Horror de Outro Mundo

Luis Otávio Canevazzi discute preconceitos com um Ensaio Sobre Racismo em H.P. Lovecraft

H.P. Lovecraft, famoso escritor de terror que influenciou autores como Stephen King e Neil Gaiman, é conhecido pela sua literatura cósmica e pela mitologia que ele criou, que envolve monstros como o Cthulhu, mas há algum tempo o nome de Lovecraft também é citado quando se fala sobre racismo e xenofobia.

No livro Horror de Outro Mundo: um Ensaio Sobre Racismo em H.P. Lovecraft, Luiz Otávio Canevazzi analisa os subtextos – algumas vezes nada sutis – racistas e xenófobos na obra de Lovecraft e nas cartas pessoais do autor.

Quem foi H. P. Lovecraft?

Howard Phillips Lovecraft nasceu em 1890, em Providence, Rhode Island, em uma família aristocrática que perdeu toda a fortuna com o tempo. Lovecraft, originalmente, queria ser poeta, mas sua carreira nunca decolou e ele passou a escrever contos de terror e suspense que ele publicava em revistas do tipo Pulp – revistas com histórias sensacionalistas, sem muita pretensão artística, e que visavam o entretenimento rápido. Seu público-alvo eram as classes baixas -, antes de mergulhar no terror cósmico pelo qual ficou famoso.

Lovecraft era interessado pelo universo e, por isso, suas tramas e criaturas circundam essa ideia, ele é famoso por criar toda uma mitologia que explora deuses antigos que poderiam matar toda a humanidade em segundos, apenas porque a humanidade não é importante para eles. O mais famoso deles é Cthulhu, que aparece no conto O Chamado de Cthulhu. Outros trabalhos famosos de Lovecraft também são os contos Nas Montanhas da Loucura, A Cor que Caiu do Espaço e O Horror de Dunwich. Lovecraft só ficou famoso depois de morto.

H.P. Lovecraft
H.P. Lovecraft

Um dos pontos interessantes do livro de Canevazzi é que o autor aponta que Lovecraft e os seus mitos ganharam uma fama e uma vida para além das páginas que ele escreveu, já que sua mitologia inspirou RPGs, videogames, filmes, séries e até outras obras literárias, e que muitos dos fãs do autor conhecem o trabalho dele por essas vias e não pela via original, o que poderia, por exemplo, fazer com que algumas das pessoas não tivessem acesso ao material claramente preconceituoso que o autor escreveu.

Racismo e xenofobia: Um Horror de Outro Mundo?

No entanto, embora Lovecraft seja um dos autores de horror mais celebrados, tenha inspirado uma série de outros autores do gênero e acumule um número grande de fãs, existe uma polêmica que perpassa a obra dele, mas que só começou a ser discutida recentemente.

Várias obras de Lovecraft são explícitamente racistas e xenofóbicas. Ainda que algumas tenham só um subtexto nesse sentido e possam ser discutidas, outras não deixam dúvidas. As cartas pessoais do autor então, são abertamente racistas, ele fala sobre o seu medo de que a miscigenação faça com que a raça branca desapareça, demonstra desprezo por imigrantes e até elogia a Ku Klux Klan.

Em Horror de Outro Mundo: um Ensaio Sobre Racismo em H.P. Lovecraft, o autor analisa algumas de suas correspondências pessoais, mas dedica bastante tempo ao conto Horror em Red Hook, que se passa em um local no Brooklyn, em Nova York, onde muitos imigrantes vivem. Logo no começo do conto, por exemplo, o autor já deixa claro que pensa que a nova configuração do bairro, com imigrantes, é uma bagunça e que o local, antes habitado por pessoas loiras de olhos claros, era um lugar melhor.

Ilustração de Cthulhu, o monstro mais famoso de Lovecraft
Ilustração de Cthulhu, o monstro mais famoso de Lovecraft

Mas para além disso, Canevazzi defende que todo o horror de Lovecraft, muitas vezes baseado na atmosfera que o autor criava, é perpassado por esse ódio aos imigrantes e aos negros, já que esse era um medo do próprio autor – que em suas cartas pessoais diz ter medo que a miscigenação acabe com a raça branca – e que se reflete em sua obra. O racismo e a xenofobia de Lovecraft estão presentes no subtexto de suas obras, e até nos monstros que ele criava, que na sua própria concepção eram as pessoas diferentes dele.

Um homem do seu tempo?

Outro ponto que o livro Horror de Outro Mundo discute é se devemos ou não julgar as opiniões pessoais de Lovecraft ou apenas apreciar – ou não – sua obra. A resposta para essa pergunta é um tanto quanto óbvia para muitas pessoas, já que o preconceito de Lovecraft é latente e absurdo, é impossível negar que o racismo e a xenofobia estão presentes nos textos do escritor, mas por outro lado, muita gente ainda diz que não se deve julgar um homem que viveu nas décadas de 1920 e 1930, já que ele seria, supostamente, “um homem de seu tempo”.

Canevazzi argumenta que essa ideia de que Lovecraft era “um homem de seu tempo”, o que implica em dizer que todas as pessoas que viveram na mesma época que o escritor tinham ideias parecidas com as dele, não é exatamente verdadeira, uma vez que na mesma época em que Lovecraft falava abertamente de sua aversão a negros e imigrantes – dentro e fora de suas obras -, outras pessoas já se posicionavam contra o racismo nos Estados Unidos e o país inclusive via o surgimento de uma literatura negra feita por pessoas negras.

Para além disso, é meio difícil ignorar as “opiniões pessoais” – que não são apenas opiniões, mas sim ataques a outros seres humanos – de Lovecraft quando elas estão presentes de maneira bem clara nas obras dele e, muitas vezes, são o motor por trás de seus contos.

Horror de Outro Mundo: um Ensaio Sobre Racismo em H.P. Lovecraft fala abertamente sobre o racismo nas obras do autor
Horror de Outro Mundo: um Ensaio Sobre Racismo em H.P. Lovecraft fala abertamente sobre o racismo nas obras do autor
O livro

Horror de Outro Mundo: um Ensaio Sobre Racismo em H.P. Lovecraft é um livro que aborda um assunto conhecido, mas que quase sempre é ignorado. Canevazzi é bem claro sobre o assunto e fala abertamente sobre o racismo que é evidente na obra de Lovecraft, os trechos selecionados por ele fazem com que até quem leu as obras de Lovecraft e não prestou atenção nisso, note.

Por fim, ele defende que o assunto deve ser debatido para que o leitor possa entender o que está lendo e até subverter o que Lovecraft escreveu.

Essa é uma leitura muito interessante e prazerosa, pois a pesquisa de Canevazzi é muito completa. O livro é um tanto curto, mas tem muita informação de fácil compreensão. Claro que a tendência é que o leitor saia chocado, ainda mais aquele que é fã de Lovecraft, mas nem por isso o assunto deve ser ignorado.

Horror de Outro Mundo: um Ensaio Sobre Racismo em H.P. Lovecraft traz à tona um tema tabu e de maneira esperta nos obriga não só a enxergar o que muita gente tenta negar, mas também a enfrentar de frente todas as problemáticas de um autor muito aclamado.

Horror de Outro Mundo: um Ensaio Sobre Racismo em H.P. Lovecraft

Nome Original: Horror de Outro Mundo: um Ensaio Sobre Racismo em H.P. Lovecraft
Autor: Luis Otávio Canevazzi
Editora: Telha
Gênero: Não-ficção, Ensaio
Ano: 2022
Número de Páginas: 88

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar