Hereditário – O que você sabe sobre sua família é uma ilusão

Quando Ellen, a matriarca da família Graham, morre, a família de sua filha começa a desvendar mistérios enigmáticos e cada vez mais aterrorizantes sobre seus ancestrais. Quanto mais eles descobrem, mais eles se encontram tentando fugir do destino sinistro que parecem ter herdado. Fazendo sua estréia no cinema, o roteirista e diretor Ari Aster lança uma visão de pesadelo de um colapso doméstico que mostra a habilidade e a precisão de um autor nascente transformando uma tragédia familiar em algo sinistro e profundamente inquietante, e levando o filme de terror a um novo terreno, com o retrato de uma herança infernal.

Hereditário conta a história da família Graham, composta pelo casal Steve (Gabriel Byrne) e Annie (Toni Collete) e seus filhos, Peter (Alex Wolf) e Charlie (Milly Shapiro) que após a morte da matriarca da família, começam a perceber coisas estranhas acontecendo.

O filme fala sobre o luto e como se lida com ele, mas ele também é um terror psicológico bem interessante. Hereditário foge de sustos óbvios, em muitos momentos usando aquela técnica clássica de terror, de baixar a música na hora do susto, mas deixando a plateia só na expectativa, o que faz com que o filme todo tenha um clima sinistro e o perfume daquela sensação de que algo ruim está prestes a acontecer.

Ele é bem diferente dos filmes de terror que estamos acostumados a ver e que chegam às salas de cinema todos os anos, por isso, pode ser que não agrade quem espera um filme de terror clássico, com pulos e criaturas assustadoras.

Toni Collete é Annie Graham.

Os planos de câmera são bem abertos, o que dá a sensação de que o espectador não está participando disso diretamente, e os diálogos são escassos, mas muito marcantes, com certeza para demonstrar que aquela família está tão despedaçada que já não conversa entre si.

Toni Collete encabeça o elenco e é provavelmente a personagem que chama mais atenção. Ela interpreta uma mulher que tem que lidar com a perda recente da mãe e com a forte probabilidade da sua família sucumbir junto com o luto. Annie, sua personagem, começa como uma mulher que tem um certo controle, mas ao longo do filme percebe que as coisas que acontecem na sua vida estão muito fora do seu alcance. A atuação de Milly Shapiro (da versão para a Broadway de Matilda), também chama a atenção. Ela interpreta a filha mais nova dos Graham, que é um tanto quanto excêntrica, mas a preferida da avó recém falecida

Hereditário ainda traz luz a outro assunto importante: as doenças psicológicas. Em certo momento do filme, Annie fala que sua mãe sofria de dissociação, seu pai de depressão e seu irmão de esquizofrenia. A própria Annie admite que é sonâmbula. Com todas essas informações, pode-se fazer uma interpretação completamente diferente do filme, que vai muito além de um filme de terror psicológico.

Milly Shapiro em cena do filme.

Justamente por se classificar como um terror psicológico, o filme não tem muitas cenas com sangue, ou violência explícitas, tudo se resume ao que as cenas insinuam e não mostram.

Diferentemente de muitos filmes de terror no mercado, Hereditário deixa o espectador com o coração na mão, em muitos momentos e com uma constante expectativa.

Hereditário estréia em circuito nacional no dia 21 de Junho.

Hereditário

Nome original: Hereditary

Elenco: Toni Collette, Gabriel Byrne, Milly Shapiro, Alex Wolff, Ann Dowd

Gênero: Drama, Horror, Mistério, Thriller

Distribuição: Diamond Filmes

Direção: Ari Aster

Tags

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close