Goblin Slayer, um dos melhores animes de 2018!

É comum que animes baseados em fantasia medieval façam um grande sucesso no mundo. Alguns fizeram fama com seu conteúdo adulto como Berserk; outros apelando para a nostalgia como Record of Lodoss War. Mas acho que só quem é mais velho vai lembrar, rsrs. Temos ainda o recente Nanatsu no Taizai. Fantasias medievais sempre são carregadas de glória e valentes aventureiros, talvez por isso esse tipo de enredo chame tanto a atenção… Portanto, vamos falar aqui de um anime bem específico que me despertou muito a atenção, Goblin Slayer!

Goblin Slayer, o melhor anime de 2018!

Goblin Slayer é uma série de light novel de fantasia medieval sombria, escrita por Kumo Kagyu e ilustrada por Noboru Kannatuki. Uma adaptação em uma série de mangá escrita e ilustrada por Kōsuke Kurose é ‘serializada’ na revista Monthly Big Gangan. O anime está sendo lançado pelo estúdio White Fox.

O enredo de Goblin Slayer

A história gira em torno de um aventureiro que é especialista em matar Goblins. Aqui nesse mundo de fantasia existe um panteão de criaturas e arquétipos de personagens comuns em uma aventura de D&D. Veremos além dos goblins, Dragões, Ogros, Trolls, Hobgoblins, elfos, anões, homens lagarto, entre outros.

O que torna tão interessante a animação é talvez a anti-cultura do tradicional herói de anime. Afinal, aqui o protagonista não é alguém que tem um sonho. Que quer encontrar seu caminho na superação ou até mesmo salvar o mundo. Fica muito claro, desde o início, que seu objetivo é único e simples: matar goblins!!

Goblin Slayer, o melhor anime de 2018!
O herói é apenas um ser humano que também pode morrer!

Goblin Slayer não tem seu nome revelado. Nem mesmo as razões pela incessante busca por trabalhos que envolvam matar goblins. O personagem, em momento algum, tira seu elmo. Isso torna o nosso envolvimento mais pesado e em alguns momentos antipático e sufocante. Agindo com frieza e sendo muito detalhista em cada uma de suas atitudes, ele nos mostra como é eficaz em matar goblins.

O anime parece ser baseado em uma campanha de RPG

Em diversos momentos dados são rolados, como se os deuses estivessem jogando sua sorte. Quem leu A trilogia da Tormenta vai entender melhor. Todos os aspectos são correlacionados com uma campanha, desde o momento em que é preciso pegar as missões, demostração de níveis de personagens, quantidades de magia que podem ser usadas por dia, até o uso de artefatos e itens em uma batalha.

Logo no começo vemos o que talvez tenha chocado a muitos. O primeiro episódio é triste e sem esperança, pois não é exatamente o que estamos acostumados. Aqui Goblin Slayer não vem como o salvador e as coisas são um pouco mais reais quando um grupo de aventureiros pouco experiente entra em uma caverna com a confiança de qualquer principiante. Em poucos minutos em seu primeiro embate, as coisas começam a não dar certo, mas a forma que não dá certo é mostrada como de fato seria.

Goblin Slayer, o melhor anime de 2018!
A Elfa do grupo, nesse mundo cheio de raças e criaturas diferentes

Ou seja, goblins não são derrubados facilmente e erros cometidos são castigados com sua vida. A quantidade de violência já no primeiro episódio nos deixa com um gosto ruim na boca. Imaginamos que “alguém vai aparecer e salvar o dia”, mas a cada minuto e a cada erro cometido, fica muito claro que o enredo vai mostrar algo menos fantasioso e mais real. Até a atitude que nosso protagonista tem deixa o clima bem pesado, mas ao longo do tempo ou vamos acostumando ou vamos de fato entender seus motivos.

Recheado de Easter Eggs de fácil visualização, muitos elementos são perceptíveis de uma mesa de RPG. Mas alguns merecem destaque:

CLIQUE AQUI PARA LER SPOILERS

Nos olhos do Beholder: em determinado episódio há um Beholder protegendo uma sala. Talvez uma das situações mais clássicas de um RPG seja o fato de um Beholder ser um grande problema dentro de uma dungeon. Aqui, isso foi muito bem explorado tanto da forma certa de combater um Beholder quanto o conteúdo protegido.

As Portas de Durin, Rei de Moria. Fale, amigo, e entre: Uma das cenas mostra Goblin Slayer e seu grupo preso em uma sala. De outros lugares, um enxame de goblins vem vindo com um Goblin Campeão. Essa cena é idêntica a cena do filme do Senhor dos Anéis onde a Companhia do Anel fica presa na sala do túmulo de Balin.

Lá e de volta outra vez: O episódio 9 de Goblin Slayer se chama “Lá e de volta outra vez”. Esse titulo é o mesmo que havia sido escolhido por Peter Jackson em O Hobbit. O filme teve o título alterado depois para “A batalha dos cinco exércitos”

Meu Precioso: Este é um dos episódios que mostra o passado do protagonista. O mestre do nosso herói o desafia até a morte com 3 perguntas, sendo que se errar morre. Uma das perguntas então é “o que tem no meu bolso”. Ou seja, uma referência direta a pergunta que Bilbo Bolseiro fez a Gollum para que pudesse escapar com vida em O Hobbit, e se não me falha a memória também aparece na trilogia do anel.

Considerações finais

Goblin Slayer consegue assim entregar um anime divertido, dramático, viciante e chocante ao mesmo tempo. A qualidade da arte é extremamente impecável. O enredo, apesar de simples, tem um toque sutil de complexidade e originalidade. Seus personagens se amarram de forma fácil, talvez não trazendo um background aprofundado de cada um mas isso não atrapalha a obra que veio completa e muito bem dirigida. Poderia apostar que em 2018 foi uma maravilhosa surpresa conhecer Goblin Slayer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar