Algum Lugar Especial (Nowhere Special)

Como aceitar a morte tendo que romper um elo fraterno?

Inspirado em uma história real, Algum Lugar Especial narra a história de John (James Norton), um limpador de vidros de 34 anos que dedicou sua vida a criar seu filho sozinho, após o abandono da mãe da criança logo após o parto. Sofrendo de uma doença que lhe condenou a poucos meses de vida, John tenta encontrar uma nova família que seja perfeita para seu filho de três anos, capaz de suprir esse momento da perda.

Minha intenção não é estragar a experiência de cada espectador ao assistir ao filme, então vou tentar ao máximo apenas descrever a receita do bolo sem revelar o toque do chefe.

Para um fã de filmes dramáticos como eu, esse drama é um prato cheio. Além do fato de retratar uma história real, o que deixa tudo com muito mais afinidade ao emocional, o longa tem um enredo muito terno para tratar de um assunto muito sentimental, a morte.

E a morte aqui não é definida simplesmente pelo fato da passagem, do final de uma vida, mas traz consigo a percepção e absorção do processo tanto por parte do pai, cujo destino está sentenciado, quanto por seu filho que ainda não desenvolveu uma maturidade para assimilar essa perda.

ALGUM LUGAR ESPECIAL

Algum Lugar Especial

John é um pai muito dedicado ao cuidar de seu filho de 3 anos, Michael, e, apesar da meia idade de John, ele demonstra ter uma sabedoria para conduzir a sua condição, como responsável pela criação do pequeno. A mãe do menino abandonou John e a criança logo após o parto, sem deixar paradeiro. Ele se vê agora com o dever de cuidar de seu filho sozinho. E como se não bastasse essa tarefa, sua saúde o condenou a ter uma vida com um curto tempo determinado, pois ele sofre de uma doença terminal.

Agora precisa lidar com essa realidade e ter a missão de destinar o futuro do seu filho para alguma família que possa o confortar e acolher.

No decorrer da história, John busca com o auxílio de um instituto de adoções, entrevistar e conhecer algumas famílias interessadas na adoção de Michael. Nessas visitas é possível notar as diferentes formas como as pessoas lidam com o fato da adoção, da sensibilidade para com John e das próprias condições de cada família.

Aliás, o filme demonstra diferentes formas de perspectivas e analogias de locuções e tempos, em relação a perda, em relação ao elo fraterno, e em relação a constituição familiar. Traz uma reflexão sobre como lidar com um momento tão delicado e a influência desse processo em uma criança de tão pouca idade.

ALGUM LUGAR ESPECIAL

Memória infantil

Falando nisso, dificilmente lembramos de algo anterior ao período de 3 a 4 anos de idade, a imaturidade dos sistemas neurais envolvidos na formação da memória, como o hipocampo, é insuficiente para o armazenamento a longo prazo.

As crianças vivem em um mundo pré-linguístico e, sem a linguagem, há dificuldade de representatividade das memórias. Por isso, aqui fica outra reflexão: como abordar esse tema com uma criança? Como seria a memória afetiva do seu filho em relação à sua perda? Como uma criança concebe a ideia da morte?

ALGUM LUGAR ESPECIAL

Luto infantil

Não existe uma definição para os estágios do processo da morte na concepção das crianças, a idade delas afeta as maneiras pelas quais ela provavelmente irá expressar seus sentimentos e o tipo de apoio que irá necessitar dos adultos que a circundam. Geralmente, a absorção do processo de luto fica condicionada às referências imagináveis como: ”uma estrelinha no céu”. E, na trama, todo esse processo é narrado com muita sensibilidade, com mensagens simbólicas e cenas interpretativas ao público.

Esse foi o modo mais singelo que pude descrever a história do filme. Como havia dito no começo, é uma experiência muito válida e inspira reflexões e assuntos para dividir com os amigos e familiares. Vale muito a pena conferir e compartilhar essa imersão de sentimentos, então fica aqui o convite. Algum Lugar Especial entra em cartaz hoje, dia 17 de junho.

Algum Lugar Especial - Trailer

Algum Lugar Especial

Nome Original: Nowhere Special
Direção: Uberto Pasolini
Elenco: James Norton, Daniel Lamont, Eileen O'Higgins
Gênero: Drama
Produtora: Picomedia
Distribuidora: A2 Filmes
Ano de Lançamento: 2020
Tags

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar