Um Segredo em Paris, o dia a dia na cidade

Em Um Segredo em Paris, Mavie (Lolita Chammah) é uma jovem mulher que mora de favor no sofá de uma amiga (Virginie Ledoyen). Ela tem apenas alguns pertences e um gato. Tudo muda quando ela encontra um anúncio que oferece um quarto em troca de algumas horas de trabalho em uma livraria.

Mavie, que gosta muito de ler, se candidata a vaga e é aceita pelo dono da livraria, Georges (Jean Sorel). Então, a relação entre os dois começa a florescer. Ao mesmo tempo que Mavie começa a descobrir um segredo de Georges.

O Dia a Dia de Mavie

Um Segredo em Paris tem como intenção acompanhar a vida de Mavie. Mas é só isso que o filme faz literalmente. Não há nenhuma grande virada. Talvez a espera por um plot twist seja um caguete provindo da influência do cinema americano. Mas Um Segredo em Paris está bem longe disso.

Georges e Mavie
Georges e Mavie

É comum que filmes europeus sejam mais parados mesmo. Mas este é parado até para um filme europeu. Acontece pouquíssima coisa na sua uma hora e dez minutos.

Um Segredo em Paris

O filme dá a entender que pode acontecer um romance entre Mavie, uma jovem que tem em torno de 30 anos e Georges, um senhor em torno dos 70. Mas isso não se desenvolve. A relação entre Mavie e a moça com quem ela divide o apartamento também se resume a conversas sobre os relacionamentos amorosos das duas. O segredo de Georges também ganha pouco destaque e mais tarde, um outro romance que aparece na vida de Mavie, também não leva a muita coisa.

O filme tem algumas coisas interessantes como a caracterização da personagem de Mavie, que aparece como uma moça tímida que usa roupas com um perfume dos anos 50 e 60. E a diferenciação que existe entre ela e a amiga, que é mais despojada que ela. O longa também faz algumas citações, como os nomes e autores de alguns livros que aparecem na livraria ou que são temas de conversas entre Mavie e Georges e mais tarde, um filme indiano que a protagonista assiste no cinema, que podem ser interessantes, mas não dizem muita coisa.

O filme apresenta diversas tramas
O filme apresenta diversas tramas

Em algumas cenas, a diretora, Élise Girard, tenta um humor quase negro, que não é divertido e que deixa a plateia meio sem reação. A verdade é que o filme vai ficando cada vez mais tedioso, já que nenhuma das tramas que são apresentadas se desenvolve.

A sensação que se tem é que se está assistindo o dia a dia de uma pessoa completamente normal. Que poderia ser o dia a dia de qualquer um de nós. Por isso, o filme só se segura enquanto ainda tem nas mangas as promessas que ele faz no começo.

Aspectos técnicos

Os aspectos técnicos do filme, por outro lado, são bons. A fotografia é muito bonita, mesmo porque o filme se passa em Paris e a cidade sempre dá um charme a mais a sua cinematografia. A direção de arte também é bem interessante, dando ênfase a cores mais escuras, como se para retratar o humor de Mavie.

Mavie e sua colega de quarto
Mavie e sua colega de quarto

O mesmo pode ser dito do figurino dos personagens. A única personagem que usa roupas alegres é a amiga de Mavie, que parece estar feliz desde que o filme começa. Mavie, que se vê constantemente frustrada, usa tons entre o preto e o marrom e está sempre de cabelo preso. Talvez para mostrar o quanto ela mesma se sente presa, tanto naquela vida, quanto na sua própria personalidade. Georges, o dono da livraria, guarda vários segredos, e também usa roupas escuras, como se para mostrar que por trás do semblante simpático, se esconde outra coisa.

Um Segredo em Paris é um filme que sem dúvida, tem qualidade técnica, mas falha no roteiro e deixa o espectador entediado e frustrado. O filme entra em cartaz no dia 15 de novembro.

Um Segredo em Paris

Nome Original: Drôles d'oiseaux
Elenco: Lolita Chammah, Jean Sorel, Virginie Ledoyen, Pascal Cervo
Direção: Élise Girard
Gênero: Comédia, Drama
Produtora: KinoElektron
Distribuidora: Pagu Pictures
Tags

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close