Os 3 Mundos, mais que uma peça teatral, um espetáculo multimídia

O espetáculo inspirado nas histórias em quadrinhos, kung fu e cinema, inova ao trazer para o palco diversos efeitos visuais e sonoros, dando ao público a sensação de assistir a uma animação 3D. Criados em vídeo, os cenários foram produzidos a partir de ilustrações feitas à mão pelo cartunista Guazzelli, e depois animadas pelo estúdio BijaRi. Além das ilustrações de Guazzelli, o enredo traz lutas, perseguições e muita ação, o que o aproxima ainda mais da atmosfera das HQs.

Os 3 Mundos” é a primeira obra teatral dos aclamados quadrinistas Fábio Moon e Gabriel Bá (autores de O Girassol e a Lua, Umbrella Academy, Daytripper, Dois Irmãos, entre outros). No palco, duas telas nos trazem a ambientação dos cenários, inclusive interagindo com os atores, o que faz parecer que estamos assistindo a uma animação em 3D.

Paula Picarelli em cena

“Os 3 Mundos” é um espetáculo multimídia de ação que mescla teatro, cinema, HQ e Kung-Fu. A história se divide em capítulos: em um mundo pós-apocalíptico devastado por guerras, Lachesis lidera o Grupo da Serpente, uma grande família de praticantes de Kung Fu que habita as ruínas das estações de metrô e vive sob dominação total de sua líder, como uma religião. Ao deixar este submundo em busca de um novo membro, o grupo se confronta com o Mundo das Máscaras, liderado por Acônito, que, do alto de sua torre, comanda os membros de seu grupo com mãos de ferro. Neste enfrentamento, ambos os líderes devem lutar para manter seus súditos sob domínio e, ao mesmo tempo, derrotar o inimigo, que alimenta o desconhecido.

As sobreposições de imagens que vemos criam um universo surreal e é possível captar algumas referências da cultura pop, como as lutas de Bruce Lee e seu uniforme amarelo; um toque de David Lynch em um flashback; o expressionismo alemão que podemos notar na cidade do Mundo das Máscaras; um pouco de MAUS, aquele quadrinho sensacional que eu escrevi sobre aqui e também podemos lembrar do filme The Wall do Pink Floyd com seus desenhos fortes e pesados.

Thiago Amaral é Acônito

A ideia de criar uma peça com esses elementos foi de Paula Picarelli, atriz principal, que, a princípio, se inspirou no romance 1Q84, do escritor japonês Haruki Murakami. Não li este livro, mas posso afirmar que a peça ficou muito interessante e é uma experiência bem diferente! Uma dica: é de graça! Outra dica: se puder, sente-se nas poltronas do meio.

A temporada fica em cartaz no teatro do Sesi/FIESP na oPaulist entre os dias 2 de setembro e 16 de dezembro, de quinta a sábado, às 20h, e domingos, às 19h.

Os 3 Mundos

Não se esqueça de refletir, é claro, qual é o terceiro mundo afinal...

Tags

Veri Luna

Veri Luna é fotógrafa, videomaker, formada em pedagogia e audiovisual, ama cinema, livros, comida e gatos.

Matérias Relacionadas

Close