Moulin Rouge: Amor em Vermelho, 2001

Christian (Ewan McGregor) chega a Paris para escrever sobre os ideais da boemia: beleza, liberdade, verdade e amor. Logo ele conhece Toulouse-Latrec (John Leguizamo) e um simpático grupo de boêmios. Eles se tornam amigos e seguem para o Moulin Rouge, um cabaret repleto de dança e música. Lá Christian conhece Satine (Nicole Kidman), a mais bela cortesã do local, por quem ele se apaixona. O problema é que Satine está “prometida” a um duque (Richard Roxburgh), que pode salvar o Moulin Rouge da falência.

Moulin Rouge: Amor em Vermelho é o terceiro filme da trilogia Cortina Vermelha, do diretor australiano Baz Luhrmann. Os outros filmes que fazem parte da trilogia são Vem Dançar Comigo, de 1992 e Romeu + Julieta, de 1996. O filme segue a premissa do clássico A Dama das Camélias, de Alexandre Dumas e da ópera La Traviata. Além disso, o Moulin Rouge já tinha sido tema de um outro filme, em 1952, que tem como protagonista Toulouse-Latrec (José Ferrer).

O Moulin Rouge

O Moulin Rouge é uma casa de shows localizada no bairro de Montmartre, em Paris. É famoso pela sua vida boemia (o café Des Deux Moulins, que aparece no filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain também fica localizado nesse bairro). Atualmente, o Moulin Rouge apresenta apenas diversos shows, acompanhados de um jantar, mas antigamente o local era um prostíbulo. Toulouse-Latrec, que é personagem nos dois filmes, de fato existiu. Ele era um pintor que passava boa parte dos seus dias no Moulin Rouge. Inclusive, muitas das pinturas de Latrec retratam a vida das moças que trabalhavam no local.

O elenco em cena do filme
O elenco em cena do filme

O filme de 1952 é inspirado na história de Latrec e de sua paixão por uma prostituta. Ela o desprezou porque ele sofria de uma doença que lhe dava ossos fracos e baixa estatura. Já o filme de 2001, narra uma história ficcional que poderia muito facilmente ter acontecido em um ambiente como o Moulin Rouge. De qualquer maneira, mesmo que nenhuma das tramas seja completamente fiel, os dois filmes retratam uma época e um local que existiu e ainda existe.

A trama de Moulin Rouge: Amor em Vermelho é relativamente simples e não é exatamente uma novidade. No filme ela só ganha termos diferentes. O grande diferencial de Moulin Rouge: Amor em Vermelho é como ela é contada. O narrador do filme é Christian, que está escrevendo sobre o que aconteceu no Moulin Rouge e sobre a sua relação com Satine. Portanto, ele escreve do futuro e fica claro que alguma coisa errada aconteceu.

O filme

Um dos pontos altos de Moulin Rouge é o fato de conseguir mesclar muito bem vários gêneros. Por exemplo, o filme é repleto de músicas, mas ele também tem momentos de romance, de dramas que beiram a tragédia, e mesmo assim, consegue colocar muitas cenas de comédia. É justamente com uma cena cômica que nós somos colocados dentro do universo do filme.

Christian acabou de chegar em Paris, e está começando a escrever, quando um homem desmaiado despenca do andar de cima para o seu apartamento. Este homem vem acompanhado de mais quatro, entre eles Latrec, que levam o protagonista ao Moulin Rouge. A cena em que Christian e Satine se encontram pela primeira vez, também é de comédia, já que ela o confunde com o duque, a quem ela deveria encontrar naquela noite, e enquanto ela faz as mais diversas atuações, Christian se apaixona por ela.

Ewan McGregor e Nicole Kidman como Christian e Satine
Ewan McGregor e Nicole Kidman como Christian e Satine

Os personagens

Outro ponto interessante do filme são os personagens. Tolouse Latrec, que embora seja uma personalidade real, ganha uma interpretação completamente diferente no filme. Christian, um escritor jovem, inexperiente e romântico, que se apaixona pela primeira vez por Satine. Ela, que por sua vez, é o exato oposto dele, embora pareça uma mulher receptiva, é fria e revida todos os tipos de sentimentos, porque a vida a obrigou a isso. A dicotomia entre o casal principal é tão clara que os nomes escolhidos até remetem a igreja católica: Christian, cristão, Satine, satã.

O filme tem personagens secundários como o grupo de boêmios; a prostituta Nini (Caroline O’Connor);  Harold Zidler (Jim Broadbent), o dono do Moulin Rouge, que parece só se preocupar com dinheiro, mas que na verdade vê Satine como uma filha; e claro, o duque, que embora seja o vilão do filme, é também um alívio cômico, já que boa parte das piadas são feitas às suas custas.

Verdade. Beleza. Liberdade. Amor.

O encontro de Christian e Satine, no entanto, vai ser suficiente para mudar o pensamento de Satine, que acaba se apaixonando por ele.

Moulin Rouge: Amor em Vermelho é um musical que fala de um musical, já que dentro do filme, Christian está escrevendo um musical onde Satine e Tolouse vão atuar como protagonistas. Sua peça fala sobre uma cortesã que deve se casar com um marajá, mas está apaixonada por um tocador de cítara. Ou seja, a história que Christian está escrevendo conta exatamente o que está acontecendo no filme. É justamente por isso que em diversos momentos podemos prever o que vai acontecer na história dos dois. Basta olharmos o que acontece nos seus escritos.

Os boêmios, Christian e Satine
Os boêmios, Christian e Satine

Uma única regra: não se apaixone

O filme também fala da situação da mulher no inicio do século XX, mais especificamente da mulher jogada a marginalidade. Satine, por mais bonita e desejada que seja, é uma prostituta. O filme não esclarece como ela chegou a essa vida, mas sabemos que ela não pode se dar ao luxo de se apaixonar, e nem de ter uma vida pessoal. Ela sabe que seu destino está selado. Ela precisa aceitar os avanços do duque para poder sair da vida de prostituta. A partir do momento em que ela se rende ao amor de Christian, tudo começa a dar errado. Satine, como a maioria das mulheres da sua época, não tem direito a escolhas e quando ela encontra Christian, que é a única pessoa que lhe permite escolher, isso não lhe é permitido.

Aspectos técnicos

A direção de arte do filme também chama muita atenção. Tudo é muito colorido, e como o próprio título diz, o vermelho é a cor dominante. Ele aparece nos figurinos, na maquiagem, nos cenários e até no cabelo extremamente vermelho de Nicole Kidman. As cores fortes do filme passam ao espectador o clima de constante festa do Moulin Rouge. É impossível não se sentir parte da história, afinal, o filme é extremamente imersivo.

Claro que o elenco também ajuda muito. Jim Broadbent, que é sempre muito competente, entrega um Zidler debochado mas ao mesmo tempo humano. Já John Leguizamo faz sua própria interpretação de Latrec. Seu personagem é divertido, embora o verdadeiro Latrec tivesse uma personalidade mais melancólica. O filme ainda conta com a participação da cantora Kylie Minogue como a fada verde, uma alucinação que os boêmios tem quando tomam absinto.

Uma das pinturas de Toulouse-Latrec
Uma das pinturas de Toulouse-Latrec

Mas, obviamente, o destaque no elenco é do casal de protagonistas.

Ewan McGregor parece perfeito para o papel de Christian. É praticamente impossível não se apaixonar pelo seu escritor romântico e sonhador. Já Nicole Kidman é bonita o suficiente para estar na pele da cortesã mais desejada de Paris. Ela consegue variar perfeitamente entre a femme fatale capaz de seduzir a todos e a moça apaixonada que só quer ir embora e recomeçar a vida. A química entre os dois atores é óbvia, o que ajuda muito o filme. O espectador acredita que eles estão apaixonados e torce por eles do começo até o fim.

As músicas

Moulin Rouge: Amor em Vermelho não tem músicas compostas especialmente para o filme. Foram utilizadas músicas pop que se encaixam na história. Além disso, a maioria dessas músicas foi composta bem depois da época em que o filme se passa. A única exceção é possivelmente Can Can. O filme faz a suas próprias versões de várias músicas conhecidas, inclusive mash-ups, como acontece em Elephant Love Medley, que usa pedaços de Love Is Like Oxygen, do Sweet, Up Where I Belong, do Joe Cocker, All You Need is Love, dos Beatles e Love Is a Many Splendoured Thing.

Entre as músicas do filme estão Nature Boy (em uma versão de David Bowie), Lady Marmalade (em uma versão de Pink, Christina Aguilera, Mya, e Lil´Kim), Sparkling Diamonds, Rythm of The Night, Your Song, Children Of The Revolution, One Day I´ll Fly Away, Come What May, El Tango de Roxanne e Hindi Sad Diamonds.

Karen Olivo e Aaron Tveit na montagem para o teatro
Karen Olivo e Aaron Tveit na montagem para o teatro

O filme foi indicado a oito Oscars e ganhou o de melhor direção de arte e melhor figurino.

Moulin Rouge chegou aos palcos em 2018, em Boston, com Karen Olivo no papel de Satine e Aaron Tveit (de Os Miseráveis) no papel de Christian. Em 2019, está previsto para chegar a Broadway, em Nova York.

Moulin Rouge: Amor em Vermelho usa de músicas atuais para contar uma história do século passado. Repleto de personagens interessantes, o filme é capaz de emocionar bastante a audiência.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar