Brooklyn Nine-Nine – 6ª temporada

Humor evolui para um nível mais arrojado e inteligente, se é que isso era possível ao longo de cinco acertos anteriores

Depois do poderoso gancho ao final da quinta temporada, Holt descobre que perdeu a posição de comissário para John Kelly e é levado a uma profunda depressão até que Jake e Amy o incentivem a defender as políticas regressivas do adversário, resultando na nova retaliação do comissário contra a 99, o que gera momentos deliciosamente inusitados em Brooklyn Nine-Nine – 6ª temporada.

No geral, todos os personagens amadureceram bastante nesse ano, o primeiro pela NBC (após o polêmico cancelamento pela Fox). Dessa maneira, suas narrativas são melhor distribuídas e trabalhadas ao longo dos 18 episódios, que nunca deixam a peteca cair.

Brooklyn Nine-Nine – 6ª temporada

Assim, temos alguns avanços. Se no ano anterior, Amy recebeu uma merecida promoção, agora é a vez de Terry, num contexto que subverte o dos anos anteriores, trocando o Halloween pelo Cinco de Maio, enquanto Gina tristemente deixa a 99 ao decidir que seus talentos seriam mais bem aproveitados em outros lugares e se torna uma celebridade de sucesso na internet; ou seja, temos menos momentos com a louquinha da turma, ainda que ela volte para outras histórias especiais, uma falta que será sentida.

Brooklyn Nine Nine - 6ª temporada
Rosa

Ainda vemos mais do novo relacionamento de Rosa e do entendimento de Charles em sua figura de pai, e acabamos por ganhar mais cenas com Scully e Hitchcock, que deixam de ser meros figurantes de luxo, para conquistar um espaço maior na telinha, inclusive com um background impagável.

Entre os grandes momentos, temos o episódio que claramente se inspirou em “Os Assassinatos da Rua Morgue”, de Edgar Allan Poe, com um assassinato com respostas impossíveis, deixando Jake e Rosa em impasses de torcer o cérebro, ou nos formidáveis dois episódios finais, que fazem aquela típica dobradinha, agora com a formação do “Esquadrão Suicida” segundo Peralta, formado por três desafetos improváveis, para combater um mal maior.

Os jovens Scully e Hitchcock

Pontos fracos

Por outro lado, o sexto ano escorrega no episódio que discute a questão da opção do principal casal em ter filhos, o que poderia levar a cisão de Amy e Jake, já que ela quer e ele não. A resolução parece dramática e forçada demais a ponto de fazer o rapaz mudar de ideia tão abruptamente (provavelmente temendo perdê-la, mas nunca saberemos). Mas claro, nada que onere a qualidade da produção.

Sem as ousadias propostas no último ano, a sexta temporada ao menos compensa com gags geniais e um humor afiadíssimo, mais próximo dos primeiros anos, mantendo em alta essa que é uma das melhores séries dos últimos tempos.

Brooklyn Nine-Nine - 6ª temporada

Nome Original: Brooklyn Nine-Nine
Elenco: Andy Samberg, Stephanie Beatriz, Terry Crews, Melissa Fumero, Joe Lo Truglio, Andre Braugher
Gênero: Comédia
Produtora: Fremulon
Disponível: Netflix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar