Guerreiros da Floresta, série sobre luta e sobrevivência

O Canal Futura e a Santa Rita Filmes lançam Guerreiros da Floresta, uma série documental sobre a luta pela Amazônia e a sobrevivência da herança indígena.

Guerreiros da Floresta é a série documental produzida ao longo de 2018 nos estados de Roraima, Rondônia, Acre e Amazonas com as etnias Yanomami, Huni Kuin e Suruí e que evidencia a luta das três maiores lideranças indígenas do Brasil. Davi Kopenawa, Almir Suruí e Ninawa Inu Huni Kuin junto a suas comunidades sempre em defesa da sustentabilidade da Amazônia e da herança de seus povos. A produção estreia dia 20 de fevereiro, às 22h30, no Canal Futura.

A bela fotografia de Guerreiros da Floresta
A bela fotografia de Guerreiros da Floresta

Assim, composta por 13 episódios com duração de 26 minutos cada, Guerreiros da Floresta aprofunda-se nas culturas de cada uma das etnias, abordando suas semelhanças e particularidades de estilo de vida, além da luta por preservação e sobrevivência.

Você pode assistir Guerreiros da Floresta no Futura Play

Enquanto acompanha as três lideranças, a série mostra como, ao mesmo tempo em que sofrem com perseguições e ameaças no Brasil, estes líderes têm suas causas reconhecidas internacionalmente.

A série estreia num momento de transição política dos mais importantes de nossa história recente. Esperamos que os temas aqui abordados, promovam, de alguma forma, um debate consciente e tão necessário para as demandas indígenas e a relação harmoniosa entre todos os povos. Marcelo Braga, produtor da Santa Rita Filmes.

De tal forma que, entre seus assuntos-chave, a série explora, por meio do relato dos indígenas, os anos de invasão do homem branco e a devastação resultante da mesma e como eles sobreviveram a essa situação.

Imagem feita através de drone sobre a aldeia Watoriki
Imagem feita através de drone sobre a aldeia Watoriki

Auxílio na educação

A série se apresenta como uma ferramenta para os professores abordarem a questão indígena em sala de aula. Assim, com esse tipo de material audiovisual, o Canal Futura enriquece o trabalho dos educadores. Então, a série pode ser ponto de partida para abordar temas como a realidade e a cultura das tribos indígenas, questões ambientais e a sustentabilidade. Afinal, todos estes temas são extremamente necessários e atuais.

Guerreiros da Floresta se beneficia dos três meses que a produção passou imersa na cultura desses povos para trazer um viés de protagonismo dos índios para a narrativa. É legal que os relatos partem do ponto de vista daqueles que são sempre retratados em terceira pessoa. Afinal, não nos é contada a história dos indígenas. Dessa maneira, eles próprios é que tem a voz para nos contar suas histórias.

O que Guerreiros da Floresta traz é um desafio para esse momento tão anti-indigenista que vivemos. Nos deslocamos do eixo do homem branco e mergulhamos no ponto de vista do brasileiro original.
Andrea Pilar Marranquiel, diretora

Apesar de focar nos líderes e em suas lutas por seus territórios e herança, a série acompanha, também, suas peculiaridades culturais, como seu grau de envolvimento com a tecnologia, seus rituais e suas crenças, entre outros pontos.

Os Guerreiros da Floresta

Davi – Xamã. Fala mansa e sabedoria profunda. O tipo de personagem que você tem vontade de ficar anos gravando. Dono de conhecimentos tradicionais milenares. Conversa com indígenas, brancos e espíritos da floresta. Já fugiu de homens armados que queriam matá-lo em Boa Vista por causa da briga com mineradores. Passa longos períodos na floresta em aldeias isoladas. Diz ainda que há muitos Yanomami totalmente originais, que nunca foram contactados, nem por ele.

Davi Kopenawa
Davi Kopenawa

Almir – Biólogo. Indígena conectado 100% do tempo: celulares, Ipads, câmeras. Sempre a bordo de um 4×4, roda as aldeias que ficam no território indígena em Cacoal. Tem duas mulheres brancas, cerca de 10 indígenas, e vários filhos. A poligamia é natural entre seu povo. Há alguns anos tinha medo de andar de avião. Hoje, já esteve em mais de 30 países, sempre falando em desafios da sustentabilidade.

Almir Suruí
Almir Suruí

Ninawa – residente da Fephac. Guardião dos saberes tradicionais. Vice-coordenador da Organização dos Povos Indígenas do Acre, Sul do Amazonas e noroeste de Rondônia. Está cursando Medicina numa Universidade da Bolívia. Integra a Aliança dos Guardiões e Filhos Da Mãe Terra – criada em Paris, em 2015, durante reunião da COP 21.

Ninawa Inu Huni Kuin
Ninawa Inu Huni Kuin

Sinopse:

3 povos indígenas. 3 líderes. A Amazônia ameaçada. Perseguidos no Brasil por fazendeiros e mineradores, reconhecidos internacionalmente até pela ONU, eles são unidos pela mesma luta: a sustentabilidade da Amazônia e a herança cultural indígena. Almir Suruí, Ninawa Huni Kuin e Davi Yanomami Kopenawa, heróis na luta pela preservação, eles são afinal, os Guerreiros da Floresta.

EXIBIÇÕES NO CANAL FUTURA
Todas as quartas-feiras, a partir do dia 20/02/2019, às 22h30.

Os líderes Almir Suruí e Ninawa Huni Kuin, junto com a diretora Andrea Pilar Marranquiel, o produtor Marcelo Braga e a gerente de conteúdo do Canal Futura, Débora Garcia, participaram de um bate-papo sobre a série, ressaltando a sua importância, principalmente levando em consideração o atual cenário político brasileiro.

Além disso, podemos ver com outros olhos toda uma cultura que nos é tão distante. Uma cultura de caça, de festas de agradecimento, de festivais de rapé e ayhuasca. E assim, poder sentir empatia por esses povos e olhar para a natureza com mais proximidade.

Nome Original: Guerreiros da Floresta
Elenco: Almir Suruí, Ninawa Huni kuin e Davi Yanomami Kopenawa
Gênero: Documentário
Produtora: Santa Rita Filmes
Disponível: Canal Futura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar