Celular, de Stephen King – Zumbis da tecnologia

Clayton Riddell é um desenhista que acabou de conseguir um emprego em Boston. Como ele sempre teve dificuldade para arrumar trabalho, ele topa e deixa sua esposa, Sharon e seu filho, Johnny, no Maine. A família já está distante há um tempo, mas enquanto Clay está em Boston, uma onda é enviada para o celular de pessoas ao redor do mundo que tem o poder de transformar os humanos em zumbis.

Clay não tem um celular e, por isso, continua humano. Enquanto tenta fugir dos zumbis e encontrar seu filho de quem ele não tem notícias há um tempo, ele encontra Tom e Alice, que também não estavam com seus celulares na hora da onda.

Elenco do filme Conexão Mortal, baseado no livro Celular
Isabelle Fuhrman, Samuel L. Jackson, John Cusack e Owen Teague no filme Conexão Mortal

Celular – Uma trama apocalíptica

A história do livro se passa nos dias de hoje e acompanha Clay, um artista que tem bastante dificuldade em conseguir um emprego. Quando ele finalmente consegue, precisa se afastar da família. Em pouco tempo uma onda é transmitida pelos celulares que tem o poder de transformar os seus usuários em zumbis.

Como boa parte das pessoas está o tempo todo em seus celulares, quase todo mundo se torna zumbi. Clay é avesso à tecnologia e por isso não é afetado pelo impulso, mas se vê preso nesse planeta cheio de zumbis.

Com pouca gente em seu raciocínio normal, o mundo logo paga o preço e o cenário fica apocalíptico. O apocalíptico de Celular é bem próximo do que estamos acostumados a ver em filmes do gênero, ou seja, as ruas estão vazias, as lojas saqueadas e os zumbis são um perigo real. Em muitos aspectos, o cenário se parece com o de outro livro de King que também fala sobre o apocalipse, A Dança da Morte. Claro que as causas para o apocalipse dos dois livros são bem diferentes.

Tom, Alice e Clay
Tom, Alice e Clay

Zumbis diferentes

Celular também é um livro de zumbis, publicado mais ou menos na época em que essas criaturas começaram a aparecer em todos os tipos de mídia. Entretanto, apresenta zumbis um pouco diferentes. O comportamento dos zumbis aqui é bem parecido com o comportamento dos zumbis em outras obras que tratam do assunto, mas a maneira com que as pessoas se tornam zumbis é bem diferente.

Em Celular, as pessoas se tornam zumbis depois de ouvirem uma onda nos seus celulares e, como nos dias de hoje ninguém está sem celular, boa parte do mundo recebe esse impulso e passa pela transformação.

Celular é uma crítica a tecnologia
O livro é uma crítica a tecnologia

O protagonista do livro, Clay, não tem celular e, por isso, permanece humano, mas se preocupa com seu filho que passa o tempo todo com o celular na mão. Atualmente as histórias de zumbi estão um pouco batidas e o gênero já não está mais na moda, mas Celular ainda se mantém relativamente original devido a sua trama.

Os perigos da tecnologia

Acima de tudo, Celular é um livro sobre os perigos da tecnologia. Foi publicado em 2006, quando a tecnologia ainda não era o que é hoje em dia. Os celulares já estavam presentes em todos os lugares, como o próprio livro mostra, mas ainda não eram tão potentes e não tinham tantas funções como os dos dias atuais.

Clay é avesso a tecnologia
Clay é avesso a tecnologia

No entanto, os celulares são o maior perigo de toda trama, uma vez que são o veículo capaz de transformar as pessoas em zumbis. Todas as pessoas que atenderam seus celulares no momento em que a onda foi transmitida, viraram, automaticamente, zumbis.

O livro parte de um pressuposto bem simples, afinal, quem nunca ouviu falar que a pessoa está tão bitolada em tecnologia que se transformou em um zumbi? King, como é costumeiro nas suas obras, leva essa ideia aos extremos e nos apresenta o pior cenário possível.

O fato dos celulares terem o poder de transformar as pessoas em zumbis e do protagonista do livro ser avesso à tecnologia e por isso, estar, em parte, a salvo desse pesadelo, faz de Celular uma crítica à tecnologia e à dependência do ser humano a ela.

Os zumbis da trama são diferentes do que estamos acostumados
Os zumbis da trama são diferentes do que estamos acostumados
Adaptação de Celular

Celular é um livro relativamente recente e, por isso, só ganhou uma adaptação até hoje: o filme Conexão Mortal, de 2016, estrelado por John Cusack, Samuel L. Jackson, Isabelle Fuhrman e Owen Teague. Embora seja relativamente fiel à obra original, não é tão bom quanto o livro e apresenta pequenas mudanças na trama.

A leitura de Celular é fácil e rápida. A maneira com que o mundo apocalíptico é retratado pode soar repetitiva e sem graça, mas o desenvolvimento da história é muito interessante e os personagens são muito carismáticos. O leitor fica facilmente preso na trama e não consegue largar o livro, que é capaz de falar sobre os perigos da tecnologia, ao mesmo tempo que entretém e assusta.

Nome Original: Celular
Autor: Stephen King
Editora: Suma
Gênero: Terror
Ano: 2006
Número de Páginas: 384
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar