e irascível. Ele arruma briga sempre que pode, o que lhe rende um tempo na cadeia. Já Snork é um perdedor que vive atrás de garotas e que faz tudo que os amigos mandam.

Freddie, o protagonista, parece o mais centrado de todos, mas ainda tem uma família um pouco confusa que não o apoia. Quando ele arruma um bom emprego como vendedor de seguros, e percebe que tem chances de subir na empresa, ele começa a pensar no que quer da vida e se vem fazendo todo o possível para conseguir.

Acesse aqui nossa sessão de musicais

A sensação aumenta ainda mais quando ele reencontra Julie, ex-colega de escola, de quem sempre gostou e que agora é noiva de um de seus colegas. Freddie então, começa a desejar aquela vida e achar que a vida que os amigos levam é repleta de atitudes infantis e sem sentido. O filme então, fala sobre a ideia de se tornar adulto e como ela pode ser diferente para cada pessoa.

Caindo no Mundo é um filme de formação
Caindo no Mundo é um filme de formação

A vida que você deseja

Mas é aí que o filme entra em outras questões. A vida de Mike parece perfeita, ele tem um bom emprego, se dá bem com chefe, tem dinheiro e vai se casar com uma moça bonita e inteligente, mas ele parece repetir os comportamentos de Mr. Kendrick, pai de Julie, e não dá nenhum valor à noiva.

Julie, por outro lado, deseja viajar o mundo fotografando, mas seu noivo quer que ela fique em casa cuidando dos filhos que eles terão um dia. Ela também precisa olhar para o que deseja e decidir se está tomando atitudes para que isso aconteça. Freddie então se vê entre esses dois mundos, o de seus amigos, que é infantilizado, mas que é caloroso e onde existe diversão, e o de Mike, onde tudo é frio e metódico.

Julie e Freddie em Caindo no Mundo
Julie e Freddie

O filme ainda traz à tona outros assuntos, como o papel da mulher na sociedade, uma vez que Julie deseja ter sua própria carreira e que essa não é uma ideia que agrada nem seu noivo, nem seu pai, mas com a qual a mãe (Emily Watson) concorda, já que ela mesmo não teve chance de ter sua própria carreira.

Aspectos técnicos de Caindo no Mundo

Esta é uma produção pequena e relativamente simples. O roteiro não é especialmente intricado e ele poderia facilmente se encaixar no gênero da comédia romântica, embora trate de temas profundos. O filme acompanha quatro jovens no limiar da vida adulta, quando eles precisam se decidir sobre o que fazer da vida. Sendo assim, toca em temas importantes e com os quais é fácil se identificar como o medo de crescer, a dúvida em relação ao que fazer da vida, e a ideia de que talvez estejamos superando alguns dos nossos amigos e que isso faz parte da vida.

A senhora e o senhor Kendrick
A senhora e o senhor Kendrick

O longa também traz aspectos muito típicos de uma vida no subúrbio inglês, como os momentos de entretenimento dos rapazes e a sensação de que é necessário sair daquele lugar para ser alguém na vida. Ao mesmo tempo em que se sabe que essa não é uma coisa tão simples assim. Outras questões que vem à tona dizem respeito à época em que o filme se passa, como a liberação das mulheres e o movimento feminista que, no filme, é perfeitamente aceito por Freddie, mas rechaçado por Mike.

Caindo no Mundo tem boas caracterizações que colocam o telespectador nos anos 1970. Os figurinos nos remetem ao começo da década, e ao invés de abusar do visual clássico, usa-se muitos elementos dos anos 1960, afinal, as mudanças acontecem aos poucos, inclusive na moda. Isso dá um tom bem realista ao filme.

Felicity Jones como Julie em Caindo no Mundo
Felicity Jones como Julie

Acesse aqui nossa sessão de quadrinhos

Outro aspecto que traz o leitor para a época em que o filme se passa é a trilha sonora que é ótima e muito dentro da proposta. Entre as músicas que tocam estão Saturday Night’s Alright (For Fighting), de Elton John, Life’s A Gas, do T. Rex e All the Young Dudes, do Mott the Hoople. Os atores também se saem bem, especialmente Felicity Jones e Tom Hughes.

Caindo no Mundo é um filme que fala sobre crescer e se tornar adulto, e sobre todas as dificuldades que derivam disso.

Caindo no Mundo

Nome Original: Cemetery Junction
Direção: Ricky Gervais
Elenco: Christian Cooke, Felicity Jones, Tom Hughes, Jack Doolan, Ricky Gervais
Gênero: Drama, comédia
Produtora: Columbia Pictures
Distribuidora: Sony Pictures Home Entertainment
Ano de Lançamento: 2010
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar