Xanadu, 1980

Kira, deusa grega da dança, vem à Terra ajudar o artista Sonny Malone a realizar seu grande sonho de abrir uma inovadora casa noturna. O experiente dançarino Danny McGuire também contribui na empreitada, mas tudo se complica quando Kira acaba se apaixonando por Sonny, contrariando as ordens de Zeus.

Sonny Malone (Michael Beck) é um pintor que anda sem inspiração e mal tem dinheiro para sobreviver. Um dia, andando na praia, ele conhece Danny McGuire (Gene Kelly), que sonha em abrir uma discoteca. Sonny, então resolve se juntar a Danny e os dois ainda contam com a ajuda de Kira (Olivia Newton-John), musa do olimpo, que acaba se apaixonando por Sonny.

O filme é um remake de Quando os Deuses Amam, de 1947, que é a continuação do filme de 1941, Que Espere o Céu. Xanadu, no caso é o nome da boate que Sonny e Danny querem abrir, mas faz referência ao poema Kubla Khan, de Samuel Taylor Coleridge, que também é citado no filme.

O filme

Xanadu raramente é lembrado quando se fala em musicais, talvez porque ele tenha sido um fracasso tanto de crítica, quanto de público na época de seu lançamento, mas o filme tem sim, coisas interessantes.

As musas
As musas

O filme é uma mistura de fantasia típica dos anos 40, justamente porque é inspirado em um filme dessa época, com músicas e temas dos anos 70 e 80. A junção disso é quase uma ópera rock bizarra, bem típica do final dos anos 70 e começo dos anos 80.

O resultado é um filme que não poderia ser de outra década que não os anos 80, repleto de discotecas, cabelos armados, roupas brilhantes e até números musicais em cima de patins. Xanadu é uma diversão sem limites!

No elenco, estão Olivia Newton-John, famosa por seu papel como Sandy em Grease – Nos Tempos da Brilhantina e o mais interessante, Gene Kelly em seu último papel. Só isso já seria o suficiente para fazer de Xanadu um filme importante.

Olivia Newton-John e Michael Beck em cena do filme
Olivia Newton-John e Michael Beck em cena do filme

Trilha sonora

O filme pode não ter feito o sucesso que se esperava, mas a trilha sonora vendeu como água, e chegou até a ganhar o disco de ouro no Reino Unido. Entre as músicas feitas para o filme estão Magic, I’m Alive, All Over The World, Suddenly e a música tema do filme, Xanadu. São interpretadas pela própria Olivia e pela banda Electric Light Orchestra.

Xanadu ganhou um status de cult, quando os anos 80 voltaram à moda, justamente porque o filme é tipicamente da década. Ele também fez sucesso entre os fãs de filmes trashs e com o público gay.

Prêmios (ou a falta deles)

Diferentemente de todos os musicais sobre os quais já falei, Xanadu não levou nenhum Oscar para casa, muito pelo contrário. Xanadu foi o motivo pelo qual criaram o Framboesa de Ouro, premio que escolhe os piores filmes do ano, então, naturalmente, Xanadu foi indicado a sete Framboesas de Ouro e só levou o de pior diretor.

Cena da montagem da Broadway
Cena da montagem da Broadway

Mesmo com todas as críticas negativas e as Framboesas de ouro, Xanadu chegou aos palcos da Broadway em 2007, com algumas alterações no roteiro original. Na peça, além das musas que querem ajudar Sonny, temos também musas malignas, que querem atrapalhá-lo. Outro diferencial é que a própria peça tira sarro do filme.

Surpreendentemente, Xanadu foi um sucesso de público, ficou um ano em cartaz e foi indicado a diversos Tonys. Um destino um tanto quanto inusitado para um musical que recebeu tanta atenção negativa.

Com certeza trash, mas nem por isso menos interessante e divertido, Xanadu é um filme típico dos anos 80, que pode entreter o público e tem uma ótima trilha sonora.

Tags

Fernanda Cavalcanti

Formada em cinema, apaixonada por literatura, divide seu tempo livre entre ler, escrever e dançar. Gosta especialmente de terror, mas lê/assiste de tudo. Também escreve para o blog Além da Toca do Coelho.

Matérias Relacionadas

Close