Escape Room, intensa claustrofobia sem rios de sangue

Escape Room é um thriller psicológico sobre seis estranhos que se encontram em circunstâncias além de seu controle e devem usar sua inteligência para encontrar as pistas. Ou morrer tentando.

Estas seis pessoas são convidadas para um experimento diferente. Um Escape Room. Trancados em uma imersiva sala enigmática cheia de armadilhas, eles ganharão um milhão de dólares caso consigam sair. Mas quando percebem que os perigos são mais letais do que imaginavam, precisam agir rápido para desvendar as pistas que lhes são dadas.

Isso me lembrou a empresa CRS do filme Vidas em Jogo
Isso me lembrou a empresa CRS do filme Vidas em Jogo

Escape Room

Você se encontra em uma sala sem janelas, com apenas uma porta, e ela está trancada. O louco que o trancou lá dentro montou uma série de charadas complexas e enigmas diabolicamente inteligentes. Quando resolvidos na ordem correta, estes enigmas te levarão à chave e à sua salvação. Mas para aumentar a dificuldade, é estabelecido um prazo cronometrado para completar os desafios e escapar… ou enfrentar as consequências. Parece Jogos Mortais, não?

Mas a primeira coisa que pensei quando o grupo de estranhos conseguiu passar de uma sala para a outra foi: aimeudeus, eles não arremessaram uma bota para testar se a próxima sala não tem uma armadilha letal logo de cara! Ou seja, me lembrou também a série de filmes Cubo. Mas, diferentemente de Cubo, neste filme, todos os personagens escolheram fazer parte da experiência de escape room. Eles não foram sequestrados, drogados e nem forçados a isso.

Jason, Zoey e Ben, os personagens principais de Escape Room
Jason, Zoey e Ben, os personagens principais de Escape Room

E quem são essas pessoas?

A apresentação dos personagens principais é bem interessante. Temos três principais e três secundários. Os três principais são: Zoey, uma universitária tímida e muito inteligente cujo professor incentiva que ela faça algo que lhe desperte medo; Jason, um perspicaz homem de negócios que se acha o maioral, todo cheio de si e prepotente; e Ben, um jovem renegado sem perspectiva na vida, que bebe e fuma e tem um emprego ruim.

Estes terão suas vidas mais exploradas ao longo do filme. Mas ao chegar na fatídica Escape Room, eles conhecem os outros três personagens. Amanda, a ex-militar firme e decidida, até seu maior medo vir à tona; Mike, o caminhoneiro que faz piadinhas sem graça e Danny, o jovem viciados em jogos. Juntando seus cérebros e capacidades, este grupo tem o dever de chegar ao fim do jogo. Mas o jogo é mortal! Lembram do filme antigo A Fantástica Fábrica de Chocolate, quando as crianças iam sumindo uma por uma? Pois é, só que esse ambiente de Escape Room é bem menos apetitoso.

Mike, Amanda e Danny
Mike, Amanda e Danny

Não é uma sala só, são várias!

As salas foram muito bem desenhadas e estruturadas. Uma mais interessante que a outra. Explorando os sentidos do grupo, ao mesmo tempo essas salas trazem à superfície os medos de cada um deles. Os sets se tornam personagens do filme. Cada sala individual tem algo a ver com algum personagem. Afinal, cada um tem um trauma do passado e cada sala vem com seu próprio fator de risco de morte. Assim, temos uma sala de espera que esquenta muito, como um forno; uma cabana acolhedora de madeira que dá para uma sala de gelo; uma sala de bilhar dos anos 50 de cabeça para baixo (a sala que faz mais sucesso entre o público); uma sala gráfica psicodélica (que pode até causar desconforto aos olhos); uma sala do hospital e a sala final, a  biblioteca vitoriana do mestre dos jogos.

De sala em sala, mesmo sem muito papo furado, essas pessoas acabam descobrindo aspectos em comum. Então surge a desconfiança de que não estão ali por um mero acaso. Zoey tem o trauma de um acidente de avião que lhe tirou sua mãe. Jason passou por uma experiência traumática com um barco em alto mar. E Ben vive se destruindo aos poucos pois foi o único sobrevivente de um trágico acidente de carro que matou seus amigos. Amanda, Mike e Danny também passaram por experiências muito desagradáveis.

Cabana acolhedora (nem tanto)
Cabana acolhedora (nem tanto)

As Escape Rooms estão com tudo!

O que soa como um filme de terror é uma das formas de entretenimento que mais crescem no mundo. É o fenômeno das escape rooms. Contando apenas com a sua inteligência – e a combinação dos pontos fortes das pessoas na sala com você – os jogadores tentam decifrar códigos e enigmas e desbloquear pistas escondidas o mais rápido que podem. Cada sala tem um enredo secreto, e os jogadores vão montando-o, juntos, como uma experiência divertida de espírito de equipe. Desde o surgimento do conceito em 2010, as salas escape rooms vêm surgindo por todo o mundo numa velocidade impressionante, satisfazendo a fome do ser humano por diversão e uma fuga da realidade.

O diretor Adam Robitel elevou suas apostas. Criou a escape room suprema: ela não só é super sofisticada e incrivelmente perigosa, mas, quando o tempo se esgota, significa sua morte. Aqui em São Paulo nós pagamos quase 80 reais para ficar durante 1 hora numa sala desvendando os enigmas. Uma única sala. No filme, eles não pagaram nada, pois ganharam seus convites, mas por outro lado, não estavam entre amigos e tinham um fim trágico pela frente. Hahaha. Mas as salas são lindonas, com um projeto artístico excelente. Um mega visual.

Mas vocês sabiam que a estreia do filme foi adiada devido a um acidente trágico numa sala de escape na Polônia? Pois é, cinco adolescentes de 15 anos morreram em um incêndio numa sala que não tinha saída de emergência. Elas estavam comemorando o aniversário de uma delas. Depois disso, 13 salas do país já foram fechadas por não seguirem as normas de segurança.

Sala de bilhar
Sala de bilhar
O elenco e as considerações finais

O filme foi todo bem montado e tem ótimas sequências de pura tensão. Tudo isso com auxílio de iluminação estratégica e um bom desenho de som. O elenco não tem muitos rostos conhecidos do cinema, e sim de séries. Taylor Russell parece uma criança, mas já tem 24 anos. Ela estrelou a série Perdidos no Espaço da Netflix. Logan Miller é conhecido pelos papéis em Como Sobreviver a um Ataque Zumbi e Com Amor, Simon. Jay Ellis atua na série de comédia Insecure. Deborah Ann Woll é famosa pelas séries True Blood e Demolidor. Nik Dodani trabalhou em Alex Strangelove e Tyler Labine dubla em Voltrom: O Defensor Lendário.

Se você gosta de um suspense bem tenso, daqueles que te prendem na cadeira e você fica todo agoniado com as atitudes infelizes dos personagens, Escape Room é pra você! O filme é bem divertido, até chegar ao final. As cenas finais tem tantas explicações mirabolantes que acabam estragando um pouco a experiência geral. Mas não se apegue ao fim do filme, claro, afinal o que vale é a experiência, né? Escape Room entra em cartaz no dia 07 de fevereiro.

A única sala de escape que eu fui era como uma experiência de pane no metrô de Londres. Foi divertido, mas a maior parte dos enigmas foi desvendada pela galera de exatas. E você, já foi em alguma sala de escape? Conseguiu chegar ao fim? Conta pra nós aí embaixo nos comentários!

Escape Room

Nome Original: Escape Room
Elenco: Taylor Russell, Logan Miller, Jay Ellis, Tyler Labine, Deborah Ann Woll, Nik Dodani
Direção: Adam Robitel
Gênero: Drama, Mistério, Sci-Fi
Produtora: Original Film
Distribuidora: Sony Pictures
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar