Gotham City 1889: Um Conto de Batman

Batman enfrentando Jack, o Estripador, por que não?

Adaptando o quadrinho de Brian Augustyn (texto) e do mestre Mike Mignola (arte), Sam Liu (diretor com vasto currículo nas animações da DC) coloca o Homem-Morcego no final do século 19, levando uma versão de Jack, o Estripador, para Gotham em Gotham City 1889: Um Conto de Batman.

O filme já começa vitimizando uma conhecida personagem da mitologia do herói. Um detalhe, aliás, que se prova ainda mais valoroso mais adiante. Afinal, sem se prender aos princípios de toda a batfamília, o roteirista James Krieg segue o enredo original ao subverter figuras que conhecemos em prol da narrativa desse período, em uma história alternativa.

Gotham City 1889: Um Conto de Batman

Outro ponto positivo, é que a trama não faz uso de vilões manjados, assim como Coringa, Charada e Pinguim. Ainda que traga um Harvey Dent pré-Duas Caras, que contribui bastante para as suspeitas. No longa animado, ainda temos o comissário James Gordon, versões delinquentes de Dick Grayson, Jason Todd e Tim Drake; um Alfred cocheiro, Hugo Strange e Selina Kyle, que co-protagoniza a história ao lado de uma das interpretações mais interessantes de Bruce Wayne em todas as mídias.

Gotham City 1889: Um Conto de Batman

Aqui, como sempre, ele finge ser um ricaço fútil, mas guarda uma gentileza por trás do olhar, que deixa cair a máscara, ao resmungar para seu fiel mordomo quando tem de encontrar com figuras que não lhe interessam. Seu Batman, ainda que muito habilidoso, não é imbatível e apanha em todas as lutas contra Jack, se salvando por pouco (ou com ajuda da Mulher-Gato). Sem exibir um exagerado lado turrão, ele consegue ser sombrio e humano em boa medida.

A arte

O character design dos personagens nem de perto se aproxima do estilo magistral de Mignola. Entretanto, também ao não insistir em emular o artista, funciona justamente por isso. Com um traço mais limpo e eficiente que das outras animações da DC (da linha Novos 52), mas ainda não um Bruce Timm, o visual fica num meio termo que não desaponta, nem surpreende (mas conta com ótimas sequências de ação, sempre levando os heróis e vilões para as alturas), deixando que a história faça isso de maneira consistente, sangrenta e bem contada.

Com um poderoso mistério sustentado durante a rodagem, a revelação por trás do Estripador surpreende verdadeiramente, com uma justificativa improvável para essa versão do assassino, que vai agradar fãs do personagem e do clássico serial killer de igual maneira.

Gotham City 1889: Um Conto de Batman

Nome Original: Batman: Gotham by Gaslight
Direção: Sam Liu
Elenco: Vozes de Bruce Greenwood, Jennifer Carpenter, Chris Cox
Gênero: Animação, Ação, Aventura
Produtora: DC Entertainment
Distribuidora: Warner Home Video
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar