Cinefilia, de Antoine de Baecque

Analisando a paixão pelo cinema

Em Cinefilia, Antoine de Baecque analisa como a cinefilia surgiu na França, influenciada por uma série de publicações voltadas para o cinema e pela criação de cineclubes e analisa esse fenômeno de 1940 a 1960.

O autor

Antoine de Baecque nasceu em 1962 e se tornou historiador, pesquisador, crítico e biógrafo, especializado na Nouvelle Vague, movimento cinematográfico dos anos 1960, e na carreira dos cineastas François TruffautBaecque é inclusive o autor de François Truffaut: Uma Biografia -, Jean-Luc Godard e Éric Rohmer.

Baecque também é professor de história e estética do cinema e escreveu para a Cahiers du Cinéma e para o jornal Libération. Ele também foi roteirista do documentário Godard, Truffaut e a Nouvelle Vague, que também aborda o mesmo período do cinema francês.

Antoine de Baecque
Antoine de Baecque

O livro Cinefilia

Justamente por ser um especialista no período da Nouvelle Vague que Baecque é a opção ideal para escrever um livro que pesquisa a cinefilia, afinal, o movimento era composto basicamente por jovens cinéfilos que começaram a escrever sobre cinema e, mais tarde, se tornaram diretores.

Mas a análise de Baecque começa muito antes da Nouvelle Vague, e remonta aos anos 1940. O livro passa por uma série de eventos que formaram e ajudaram a cinefilia, como os cineclubes e a produção de críticas de cinema, uma vez que a cinefilia não se resume a assistir filmes, mas também a comentá-los e criticá-los.

No caso da França dos anos 1960, que não só criou a Nouvelle Vague como também foi o berço de cineastas como Truffaut e Godard, a obra destaca a importância da Cinemateca Francesa, comandada por Henri Langlois, onde esses jovens podiam se reunir e discutir sobre cinema.

Jean-Luc Godard e François Truffaut - Cinefilia
Jean-Luc Godard e François Truffaut

Cinema e política

Política não é o assunto principal de Cinefilia, mas é quase impossível desassociar a arte da política e não é diferente com o que é narrado no livro.

A França da década de 1960 é cenário de boa parte de Cinefilia e, por isso, é muito fácil relacionar os acontecimentos narrados no livro com a efervescência cultural que levou a revolta dos estudantes em maio de 1968.

Isso porque boa parte das mudanças que ocorrerem naquela década vieram de manifestações dos jovens. O caso que aparece no livro, por exemplo, tem a ver com a tentativa de demissão de Henri Langlois, programada pelo então ministro da cultura francês, André Malraux. O ato causou revolta entre os jovens cineastas e frequentadores da cinemateca, que então fizeram protestos em frente ao local. Entre eles estavam Truffaut, Godard e o ator da Nouvelle Vague, Jean-Pierre Léaud. A resposta do governo francês foi mandar fechar a cinemateca.

Protesto a favor da permanência de Henri Langlois na cinemateca francesa - Cinefilia
Protesto a favor da permanência de Henri Langlois na cinemateca francesa

Claro que Cinefilia é um livro que vai agradar mais quem gosta de cinema e quem conhece os filmes que são citados, mas a leitura pode ser prazerosa para quem quer conhecer mais sobre o assunto e para quem compreende o amor pelo cinema.

Nome Original: Cinefilia
Autor: Antoine Baecque
Editora: Cosac & Naify
Gênero: Cinema
Ano: 2003
Número de Páginas: 472

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar