Happy Hour – Verdades e Consequências

O desgaste de um casamento

Em Happy Hour, após um acidente onde sai como o herói da história, Horácio (Pablo Echarri), resolve confessar à sua esposa Vera (Letícia Sabatella) que deseja ter uma relação aberta. Vera, por sua vez, não aceita a proposta muito bem, especialmente porque está se candidatando à prefeita do Rio de Janeiro. Ou seja, precisa manter as aparências.

Uma trama absurda

Happy Hour – Verdades e Consequências brinca muito na chave do absurdo. Por exemplo, o acidente pelo qual Horácio passa é a queda de um ladrão que escala prédios em cima do seu carro, e que depois, ele acaba salvando a vida. A ideia de que alguém caia, literalmente, do céu, é absurda, mas faz sentido dentro do filme.

Letícia Sabatella em cena do filme Happy Hour
Letícia Sabatella em cena do filme

O resto da trama é repleto de outras situações que se fossem contadas em uma roda de amigos, receberiam olhares incrédulos dos ouvintes. Mas que não soam fora de contexto no longa.

O filme também ensaia quase que uma metalinguagem. Horácio revela que gostaria de ter escrito um romance, e que nunca conseguiu, mas que depois do acidente, ele começou a se sentir como um personagem de um livro. Quando essa situação é proposta, soa como uma maneira interessante de conduzir o filme. Porém, é abandonada ao longo do tempo. Todas essas situações são, em sua maioria, engraçadas, e são a grande força do filme.

Happy Hour é repleto de momentos absurdos
O filme é repleto de momentos absurdos

Desgaste do casamento

O tema central de Happy Hour é o desgaste do casamento de Horácio e Vera, embora tenha outros temas como pano de fundo e distraia o público de seu assunto principal em diversos momentos. No entanto, o filme não mostra muito desgaste na relação dos dois antes que Horácio proponha o casamento aberto. Antes disso, Horácio e Vera parecem um casal bem apaixonado e que se dá extremamente bem.

Horácio justifica a sua súbita vontade de ter um relacionamento aberto no fato de que os dois já estão casados há 15 anos e que caíram em uma rotina, mas isso não aparece de maneira muito clara no filme. É claro que o fato dos dois acabarem brigando depois da proposta piora ainda mais a situação. Assim, dá ao público uma nova abordagem do casamento.

Aspectos técnicos de Happy Hour

O filme se baseia muito na sua trama e começa bem, nos apresentando a vida de Horácio e Vera. A obra também é repleta de momentos engraçados, especialmente os que envolvem Ricardo (Luciano Cáceres), o amigo de Horácio que acabou de chegar da Argentina. Por outro lado, o filme se alonga muito e essa graça vai acabando com o tempo. Não porque fique mais sério ou mais pesado, mas sim porque o tema se torna cansativo.

A trama é focada no desgaste do casamento de Vera e Horácio
A trama é focada no desgaste do casamento de Vera e Horácio

A sensação que se tem é que o filme sai do nada, promete algo no meio, mas termina no nada. Claro que há um grande elenco, que entrega boas atuações como Letícia Sabatella, Pablo Echarri e Luciano Cáceres, mas nenhum dos atores é o suficiente para suprir os defeitos da trama.

Embora Happy Hour consiga segurar a plateia por um tempo, ele perde seu propósito no meio e, infelizmente acaba se tornando monótono.

Vera e Horácio
Vera e Horácio

Happy Hour – Verdades e Consequências quer falar sobre o desgaste na relação entre pessoas casadas, e aposta na comédia para fazer isso, mas perde tanto o seu tema, quanto a sua graça conforme assistimos ao filme. O longa entra em cartaz no dia 28 de março.

Happy Hour

Nome Original: Happy Hour
Direção: Eduardo Albergaria
Elenco: Letícia Sabatella, Pablo Echarri, Luciano Cáceres, Chico Díaz
Gênero: Comédia, Drama, Romance
Produtora: Haddock Films
Distribuidora: Imovision
Ano de Lançamento: 2017
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar