Magnatas do Crime – Elegância em primeiro lugar

Drogas, trapaças e dois canos fumegantes

Guy Ritchie volta ao jogo com estilo, fazendo o tipo de filme que o consagrou no mercado: o de histórias de crime, com criminosos charmosos e elegantes, com uma narrativa estilosa e uma edição moderninha, com um linguajar pitoresco e que, naturalmente, funciona, porque é um autêntico Guy Ritchie. Surpreende até que depois de nos brindar com dois excelentes filmes de “Sherlock Holmes”, uma aposta divertida com “Rei Arthur” e um inacreditável e bem feito musical colorido da Disney em “Aladdin”, o diretor tenha resgatado a pegada simples e casca grossa de seu DNA.

A trama de Magnatas do Crime segue Mickey Pearson, um americano que se muda para Londres, onde se torna o rei do tráfico de maconha. Quando gangues rivais ficam sabendo que ele quer se aposentar, a cidade inglesa se torna cenário de uma guerra entre facções tentando roubar o império de Pearson.

Magnatas do Crime

Magnatas do Crime

Com uma premissa redondinha dessas, Ritchie prepara o tabuleiro para que seus cativantes personagens desfilem. Eles sempre destilando comentários exageradamente pomposos, com inúmeras frases de efeito (ele nem se envergonha de utilizá-los mais) e, claro, inserindo contexto sexual no meio de cada palavra na medida do possível (quase o tempo inteiro).

Assim, temos um personagem contando a outro a história que passamos a assistir, sempre retornando aos dois para uma retomada de fôlego. A sacada aqui é que o narrador tem pretensões como roteirista de Hollywood, portanto ele usa e abusa de termos de escrita. Isso deixa o longa não só metalinguístico, como mais divertido para escritores e profissionais das letras.

Magnatas do Crime

Confusões

É claro que se tratando de uma história de crime, nada é o que parece. Uma reviravolta subverte a outra, algo que o diretor sabe equilibrar bem. As sequências de perseguição de adolescentes num condomínio de subúrbio, assim como quase todo momento entre a dupla que narra e ouve a trama, são impagáveis. Os diálogos de Pearson com aliados e adversários são recheados de carga dramática, tensa e sagaz.

E o elenco de peso não faz feio, a começar por Hugh Grant, em um de seus papéis mais divertidos. Ele é o afetado narrador que ambiciona alguns milhões em troca do que sabe. Ou o novo queridinho do autor, Charlie Hunnam, que oferece equilíbrio e sensatez em meio ao caos. Colin Farrell faz uma participação repleta de ironia, bom mocismo e cinismo. Enquanto isso, Matthew McConaughey se deixa levar no automático com mais um figurão seguro de si e inabalável (ou quase).

À vontade e de volta ao lar, Guy Ritchie faz mais do mesmo, mas faz com estilo e entrega um entretenimento pra lá de satisfatório.

Magnatas do Crime

Nome Original: The Gentlemen
Direção: Guy Ritchie
Elenco: Matthew McConaughey, Charlie Hunnam, Michelle Dockery
Gênero: Ação, Comédia, Crime
Produtora: STX Films
Distribuidora: Paris Filmes
Ano de Lançamento: 2019
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar