As Ineses, uma comédia argentina de erros

Na comédia As Ineses, as vizinhas Carmen (Brenda Gandini) e Rosa (Valentina Bassi) dão à luz no mesmo dia e no mesmo hospital. Ambas concebem meninas, e além disso, as duas tem o mesmo sobrenome.

Quando as mães recebem seus respectivos bebês, elas acham que o hospital pode ter feito uma confusão. Carmen é loira e é casada com um homem loiro (Luciano Cáceres) e recebeu um bebê de pele morena. Rosa é casada com um homem negro (André Ramiro) e recebeu um bebê loiro. As duas decidem trocar os bebês e batizar as duas meninas de Inês, para evitar uma confusão no futuro.

Comédia de erros

As Ineses pode ser definido como uma comédia de erros. Logo no começo, quando tanto Carmen quanto Rosa mostram sinais de que suas bolsas estouraram, acompanhamos Pedro, o marido de Carmem, levando as duas mulheres ao hospital. Eles passam por ruas sem asfalto e despertam a curiosidade de todos no local.

Carmen e sua mãe
Carmen e sua mãe

Essa sensação vai aumentando conforme vemos a confusão que é mais da parte da família, do que das mães, em relação às bebês. Mais tarde, quando as Ineses estão maiores, elas são confundidas o tempo todo na escola. Embora não se pareçam fisicamente, elas têm o mesmo nome e sobrenome.

As Ineses é um filme divertido, com momentos que são capazes de fazer a plateia rir. O filme não gera gargalhadas, mas nem parece ser essa a intenção. O fato ter muitas cenas divertidas, não quer dizer que ele não tenha cenas emocionantes e momentos que fazem a plateia refletir. De uma maneira bem leve, fica claro que o filme trata de temas um pouco mais profundos que apenas uma confusão na maternidade.

Rosa e Carmen batizam as Ineses
Rosa e Carmen batizam as Ineses

Preconceito

O preconceito não é o tema principal de As Ineses, mas é natural que esse assunto surja. O filme se passa nos anos 80 e 90, por isso, precisamos analisá-lo com os olhos da época. Pedro, o marido de Carmen é considerado um bom marido, mas ele a trata mal algumas vezes e quer proibi-la de fazer certas coisas. Ele inclusive, desconfia da fidelidade de Carmen quando recebe o bebê de pele mais escura. Além disso, ele que já é pai de duas filhas, está desesperado para ter um filho homem.

Ramon, o marido de Rosa, por outro lado, não é considerado um bom marido. Ele é um pouco mais violento que Pedro, e faz um escândalo quando recebe o bebê loiro, acusando Rosa de traí-lo. Mais tarde, quando a filha dos dois já é maior, ela diz que não quer casar porque “as casadas choram o tempo todo”, demonstrando na sua percepção de criança o que ela vê em casa. À sua maneira, o filme também fala sobre machismo, especialmente o machismo do cotidiano que muitas vezes passa despercebido.

Leia sobre Sueño Florianópolis, outra parceria entre Brasil e Argentina

Mas As Ineses é um pouco mais incisivo quando fala de racismo. Já percebemos que assim que a família de Carmen recebe o bebê, Pedro e a mãe de Carmen (Maria Leal) estranham a cor de pele da menina. Mesmo que a avó repita com uma frequência que se torna até irritante que a bebê de pele escura é linda, mas que ela provavelmente não é sua neta, o público nota que a cor de pele da menina é um grande problema para a família que é composta de loiros.

Mais tarde, quando os bebês estão trocados, a avó mais uma vez na inocência comenta “Estamos com a bebê certa, com a pele tão clara que parece uma boneca de porcelana”, no entanto a filha mais velha de Carmen e Pedro dá uma lição para todos os adultos quando fala “eu não me importo que ela tenha a pele morena, vocês se importam?”.

O filme questiona nossas ideias de família
O filme questiona nossas ideias de família

Ramon também não parece aceitar a filha loira. Uma vez que ele não se vê na criança e que isso seria o atestado comprovado de uma suposta infidelidade de Rosa. Também é dessa maneira que Pedro pensa.

O conceito de família

Outro ponto sobre o qual o longa trata é o conceito de família. As duas famílias são vizinhas e assim que retornam para casa com suas filhas recém-nascidas, eles acabam se tornando uma grande família. Até a avó, que não parece aceitar a bebê de pele escura no começo, depois passa a tratar as duas meninas de maneira igual e diz a todos que tem quatro netas (as duas Ineses e as duas filhas mais velhas de Carmen e Pedro).

Conforme as meninas vão crescendo, elas vão se tornando cada vez mais amigas e inseparáveis, como irmãs. Ao longo do filme, somos levados mais de uma vez a questionar o conceito de família e o que de fato forma uma família.

Carmen, a mãe e uma das Ineses
Carmen, a mãe e uma das Ineses
Aspectos técnicos de As Ineses

Este é um filme que retrata o cotidiano de duas famílias argentinas, por isso ele não exige muitos efeitos. Mas dentro do que o filme se propõe, a produção é bem feita. Podemos ver com clareza as casas da família, que são decoradas de maneira realista, o que em algumas pessoas pode até causar um reconhecimento. O adendo do filme se passar nos anos 80 e 90 faz com que exista uma maior preocupação nos figurinos e acessórios, que estão bem feitos. Mas nada que chame a atenção especificamente.

O elenco é, de uma maneira geral, divertido, e as crianças atuam muito bem e convencem em seus papeis. O grande destaque é de Maria Leal que interpreta a avó das meninas e que consegue ser um retrato perfeito da maioria das avós e ainda consegue colocar graça em boa parte dos momentos em que aparece. Muitas cenas engraçadas rondam a personagem.

As Ineses é uma comédia despretensiosa que diverte os espectadores e que faz pensar sobre preconceito e família. O filme entra em cartaz no dia 14 de fevereiro.

As Ineses

Nome Original: Las Ineses
Elenco: Brenda Gandini, Valentina Bassi, Byron Barbieri, María Leal
Direção: Pablo José Meza
Gênero: Comédia
Produtora: Cinematres e Cubo Filmes
Distribuidora: Okna Distribuidora
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar