Morto Não Fala, crescendo o gênero no Brasil

Morto Não Fala conta a história de Stênio (Daniel de Oliveira), um plantonista noturno no necrotério de uma grande e violenta cidade. Em suas madrugadas de trabalho, ele nunca está só, pois possui um dom paranormal de comunicação com os mortos. Quando as confidências que ouve do além revelam segredos de sua própria vida, Stênio desencadeia uma maldição que traz perigo e morte para perto de si e de sua família.

O filme é uma adaptação do conto homônimo do escritor e jornalista Marco de Castro. Na trama, Stênio guarda os segredos dos mortos, até que um deles revela algo sobre a sua própria vida. Assim, a partir dessa informação, Stênio se vê num círculo de vingança e possessão sem fim, colocando em risco a vida de seus filhos.

Morto Não Fala
Daniel de Oliveira é Stênio

Morto Não Fala é uma obra de horror brasileira. É um drama sobre um homem com uma habilidade sobrenatural e sobre os acordos invioláveis entre o mundo dos vivos e o além. É também uma exploração acerca da podridão de valores éticos que assombram a alma brasileira. As tragédias e maldições que trazem a morte para perto são todas resultantes de decisões e sentimentos perversos, tomados por indivíduos
atormentados pela derrocada civilizatória de nossa sociedade”, conta o diretor Dennison Ramalho, que também assina o roteiro junto com Claudia Jouvin.

Morto Não Fala, será?

O filme tem uma ótima premissa, trazendo o universo dos mortos e do sobrenatural para uma realidade brasileira. Violência nas ruas, facções inimigas, comércio decadente e igreja universal na TV. É divertido ver tudo isso em um filme de gênero bem brasileiro.

Entretanto, os efeitos especiais, por mais propositais que tenham sido, não convenceram por completo. A ideia de Stênio falar com os mortos é sensacional, mas o movimento exclusivo do rosto de cada um deles deu um ar ainda mais bizarro. Concordo com o fato de os mortos se comunicarem através das expressões faciais mas, infelizmente, eles ficaram com cara de videogame mal feito. Tirando esse detalhe chato, o filme pode agradar aqueles que curtem um terror nacionalizado.

As atuações de Daniel de Oliveira, Fabiúla Nascimento e Bianca Comparato estão ótimas. Marco Ricca aparece pouco, mas está bem. As crianças deram um show e parecem ter se divertido muito gravando algo tão diferente. Cauã Martins aumenta cada vez mais seu currículo (podemos vê-lo em Bingo e Sobre Rodas) e Annalara Prates também segue fazendo carreira, tanto no cinema quanto na TV.

Morto Não Fala

Filme de estreia de Dennison Ramalho

Para o diretor, o “longa é um exemplo da nova ficção de terror nacional, que vem ganhando as telas em anos recentes e concentrando suas tramas em temas urbanos, carregadas de comentário social”, complementa. “É uma ficção de horror muito humana, já que são personagens que Marco de Castro conheceu na sua rotina de jornalista, gente que ele cruzava nas delegacias, necrotérios e cemitérios. Ou seja, são histórias muito táteis.”

Morto Não Fala é um terror nacional que tem pinta de internacional. Não perde em nada para alguns longas do gênero, a não ser no quesito efeitos especiais. O filme entra em cartaz dia 10 de outubro com distribuição da Pagu Pictures.

Morto Não Fala

Nome Original: Morto Não Fala
Direção: Dennison Ramalho
Elenco: Daniel de Oliveira, Fabiula Nascimento, Bianca Comparato, Marco Ricca
Gênero: Horror, Mistério, Thriller
Produtora: Casa de Cinema
Distribuidora: Pagu Pictures
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar