Livros

Tubarão, o livro de Peter Benchley que deu origem ao filme

Devore ou seja devorado. Você não está vendo, mas ele está lá no fundo, observando suas pernas se mexerem nas águas turvas. A mais perfeita máquina assassina da natureza, o predador que mantém seu posto no topo da cadeia alimentar desde a época dos dinossauros. Um torpedo de carne, ossos e dentes. Não há para onde fugir. Se você sempre devorou livros, chegou a hora da revanche. Tubarão é o clássico romance de Peter Benchley que deu origem ao primeiro blockbuster de Steven Spielberg. Mas, mesmo antes do sucesso na telona, o frenesi alimentar de Jaws se transformou num fenômeno de vendas. O best-seller internacional foi o principal responsável em elevar a fera de barbatanas dorsais ao status de perfeita encarnação do mal. Se já existiu um bicho-papão na natureza, ele está dentro d’água. A história se passa em Amity, um balneário ficcional situado em Long Island, Nova York. Quando o corpo de uma turista é encontrado na praia, o chefe de polícia Martin Brody ordena o fechamento das praias da região.

Fonte: https://www.amazon.com.br/Tubar%C3%A3o-Peter-Benchley/dp/8566636368

Publicado em 1974, Tubarão foi um fenômeno de vendas desde o seu lançamento. Talvez isso se deva a uma ação de marketing da editora original, que fez com que o livro fosse incorporado em diversos catálogos de clubes de vendas de livros e claro, ao fato do livro ter sido comprado para ser adaptado para o cinema antes da publicação.

No livro, acompanhamos o dia a dia de uma cidade turística nos Estados Unidos, chamada Amity, que sofre um ataque de tubarão, levando à morte de uma garota. Inicialmente as autoridades acreditam que o ataque é um caso isolado, por isso não divulgam o fato, porém, rapidamente mais dois ataques acontecem e fica impossível negar que há uma fera rondando o balneário.

O protagonista da história é Martin Brody, o chefe da policial local que quer isolar as praias e avisar os banhistas. Em oposição a ele, temos Larry Vaugham, o prefeito de Amity, que não quer avisar ninguém para não estragar o movimento da cidade, que vive basicamente de turistas. Esse embate entre o herói da história, que só deseja fazer o bem, e o poder da cidade, que só visa o lucro, se perpetua pelo livro todo.

O tubarão do filme.

Além disso, nós acompanhamos o dia a dia de outros moradores da cidade e como todo bom livro de suspense, Tubarão tem diversos personagens com segredos guardados. É verdade que o livro não se aprofunda na maioria dos personagens, mas deixa o leitor curioso com o que acontece por ali. O livro também fala de corrupção pelo poder, uma vez que o prefeito da cidade prefere arriscar a vida de outras pessoas do que perder o dinheiro que o turismo lhe rende.

O autor do livro também teve a preocupação de fazer uma pesquisa antes de escrever o livro, por isso ele nos passa alguns fatos verdadeiros sobre os hábitos dos tubarões, então, pode-se dizer que o livro ensina algumas coisas. Por outro lado, o livro também é responsável pela fama que os tubarões têm hoje em dia.

O tubarão do livro é retratado como mau e sedento de sangue humano, o que não é exatamente verdadeiro. Sabe-se que na maioria das vezes os tubarões atacam humanos porque não enxergam direito e acreditam que os humanos são tartarugas. Não existe qualquer registro de tubarões atacando humanos por prazer, como o que vemos no livro.

Robert Shaw, Roy Scheider e Richard Dreyfuss em cena do filme.

A ideia de Peter Benchley criou esse monstro no imaginário popular, o que automaticamente deu o pontapé inicial para todo um gênero de filme, os de tubarões, dos quais temos Do Fundo do Mar(1999), Mar Aberto(2003), Águas Rasas(2016), Sharknado(2013), Tubarão Fantasma(2013), Megatubarão(2018), Tubarões da Areia(2012) e as milhares de sequências da maioria desses filmes. E naturalmente, os filmes que seguem o mesmo estilo, mas tem outras criaturas como algozes, como Anaconda(1997), Mega Piranha(2010), Piranha(1978), Pânico no Lago(1999) e afins.

Como eu disse lá em cima, os direitos de Tubarão foram comprados antes do livro sequer ser publicado, e o filme estreou em 1975. No filme, temos basicamente os mesmos personagens, mas ficamos mais focados em Martin Brody, por isso, muitas das subtramas que aparecem no livro, não estão no filme. Tubarão foi indicado a quatros Oscars e ganhou três (Trilha Sonora, Mixagem de Som e Edição).

Martin Brody, o herói da história

O filme também ganhou três sequências, em 1978, 1983 e 1987.

Tubarão é um livro que mistura suspense e aventura e que foi responsável pela criação de uns dos monstros naturais mais aterrorizantes da cultura pop.

Spielberg copiou esse efeito do mestre Hitchcock
Tags
Mostrar Mais

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close