Asterix e o Segredo da Poção Mágica

Espetáculo visual diverte, mas se perde na mensagem

Criado em 1959 por Albert Uderzo e René Goscinny, o guerreiro gaulês e a turma do vilarejo conquistaram relevância na cultura pop através não só dos ótimos quadrinhos (que sempre foram publicados por aqui pela Editora Record, agora será pela Panini), como também das adaptações para o cinema (em animações fieis aos originais, até os interessantes live-actions). Até que, em 2014, as aventuras receberam nova roupagem em “Astérix e o Domínio dos Deuses”, animação em 3D dirigida por Alexandre Astier e Louis Clichy, que adapta uma das mais clássicas HQs. A dupla retorna agora para esse longa em uma história original.

O Segredo da Poção Mágica começa após o druida Panoramix cair de uma árvore. Esse evento trivial causa uma epifania no sábio, que passa a crer que precisa de um substituto. Sendo a única pessoa capaz de criar a famosa Poção Mágica que dá força a seu povo, o que impediu o Império Romano de conquistá-los, cabe ao velhinho passar a receita a um jovem talentoso druida para que a fonte de poder não morra com ele.

Após tentar de todas as formas convencê-lo de que tudo não passou de um simples acidente, Asterix e Obelix são recrutados para acompanhá-lo nessa aventura por todo o país. Enquanto isso, o Império Romano firma uma perigosa aliança com um druida renegado que coloca os gauleses em risco.

Asterix e o Segredo da Poção Mágica

Asterix e o Segredo da Poção Mágica

Com uma animação de qualidade técnica singular, o estúdio Mikros Image estabelece uma identidade para o 3D. Ela transpõe perfeitamente o traço de Uderzo, sem cair no clichê hollywoodiano do gênero. Assim, aliado a cores e efeitos especiais exuberantes, com pequenos detalhes e grandes cenários de encher os olhos. É uma animação bonita de se ver.

Por outro lado, como o roteiro não adapta nenhuma das dezenas de histórias clássicas escritas por Goscinny ou posteriormente Uderzo (ou por Jean-Yves Ferri, que junto do desenhista Didier Conrad, tem realizado as novas HQs), o enredo original tenta ao máximo emprestar elementos que consagraram Asterix e cia., das gags ao estilo narrativo, mas a falta de foco denota um apuro maior por parte da produtora.

O vilão Sulfurix é bem estabelecido na trama e os planos de César são eficientemente simples, mas conceitos interessantes como os conselhos dos druidas, a floresta sagrada e principalmente a garotinha Pectine, parecem ótimos ganchos que são mal aproveitados, esquecidos aqui e ali e que deixam a desejar, prometendo algo que nunca chega.

Asterix e o Segredo da Poção Mágica

O que esperar

Astier e Clichy compreendem a linguagem de Uderzo e Goscinny e ousam com uma história original. Entretanto, o clímax que flerta com um grande combate à lá “robô e monstro gigante” soa bastante destoante da obra original. Assim, parece nunca ornar com o que conhecemos de Asterix. Em compensação, novas ideias, como uma rápida aliança entre os romanos e os gauleses para enfrentar um inimigo em comum, e um maior protagonismo feminino – como as mulheres tendo de defender a aldeia quando os homens vão atrás do trio pelo país, e até da própria Pectine despontando como a primeira druida mulher (além de guardar semelhanças conceituais com Adrénaline, da HQ “A Filha de Vercingetorix”, o que prova que os responsáveis pela franquia vem se preocupando com uma maior representatividade) – são mais do que bem-vindos.

E tudo isso, aliado ao carisma da dupla protagonista, do resignado Asterix – um herói de poucas falas e muitas ações –, é tão contagiante quanto a fofura de Obelix, que é capaz de arrancar risadas em pequenas ações.

Asterix e o Segredo da Poção Mágica respeita suas bases e brilha ao ousar na narrativa. Tem um visual impecável, mas ainda precisa de muito javali e sopa para transmitir todas as mensagens que quer.

Astérix e o Segredo da Poção Mágica

Nome Original: Astérix: Le secret de la potion magique
Direção: Alexandre Astier, Louis Clichy
Elenco: Vozes de Christian Clavier, Guillaume Briat, Alex Lutz
Gênero: Animação, Aventura, Comédia
Produtora: M6 Studio
Distribuidora: M6 Vidéo
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar