Musicais: Mary Poppins, o original de 1964

Como é o caso de alguns outros musicais, Mary Poppins virou peça depois do filme. O musical estreou no West End em 2004 e na Broadway 2006. O filme, no entanto é de 1964.

O filme conta a história de uma família que, depois dos filhos levarem mais uma babá a se demitir, coloca um anúncio à procura de uma nova babá. Michael (Matthew Garber) e Jane (Karen Dotrice), os filhos, por sua vez, escrevem o seu próprio anuncio pedindo a babá que eles gostariam. Embora o pai (David Tomlinson) rasgue o anuncio, a babá que aparece na porta da família é exatamente como as crianças queriam.

Mary Poppins é originalmente baseado na série de livros de Pamela Lyndon Travers, que relutou muito antes de vender os direitos para a Disney. E depois ela ainda detestou a adaptação. Mesmo assim, a imagem que a maioria das pessoas têm na cabeça quando o assunto é a personagem, é a do filme, tanto que o musical feito posteriormente é baseado tanto nos livros, quanto no filme de 1964, mas tem uma estética muito parecida com a do filme.

Mary Poppins
Julie Andrews como Mary Poppins

Mary Poppins

Nos livros, a babá é um pouco mais rígida e nem um pouco gentil, como vemos no filme, mas mesmo assim, a babá do filme também sabe dar suas lições e não é gentil o tempo todo. Retratada como uma típica babá inglesa, Mary Poppins desce das nuvens, voa com seu guarda chuva, dança e canta com animais. Assim, ela consegue trazer um pouco de magia ao cotidiano de duas crianças, que se sentem abandonadas pelos pais.

O pai das crianças, George é um importante banqueiro, que não tem tempo para nada mais do que o seu trabalho. A mãe deles, Winifred (Glynis Johns) está ocupada lutando pelos direitos das mulheres. Embora isso possa soar como algo extremamente moderno, é exatamente o contrário. Dessa forma, o filme dá a entender que uma vez que a mãe está na rua, lutando pelos seus direitos, seus filhos estão abandonados em casa, precisando dos cuidados de outra mulher.

Mary Poppins mistura animação com live-action, que era uma técnica moderna para a época em que foi feita. Travers, por sua vez, odiou todas as sequências que tinham animação, já que ela tinha concordado em autorizar o filme, desde que ele não fosse uma animação.

Andrews e Dick Van Dike na sequencia dos pinguins

Aspectos técnicos

O filme também é repleto de sequências de dança incríveis, como a da chaminé e a dança dos pinguins. As músicas foram compostas para o filme e entre elas estão The Perfect Nanny, The Life I Lead, Feed The Birds, Step in Time, Chim Chim Cheree e as famosas A Spoonful of Sugar e Supercalifragilisticexpialidocious.

O elenco conta com Julie Andrews, na época em cartaz na Broadway, como protagonista de My Fair Lady. A princípio ela chegou a recusar o papel, já que esperava resposta para atuar na versão cinematográfica de My Fair Lady. Entretanto, o papel acabou ficando para Audrey Hepburn, que era mais famosa que Andrews, e a segunda aceitou o papel em Mary Poppins.

Mais tarde, as duas atrizes foram indicadas ao Globo de Ouro, por seus respectivos papéis. Andrews ganhou e em seu discurso agradeceu Jack Warner, na época presidente da Warner Bros, que não a escalou para o papel em My Fair Lady e que portanto tornou a sua vitória possível. Andrews também ganhou o Oscar de melhor atriz por Mary Poppins (e Hepburn nem chegou a ser indicada) e foi em função de sua atuação nesse filme, que ela foi escolhida para ser a protagonista de A Noviça Rebelde, provavelmente o filme pelo qual ela é mais conhecida.

Mary Poppins
Uma das montagens do musical

E o que mais?

Além de Andrews, o filme tem no elenco Dick Van Dike, que originalmente queria interpretar o vilão, mas acabou ficando com o papel de Bert, o limpador de janelas que é o par romântico não declarado de Mary Poppins.

O filme se passa nos anos 1910, mas foi filmado nos anos 60, por isso o figurino soa como uma mistura das épocas. Ou seja, como se as roupas fossem no estilo de 1910, mas com as cores dos anos 60. Uma mistura que funciona muito bem e deixa o filme ainda mais alegre e colorido.

Mary Poppins foi indicado a treze Oscars e levou para casa o de melhor atriz, melhor efeitos visuais, melhor canção original e melhor trilha sonora.

Mary Poppins
Emily Blunt como Mary Poppins no filme Mary Poppins Return

Nos palcos

Na Broadway, Mary Poppins ficou em cartaz até 2016 e a peça já foi encenada em mais de dez países, entre eles Austrália, Canadá, Republica Tcheca, Dinamarca, Alemanha, Japão e Itália.

Um filme que mostra a relação de Travers com Walt Disney foi lançado em 2014, e leva o nome de Walt nos Bastidores de Mary Poppins e traz Emma Thompson como Travers e Tom Hanks como Walt Disney. Já Mary Poppins vai fazer outra parada no cinema ainda esse ano, no filme Mary Poppins Returns, baseado em outro livro da mesma autora e com Emily Blunt no papel principal.

Mary Poppins é tecnicamente um filme infantil, mas tem encantado adultos e crianças durante anos, com músicas, danças e sequências divertidas e bem executadas, deixando a personagem para sempre no imaginário popular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar