Ponto Cego – Blindspotting

Daveed Diggs vive ex-condenado que não pode escapar da violência de Oakland, na Califórnia

“O filme segue Collin, que deve passar pelos últimos três dias de liberdade condicional para ganhar a chance de um novo começo. Ele e seu amigo de infância problemático, Miles, trabalham como transportadores e, quando Collin testemunha um tiroteio policial, a amizade dos dois homens é testada à medida que lidam com suas identidades e diferentes realidades no bairro em que cresceram.”

A realidade de muitos

Ponto Cego traz um tema muito relevante para a sociedade: a violência da polícia contra jovens negros nas periferias. Ou seja, a história de Collin poderia ser vivida em inúmeras partes do mundo.

Rafael Casal é Miles e Daveed Diggs é Collin
Rafael Casal é Miles e Daveed Diggs é Collin

Amigos e colaboradores de longa data, Daveed Diggs e Rafael Casal co-escrevem e estrelam esta história oportuna e divertida sobre amizade e interseção de raça e classe social tendo como pano de fundo a cidade de Oakland, na Califórnia. Contagiado com o espírito do rap e do hip hop, a produção evoca uma brilhante provocação com humanidade.

Collin está seguindo as regras da condicional. Ele deve estar em casa às 23h e não deve se envolver em brigas, mexer com armas ou drogas. E ele realmente não faz nada disso. Mas seu amigo de infância Miles, mesmo com filho pequeno em casa, vive metido em encrencas. Chega a ser um pouco caricato ver o quanto Miles é exagerado nos seus trejeitos do gueto, sempre fumando, usando grillz nos dentes, idolatrando armas (outra questão muito relevante aí) e tirando sarro da moça que gosta de meditar e tomar suco verde.

O medo de se tornar estatística está presente em Ponto Cego

Com cenas de descontração misturadas à outras de pura tensão, acompanhamos estes três últimos dias de liberdade condicional, torcendo por Collin. Ele consegue enxergar as diferenças de tratamento entre brancos e negros e isso está inclusive no motivo que o levou à prisão, que será revelado posteriormente, em uma cena descritivamente maravilhosa chamada de “ménage à trois da violência”. Outro ponto alto do longa são as cenas de pesadelo vividas por Collin, este homem que está constantemente preocupado com o mundo ao seu redor, tomando os devidos cuidados para que nada dê errado e ele não precise voltar para a prisão. Algumas cenas trazem uma “aura” de videoclipe, dando uma certa poesia nascida no rap da dupla.

Sempre demonstrando o amor por Oakland
Sempre demonstrando o amor por Oakland

Há também a questão da identidade, onde pode-se até dizer que “o branco se porta como negro, e o negro tem medo de ser negro”, o que atinge todas as minorias que sofrem violência pelo mundo. O medo de ser você mesmo, o sonho de andar na rua e não ser importunado. Miles incentiva seu pequeno filho a ser “um cara durão”, mas quando o garotinho pergunta a Collin por que ele foi parar na prisão, ele responde “por ser um cara durão”.

Aclamado no Festival de Sundance, Ponto Cego é um filme repleto de energia, estilo e humor, sendo o primeiro longa metragem do diretor Carlos López Estrada. O filme entra em cartaz nos cinemas dia 04 de outubro e vale muito o ingresso!

Ponto Cego

Nome original: Blindspotting

Elenco: Daveed Diggs, Rafael Casal, Janina Gavankar, Jasmine Cephas Jones, Ethan Embry, Tisha Campbell-Martin

Direção: Carlos López Estrada

Gênero: Comédia, Crime, Drama

Produtora: Foley Walkers Studio, Snoot Entertainment

Distribuição: Paris Filmes

Tags

Veri Luna

Veri Luna é fotógrafa, videomaker, formada em pedagogia e audiovisual, ama cinema, livros, comida e gatos.

Matérias Relacionadas

Close