Dollface (1ª temporada) – Realidade e fantasia

Jules (Kat Dennings) é uma jovem mulher que esteve em um relacionamento sério por bastante tempo, até que seu namorado (Connor Hines) termina com ela subitamente. Tentando se recuperar do término e recuperar a vida de solteira, Jules entra em contato com suas amigas mais antigas, enquanto lida com a sua própria imaginação.

A protagonista de Dollface é Jules, essa jovem mulher que se sente deslocada no trabalho, mas certa de seu relacionamento com Jeremy. Os dois namoram há bastante tempo e praticamente coabitam a vida um do outro, por isso para Jules é impensável viver sem Jeremy.

Madison, Jules e Stella
Madison, Jules e Stella

Até o dia em que ele, subitamente, termina com ela, sem dar nenhuma justificativa muito clara do motivo, o que a deixa completamente perdida. Mais do que isso, sem Jeremy, Jules não sabe muito bem como proceder, uma vez que os dois vêm dividindo a vida há um tempo e que, para ela, já era certo que eles se casariam logo.

Dollface

A sinopse faz parecer que a série é basicamente sobre uma mulher tentando curar as feridas de um relacionamento no qual ela estava muito investida, mas onde a recíproca não era verdadeira, mas a ideia não é exatamente essa.

A série, na verdade, é uma comédia que fala sobre os relacionamentos amorosos de Jules, mas também sobre seu trabalho, carreira e sobre suas amizades, e tudo de maneira muito divertida.

Kat Dennings em cena de Dollface
Kat Dennings em cena de Dollface

A vida de solteira

Jules e Jeremy terminam na primeira cena do primeiro episódio, então a série é, na realidade, focada no pós-término. Depois do choque do fim de seu relacionamento e, de certa maneira, de uma vida da qual ela já estava certa, Jules precisa voltar à sua vida de solteira.

A primeira coisa que ela faz é se reconectar com suas amigas mais antigas Madison (Brenda Song) e Stella (Shay Mitchell), que ela vinha negligenciando desde que começou a namorar. Stella recebe Jules de braços abertos e está mais do que disposta a voltar a sair com a amiga, já Madison torna tudo mais difícil, uma vez que ainda se sente magoada por sido esquecida.

Depois disso, Jules começa a buscar atividades que pode fazer sozinha ou eventualmente com suas amigas, sem que ela fique pensando o tempo todo no ex-namorado. Dollface, então, fala, mesmo que seja de maneira cômica e irônica, sobre a importância de se ter uma vida independente e não atrelar a sua felicidade a nenhuma outra pessoa além de si mesmo.

A série tem várias perspectivas femininas
A série tem várias perspectivas femininas

Perspectivas femininas

Dollface também é uma série repleta de perspectivas femininas. A protagonista Jules, lida com o fim de seu namoro e com o retorno a uma vida de solteira, onde ela tenta ser mais independente. Quando ela se reconecta com suas amigas, o telespectador também passa a acompanhar a vida dessas personagens e tem ainda mais perspectivas femininas: Madison, a workaholic, que está começando uma relação com um homem mais velho (Goran Visnjic) e Stella, a influencer, que só pensa em se divertir.

A série trata de temas reais com tons de comédia
A série trata de temas reais com tons de comédia

Além de Jules, Madison e Stella, também acompanhamos Izzy (Esther Povitsky), colega de trabalho de Jules, que se junta ao grupo de amigos e no começo, parece insuportável e alguém que elas só toleram, mas que vai pouco a pouco se tornando uma personagem divertida.

É importante ressaltar que o resto do elenco também é composto basicamente por mulheres, como a chefe de Jules, Celeste (Malin Åkerman) e as outras mulheres que trabalham com a protagonista, que ganham menos tempo de tela, mas que marcam presença.

A ideia de Dollface é essa mesma. A série é produzida em uma época onde se exige, cada vez mais, que exista protagonismo feminino e que possamos acompanhar histórias de mulheres, sobre mulheres e que não girem unicamente nos personagens masculinos. Aqui, o término de Jules é o pontapé para que ela reencontre suas melhores amigas, as verdadeiras coadjuvantes da atração.

Dollface fala sobre relacionamentos amorosos e fraternais
Dollface fala sobre relacionamentos amorosos e fraternais
Imaginação

Embora seja uma série realista, que fale de temas da vida real, existe seu aspecto fantástico. Enquanto tenta recuperar a vida de solteira e se tornar independente (o que acontece no mundo real), a imaginação de Jules a leva para um mundo fantástico, onde os acontecimentos reais se refletem.

Logo que Jeremy termina com ela, por exemplo, Jules entra em um ônibus guiado por uma mulher com rosto de gata (Beth Grant), e repleto de mulheres chorosas que terminaram relacionamentos recentemente. Mais tarde, quando ela pensa em se reconectar com as antigas amigas, a Cat Lady pede que ela mostre sua carteirinha de amiga e comprove que ela não esteve longe de suas amigas todo esse tempo.

As ações que se dão na imaginação de Jules são surreais e absurdas, mas também muito divertidas e fazem bastante sentido dentro da série, que trabalha com essa dicotomia entre o mundo real, com o fim do relacionamento, o trabalho e as amizades e o mundo fantástico, onde tudo é levado ao exagero.

Brenda Song como Madison
Brenda Song como Madison
Aspectos técnicos de Dollface

A produção é simples, com um elenco não muito grande e poucos cenários. A série é focada em Jules e apenas suas amigas mais próximas aparecem em todos os episódios. Os outros personagens tem participações menores, e os cenários são basicamente a casa de Jules, seu trabalho e a casa de suas amigas.

A série trabalha em dois campos: o real, onde Jules lida com o término do namoro, seu trabalho e com seu retorno à vida de solteira e o fantasioso, que reflete o que acontece na vida real, mas de maneira surreal e divertida. Como retrata jovens adultos em uma cidade grande, lidando com relacionamentos amorosos e fraternais e pensando em suas carreiras, é fácil se reconhecer com as questões e os problemas que são apresentados, e a parte fantástica dá um pouco mais de graça aos episódios.

Mesmo quando discute temas um pouco mais sérios como, por exemplo, a codependência emocional de Jules, o faz com piadas e com um ar irônico, o que deixa o assunto um pouco mais leve.

Dollface mistura realidade e fantasia
Dollface mistura realidade e fantasia

O elenco

Grande parte desse ar de comédia se deve ao elenco. Shay Mitchell e Brenda Song interpretam personagens com características bem diferentes, mas que tem seus momentos engraçados. Já Malin Åkerman aparece menos, mas funciona muito bem como a chefe focada e ligeiramente fria de Jules.

Quem mais se destaca é Esther Povitsky, que começa como uma mulher extremamente irritante e fútil e vai aos poucos se mostrando uma personagem profunda e adorável, e claro, Kat Dennings, que é divertida e debochada e soa perfeita para o papel de Jules. Dollface ainda tem uma participação especial pequena de Matthew Gray Gubler, que é ótima.

Misturando realidade e fantasia, Dollface não só discute temas que dizem respeito a quase todo mundo e com os quais é fácil se reconhecer, mas também traz muito protagonismo feminino, em uma trama realista e divertida.

Dollface Season 1 Trailer | Rotten Tomatoes TV

Dollface

Nome Original: Dollface
Elenco: Kat Dennings, Brenda Song, Shay Mitchell, Esther Povitsky, Goran Višnjić
Gênero: Comédia
Produtora: Clubhouse Pictures, ABC Signature Studios, LuckyChap Entertainment, Hulu
Disponível: Hulu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar