Todas as Canções de Amor – Casais e algumas músicas

Em Todas as Canções de Amor, Chico (Bruno Gagliasso) e Ana (Marina Ruy Barbosa) são recém-casados que acabam se mudar para um apartamento antigo em São Paulo. Enquanto arrumam suas coisas, ela encontra uma fita K7 repleta de músicas de amor.

Ela começa a escutar e descobre que a fita foi gravada por Clarisse (Luiza Mariani) para o seu marido, Daniel (Júlio Andrade), quando os dois estavam se separando. Ana começa a ficar cada vez mais obcecada com a fita e com Clarisse e Daniel e as vidas dos dois casais começam a se misturar.

O filme nos apresenta dois casais que parecem bem distantes nos momentos de suas respectivas relações. Ana e Chico são recém-casados que acabam de se mudar para um apartamento e estão ansiosos para dividirem uma vida. Logo no primeiro dia eles encontram a fita K7 antiga, cheia de músicas que falam de todos os estágios de um relacionamento, desde a paixão, até o término.

Ana e Chico
Ana e Chico

Todas as Canções de Amor

Ana começa a escutar a fita e descobre que ela foi gravada por Clarisse para o seu então marido, Daniel. Eles eram os antigos moradores do apartamento, que estavam se separando.

Assim, os dois casais parecem estar em exatos opostos de um relacionamento: Ana e Chico estão nos primeiros anos, onde tudo parece perfeito e há muita harmonia, enquanto Clarisse e Daniel estão no final do seu relacionamento, onde tudo se torna um problema.

No entanto, conforme Ana vai se tornando cada vez mais obcecada, seu relacionamento vai se afetando e se aproximando do relacionamento do outro casal.

Todas as Canções de Amor retrata os dois casais
O filme retrata os dois casais

Os casais e as músicas

O filme então, começa a seguir a vida dos dois casais, em momentos intercalados, sempre guiada pelas músicas presentes na fita. Ana, por exemplo está escrevendo um livro e, portanto, trabalha em casa. Chico, que trabalha fora, espera que ela também arrume a casa e isso causa pequenas brigas entre o casal. Ao mesmo tempo, Clarisse e Daniel, embora estejam às vias da separação, ainda saem para jantar e conseguem conversar.

As músicas que fazem parte da trilha sonora empurram a história para frente, mesmo que ela não ande tanto assim, afinal, se passa no âmbito doméstico e fala de coisas relativamente cotidianas. Baby, por exemplo, fala sobre o relacionamento dos dois casais, enquanto Você Não Soube me Amar é a maneira que Clarisse encontra de contar a Daniel que não está tão feliz assim no relacionamento. Já Codinome Beija- Flor é uma forma dela refletir sobre o fim do casamento e Menino Bonito é ela reconhecendo que mesmo que tenha acabado, a relação teve os seus momentos.

Daniel e Clarisse
Daniel e Clarisse

O filme é diferente de boa parte do que se vê no cenário atual, então é extremamente interessante. A trilha sonora é sempre importante no audiovisual, mas aqui se coloca de uma maneira diversa, mas que funciona muito bem.

Aspectos técnicos de Todas as Canções de Amor

O filme parte de uma ideia interessante e diferenciada, mas é uma produção relativamente simples. Boa parte se passa dentro do apartamento onde os dois casais moram, embora algumas cenas aconteçam nas ruas de São Paulo. O longa é muito bem filmado, cheio de momentos bonitos e com uma fotografia cuidadosa, que vai fazer qualquer pessoa que vive em São Paulo se sentir em casa.

Marina Ruy Barbosa em cena do filme Todas as Canções de Amor
Marina Ruy Barbosa em cena do filme

A princípio parece quase uma comédia romântica, já que conhecemos primeiro Ana e Chico, o casal em lua de mel, mas vai se desenvolvendo em um drama romântico muito mais sério e com questões bem mais realistas. O primeiro casal, no entanto, se torna um pouco sem graça quando comparado ao segundo casal e as questões que esses carregam. Ana e Chico ao longo do tempo, parecem um casal que mal se conhece e que não tem quase nenhum tipo de problema, enquanto Clarisse e Daniel trazem muito mais dramaticidade para a história.

O elenco se sai bem dentro dos seus papéis. Gagliasso e Ruy Barbosa fazem o que os seus personagens pedem e não se saem mal, mas também não chamam a atenção. Já Mariani e Andrade entregam performances primorosas e é impossível não se apegar e sofrer junto com o casal.

As músicas empurram o filme Todas as Canções de Amor para a frente
As músicas empurram o filme para a frente

Outro ponto interessante é que a diferença de idade entre Ruy Barbosa e Gagliasso não é ignorada, o que não é tão comum no cinema. Geralmente as atrizes são bem mais novas que seus pares românticos masculinos, mas que de alguma maneira, interpretam personagens quase da mesma idade. Em Todas as Canções de Amor, Ana é uma moça jovem que casou cedo e Chico, um homem já divorciado.

A trilha sonora

Boa parte da emoção do filme se deve à sua trilha sonora, que é repleta de músicas bonitas que retratam todos os períodos de um relacionamento. As músicas populares, de uma maneira geral, se dividem entre músicas de amor e músicas sobre o fim do amor e o longa de aproveita disso.

Entre as músicas que fazem parte da trilha sonora estão Baby, na versão de Gal Costa e Caetano Veloso, Sonhos, de Caetano Veloso, Pérola Negra, de Luiz Melodia, Amor Perfeito, de Roberto Carlos e Drão, de Gilberto Gil. Também tem que se ressaltar que a trilha é composta quase completamente por músicas brasileiras (com exceção de Feelings, da Shirley Bassey, de Ne Me Quitte Pas e Pale Blue Eyes, que são cantadas pelas brasileiras Maysa e Marisa Monte, respectivamente) e que elas abarcam gêneros diferentes e até tipos de músicas que são consideradas “piores”, como o sertanejo (Não Aprendi a Dizer Adeus) e lambada (Lambada).

A vida dos dois casais se mistura
A vida dos dois casais se mistura

A grande pergunta que fica é: Todas as Canções de Amor é um musical? No sentido mais clássico do gênero, não, e o filme nem se define como tal. Mas quando pensamos em questões mais abrangentes, o filme cabe na categoria. O longa não tem números musicais grandiosos e nem canções compostas exclusivamente para ele, mas musicais mais recentes como Across the Universe também não tem as duas coisas juntas.

Veja nossa sessão de musicais

No entanto, as músicas que estão na fita de Clarisse, de fato, empurram a trama para frente e são uma maneira de guiar o romance entre os dois casais. Além disso, o filme tem algumas cenas em que os personagens cantam, embora não da mesma forma que em um musical mais tradicional. Ana canta enquanto escuta as músicas da fita e Clarisse, em um momento do filme que é muito bonito, canta para Daniel. Gilberto Gil também faz uma participação no filme, como ele mesmo, em um show.

Luiza Mariani como Clarissa em Todas as Canções de Amor
Luiza Mariani como Clarissa

Nesse sentido, o filme soa muito natural, afinal todo mundo canta enquanto escuta uma música ou relaciona certas canções a certas pessoas. Dessa forma pode ser uma boa pedida para quem não gosta de musicais mais clássicos e que costuma reclamar que não entende o motivo de tanta cantoria. Aqui os personagens cantam em situações mais corriqueiras.

Todas as Canções do Amor é por fim, um bom filme, com uma trama relativamente simples, mas que funciona e que surge de uma boa ideia, usar canções de amor populares para nortear relações de casais, não importa em que estado elas estejam.

Todas as Canções de Amor

Nome Original: Todas as Canções do Amor
Direção: Joana Mariani
Elenco: Marina Ruy Barbosa, Bruno Gagliasso, Luiza Mariani, Júlio Andrade, Gilberto Gil
Gênero: Romance, Musical
Produtora: Mar Filmes
Distribuidora: Galeria Distribuidora
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar