Oitava Série

A adolescência na época das redes sociais

Kayla (Elsie Fisher) tem 13 anos e está prestes a começar o high school – o ensino médio americano -, e tudo que ela deseja é se sair melhor nesse período do que se saiu na oitava série.

Enquanto lida com a ansiedade, Kayla posta vídeos nas redes sociais onde finge ser o que não é: uma garota popular, segura e cheia de amigos, e tenta navegar com tranquilidade por seus anos de adolescência.

A adolescência

A adolescência costuma ser um assunto comum no cinema e isso acontece porque o período pode chamar a atenção de boa parte das pessoas, afinal, todo mundo já foi adolescente um dia. Oitava Série parte mais ou menos desse princípio.

Elsie Fisher como Kayla em Oitava Série
Elsie Fisher como Kayla

Kayla está na sua última semana na oitava série, portanto, no próximo ano ela estará no colegial e pretende ser diferente quando fizer essa mudança, já que atualmente ela é uma adolescente solitária, tímida e desajeitada.

Uma das coisas interessantes no filme é a maneira com que esse período da vida é retratado, que foge do glamour de filmes adolescente americanos ou de ideias idílicas de como de fato é ser adolescente. Poucas coisas na vida de Kayla são divertidas e ela parece estar sofrendo boa parte do tempo.

Oitava Série é, nesse sentido, um filme de formação, onde acompanhamos Kayla crescendo e aprendendo a navegar no mundo dos adolescentes, enfrentando meninas populares malvadas que não pensam duas vezes ao fazer chacota com ela, lutando com a dificuldade de falar com Aiden (Luke Prael), o garoto que ela gosta que não está nem vagamente interessado nela, e tendo novas experiências, mesmo que elas não sejam sempre positivas.

O filme mostra experiências comuns aos adolescentes
O filme mostra experiências comuns aos adolescentes

A internet

Outra grande questão do filme é a enorme presença da internet e das redes sociais na vida de Kayla e de todos os adolescentes. O longa acompanha uma geração que não conhece o mundo sem internet e que pauta boa parte de sua interação social e sua aceitação e autoestima no que acontece nas suas redes sociais.

Kayla, por exemplo, passa boa parte do tempo no seu celular, para a frustração de seu pai, Mark (Josh Hamilton) que, sendo de outra geração, não consegue compreender – e nem acha saudável – que o mundo de Kayla realmente exista basicamente na internet. A internet, na teoria, poderia ser o lugar onde a protagonista tem a liberdade para ser ela mesma, mas ela usa o recurso para postar vídeos onde finge ser popular e bem-resolvida, como se projetasse a imagem que gostaria de ter no futuro.

As redes sociais e os aplicativos de mensagem também determinam a maneira com que ela se comunica com os outros adolescentes, como por exemplo, quando Aiden diz que terminou com sua ex-namorada porque ela se recusou a lhe mandar nudes e Kayla se oferece para mandar uma foto para ele, mesmo sem ter nenhuma, ou quando Kennedy (Catherine Oliviere) não convida Kayla para a sua festa pelo Facebook, mas a mãe dela avisa Mark que Kayla está convidada e somente as duas meninas entendem que Kayla não está mesmo convidada, embora seus pais achem que está tudo certo.

Oitava Série acompanha adolescentes que vivem nas redes sociais
Oitava Série acompanha adolescentes que vivem nas redes sociais

Aspectos técnicos de Oitava Série

O roteiro não apresenta muitas reviravoltas, uma vez que acompanha o dia a dia de uma adolescente comum e que a ideia por trás do filme é mostrar uma abordagem realista, sem a glamourização comum de filmes que retratam esse período e sem os clichês tão conhecidos do cinema americano.

Oitava Série segue Kayla em momentos comuns à adolescência de boa parte da audiência, mas também em momentos que fazem mais sentido para uma geração mais jovem, que se vê vivendo essa época de frente a existência das redes sociais e das pressões que a internet traz, especialmente para os adolescentes.

Kayla é tímida e realmente desajeitada, diferente do que geralmente acontece em filmes do gênero, onde essa falta de jeito é claramente simulada. A protagonista realmente parece perdida, em dúvida e tentando a todo custo se encaixar, e as cenas são até difíceis de assistir.

O elenco de Oitava Série é composto por jovens que tem a idade de seus personagens
O elenco é composto por jovens que tem a idade de seus personagens

Isso acontece porque o elenco é composto por adolescentes de verdade, que não só tem aparência de adolescente, como também se comportam como tal. A prática de escalar adolescentes – que não é comum no audiovisual – ajuda muito a produção, porque faz de Kayla uma personagem crível, a plateia acredita que ela tem as mesmas dúvidas e os mesmos medos que eles também tiveram quando eram adolescentes e que ela realmente não sabe o que fazer na maior parte do tempo. Elsie Fisher, aliás, é um dos pontos altos do filme, ela está muito bem como Kayla.

O filme pode ser tornar um pouco parado depois de um tempo, justamente porque reflete uma rotina comum de adolescente, cheia de tédios e com poucos acontecimentos relevantes a longo prazo – mesmo que soem muito relevantes para o adolescente -, mas Oitava Série também é um filme com o qual é possível se reconhecer e que pode agradar tanto adultos, que reveem seu passado e compreendem mais uma vez os mais jovens, quanto os adolescentes, que certamente se verão em cena, mesmo que não da maneira mais elogiosa.

Oitava Série (Eighth Grade) 2018 - Trailer Legendado

Oitava Série

Nome Original: Eighth Grade
Direção: Bo Burnham
Elenco: Elsie Fisher, Josh Hamilton, Daniel Zolghadri, Deborah Kara Unger, Frank Deal
Gênero: Comédia, Drama
Produtora: A24
Distribuidora: Sony Pictures
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar