O Monstro no Armário, fantasia como fuga da realidade

O Monstro no Armário nos traz a história de Oscar Madly (Connor Jessup), um adolescente que teve uma infância traumática. Ele lida com tudo isso entrando em um mundo de fantasia e conversando com o seu hamster de estimação, Buffy (voz de Isabella Rossellini).

Em seu tempo livre, ele faz maquiagens de filmes de terror na amiga Gemma (Sofia Banzhaf). Quando conhece Wilder (Aliocha Schneider), seu novo colega de trabalho, ele sente uma atração imediata pelo garoto e começa a questionar quem ele é de verdade.

O Monstro do Armário e o Trauma

Quando o filme começa conhecemos Oscar (nessa fase interpretado por Jack Fulton) ainda na sua infância, enquanto ele assiste sua mãe (Joanne Kelly) ir embora sem entender muito bem o porquê e, logo depois, presencia o assassinato cruel e, claramente motivado por homofobia, de um adolescente.

Mais tarde, quando ele pergunta ao pai (Aaron Abrams) porque o adolescente foi morto, o mesmo responde “porque ele é gay”. Ele não se dá ao trabalho de explicar que aquele foi um crime motivado por ódio e homofobia e que os únicos culpados são os assassinos e não o adolescente.

Oscar em O Monstro no Armário
Oscar

Oscar cresce com esse sentimento, e se apega a um hamster que ganha da mãe na mesma época, e com quem ele conversa diariamente. Já o Oscar adolescente, que conhecemos depois, não parece ter mudado muito. Ele ainda é desconfiado, tímido e só fala sobre os seus sentimentos com Buffy, o hamster.

Adolescência

Quando Oscar começa a notar que, como o adolescente assassinado, ele possivelmente também é gay, é natural que tudo se misture na sua cabeça, uma vez que na adolescência ele mal conversa com a mãe, vive em conflito com o pai e ainda se lembra que o adolescente foi morto simplesmente por ser gay. Não é à toa que todas as vezes que ele se sente atraído por algum garoto, ele revê a cena de assassinato que presenciou quando criança.

Também é por isso que o nome do filme é O Monstro no Armário (em inglês, Closet Monster, que tem o mesmo significado), uma vez que Oscar vem trancando dentro de si todos os traumas e também, a sua sexualidade, como se todos esses aspectos fossem monstros.

O filme mistura realidade e fantasia
O filme mistura realidade e fantasia

Fantasia

O Monstro no Armário também é um filme alegórico e cheio de pequenas metáforas ao longo do caminho, mas muitas dessas alegorias estão dentro da vida do próprio Oscar. O protagonista é um garoto traumatizado que não consegue colocar para fora quem ele é, assim, ele foge da vida real através da fantasia. Oscar quer estudar cinema e passa o tempo fazendo maquiagens assustadoras na sua melhor amiga, Gemma. Curiosamente, Gemma sempre sai das sessões de maquiagens pintada como algum monstro.

O fato dele se comunicar com um hamster que tem o nome da personagem principal de Buffy, A Caça Vampiros, que caçava monstros, e ainda escutar a resposta de Buffy, também é um aspecto que deixa claro que Oscar prefere viver no seu próprio mundo fantástico do que enfrentar a realidade.

O Monstro no Armário fala sobre traumas e descobertas
O Monstro no Armário fala sobre traumas e descobertas

Quando ele conhece Wilder no entanto, a vida real parece bater de frente com ele e Oscar não consegue mais fugir da atração que sente pelo garoto, mesmo que isso signifique finalmente enfrentar todos os seus traumas.

O Monstro no Armário fala de um adolescente em específico, e entra em questões como a descoberta da sexualidade e as dificuldades em se entender e se assumir, mas pode falar com qualquer pessoa que tenha um trauma e com qualquer pessoa que prefira evitar a vida.

Aspectos técnicos

O Monstro no Armário parece ser um filme simples, mas cuidadoso. Ele tem pequenos detalhes que podem passar despercebidos, mas que fazem muita diferença. Os monstros, que estão no título do filme e que parecem circundar toda a vida de Oscar, estão presentes em todos os lugares: nas maquiagens que o protagonista faz, na festa de halloween que ele vai, nos pacotes de presentes que ele abre quando criança e em momentos mais reais, como nos assassinos do adolescente e nos comentários homofóbicos do pai.

Wilder em O Monstro no Armário
Wilder

Embora o filme não tenha uma grande produção, as maquiagens assustadoras que Oscar faz são muito bem-feitas, e combinam muito com a trama.

O Monstro no Armário se mistura entre realidade e fantasia, mas não é confuso. Fica muito claro quando Oscar está vivendo e quando Oscar está sonhando e isso é extremamente importante para a trama. As imagens também são lindas e fazem o telespectador entender o que se passa na cabeça do protagonista.

Connor Jessup e Aliocha Schneider em cena do filme O Monstro no Armário
Connor Jessup e Aliocha Schneider em cena do filme

Connor Jessup se sai muito bem no papel de Oscar e a dublagem de Isabella Rossellini faz com que a gente simpatize com Buffy, já que ela funciona quase como uma voz da consciência para Oscar.

O Monstro no Armário fala sobre um adolescente se descobrindo e mais do que isso, passando por cima de seus traumas e de seus medos para viver do jeito que deseja.

O Monstro No Armário

Nome Original: Closet Monster
Direção: Stephen Dunn
Elenco: Connor Jessup, Aaron Abrams, Joanne Kelly, Aliocha Schneider, Sofia Banzhaf
Gênero: Drama, Fantasia
Produtora: Rhombus Media, Elevation Pictures Corp., Best Boy Productions
Distribuidora: Strand Releasing
Ano de Lançamento: 2015
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar