Fratura – Suspense psicológico que surpreende

Mas assista primeiro, leia esta resenha depois

Brad Anderson tem uma carreira enxuta, mas concisa, entre filmes e séries, geralmente de suspense. Ao começar a escrever minha opinião, descobri que ele também dirigiu um dos meus filmes prediletos dos anos 2000: O Operário (com um Christian Bale esquelético, inspiração direta para a fisicalidade do Coringa de Joaquin Phoenix – a estrutura de enredo ainda serviu para a do novo sucesso da DC), que também seria minha primeira referência quando fosse falar de Fratura. Veja só, nada é coincidência, já que ambas as produções são irmãs.

O diretor repete sua narrativa de paranoia com este suspense psicológico redondinho. Coloca então um pai de família que se vê aflito quando esposa e filha – levada às pressas a um hospital de beira de estrada após quebrar o braço – simplesmente desaparecem após entrarem num elevador para mais exames. A batida do roteiro é manjada para quem consome obras do gênero (entre elas, grandes primores, como O Grande Truque e Clube da Luta, só para ficar em alguns exemplos mais conhecidos), já que a história faz questão de te entregar a revelação no segundo ato, por mais que ela própria fique pregando peças no público e dando duas ou três reviravoltas, até o final arrebatador. Por outro lado, pode pegar de surpresa o espectador comum, que jamais imaginará aquele resultado.

Sam Worthington em cena de Fratura
Sam Worthington em cena

Fratura

Sam Worthington, que nunca decolou na carreira, mesmo com Avatar no currículo (e convenhamos que, apesar do belo discurso e dos efeitos revolucionários, a produção de Jim Cameron não vai além disso), tem aqui seu melhor papel até agora. Ele ainda é limitadíssimo e canastrão, mas funciona dentro do contexto absurdo que vai se construindo ao redor. E assim, convence com sua intensidade antes dos créditos subirem.

Brad Anderson, fazendo pastiche de si mesmo, não supera O Operário, mas consegue acertar na fórmula, tanto das surpresas que esconde para o público incauto, quanto pela atmosfera bem construída. E, sacando ou não o desfecho, este filme vai deixar um gosto amargo na sua boca e uma perturbadora fratura exposta, do jeito que todo bom suspense psicológico deve fazer.

Fratura

Nome Original: Fractured
Direção: Brad Anderson
Elenco: Sam Worthington, Lily Rabe, Lucy Capri
Gênero: Suspense
Produtora: Koji Productions
Distribuidora: Netflix
Ano de Lançamento: 2019
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar