Infiltrado na Klan, baseado em uma história real

Infiltrado na Klan não só é importante para os dias de hoje, como também consegue ser uma história irônica e enervante com muita maestria narrativa.

Spike Lee narra os eventos reais envolvendo Ron Stallworth, o primeiro policial negro a conseguir se infiltrar na Ku Klux Klan. Por ser negro, obviamente, ele não pode participar das reuniões pessoalmente. Por isso, enquanto marca tudo por telefone, seu parceiro Flip Zimmerman assume sua identidade junto aos membros da KKK. Tudo isso enquanto chegam aos níveis mais altos da organização. Com um enredo setentista, o diretor ainda aproveita para realizar uma grande homenagem ao Blacksploitation, tanto na fotografia, quanto no figurino e principalmente no estilo de humor.

Adam Driver e John David Washington em cena de Infiltrado na Klan
Adam Driver e John David Washington em cena de Infiltrado na Klan

Sem preconceito velado, por aqui o racismo e o antissemitismo são escancarados dentro daquela realidade, muitas vezes de maneira caricata, mas que não deixa de evidenciar uma abominável realidade, inclusive para os dias de hoje. E por mais que o filme ganhe importância dada a era Trump, é inevitável associar elementos do roteiro também com a atual situação do nosso país. O que expande o escopo aberrante do mundo atual.

O elenco de Infiltrado na Klan

Lee sabe dosar as situações e emoções e seu elenco colabora bastante com isso. A começar pela novidade na figura de John David Washington, que consegue internalizar sentimentos como poucos. A medida que sua inteligência eleva o nível dos diálogos, sem perder o tom da obra, realiza uma operação no mínimo irônica, dada a condição dos envolvidos.

Adam Driver, por sua vez, interpreta um sujeito muito sagaz, que sempre carrega uma resposta na ponta da língua, sem perder sua humanidade. A belíssima Laura Harrier faz uma ativista que detesta a polícia, mas sem saber está se envolvendo com um tira. Os vilões de Jasper Pääkkönen e Topher Grace estão operantes, sem grandes surpresas, mas conseguem transmitir bem (ao lado de outros da KKK, com camadas distintas, entre o gentil e o imbecil) como seria a visão de um nazista entre a sociedade naturalmente preconceituosa.

Topher Grace é um dos vilões de Infiltrado na Klan
Topher Grace é um dos vilões de Infiltrado na Klan

Entretenimento que faz pensar

O roteiro consegue ser, por incrível que pareça, bastante otimista na maior parte do tempo. Colabora para uma sessão ao mesmo tempo divertida e reflexiva. Sendo um tipo de derrota do mal através do deboche. Mas o diretor nunca nos deixa esquecer da importância temática. Principalmente no começo amargo e no desfecho durante os créditos, onde a crueldade dos eventos recentes de 2017 chegam como um soco no estômago e pode desestabilizar qualquer um que não compactue com ideais de ódio.

Infiltrado na Klan tem alto valor de entretenimento. Sua estrutura narrativa funciona do começo ao fim, em um dos filmes mais importantes dos últimos tempos. Inclusive não nos deixa esquecer que ainda estamos longe da vitória. Mas que precisamos continuar lutando.

Infiltrado na Klan

Nome Original: BlacKkKlansman
Direção: Spike Lee
Elenco: John David Washington, Adam Driver, Laura Harrier, Alec Baldwin, Isiah Whitlock Jr., Robert John Burke
Gênero: Biografia, Crime, Drama
Produtora: 40 Acres & A Mule Filmworks
Distribuidora: Universal Pictures
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar