Um Casal Inseparável – Comédia romântica fraca

Manuela (Nathalia Dill) é uma determinada e decidida jogadora de vôlei de praia que dá aulas, e Léo (Marcos Veras) é um pediatra calmo e romântico. Os dois não se parecem em nada, mas quando se conhecem, se apaixonam.

Manuela e Léo passam a viver juntos, mas ela quer ir devagar. Até que o retorno de Cristina (Danni Suzuki), uma colega de faculdade de Léo, faz com que os dois comecem a brigar. Agora eles terão que resolver seus problemas se quiserem ficar juntos.

Manuela e Léo - Um Casal Inseparável
Manuela e Léo

Os opostos se atraem – Um Casal Inseparável

O que temos aqui é uma comédia romântica no sentido mais clássico do termo, já que acompanhamos uma relação desde o seu começo. Por isso, parece natural que o filme recorra a alguns clichês, afinal, comédias românticas, em sua maioria, são pautadas em clichês e tem saídas um tanto quanto óbvias.

O longa usa do clássico “os opostos se atraem”. Manuela é uma jogadora de vôlei de praia decidida e que sempre luta pelo que acredita. As pessoas que a conhecem a consideram “brava”, mas na verdade ela é só uma mulher que sabe o que quer. Já Léo é um pediatra calmo, divertido e romântico, que está procurando uma namorada. Os dois se conhecem porque Léo para seu carro na calçada e Manuela reclama.

Mas nem esse problema inicial é o suficiente para que os dois parem de se gostar, eles se atraem rapidamente e topam sair. O começo do romance de Manuela e Léo é contado de maneira bem rápida, mas isso não é exatamente um problema, já que a ideia é contar essa relação praticamente inteira, e o encontro dos dois é até plausível, mesmo que um tanto repetitivo. O problema é a maneira com que a trama se desenrola.

Nathalia Dill em cena do filme
Nathalia Dill em cena do filme

O relacionamento

O relacionamento de Manuela e Léo se desenvolve de maneira natural. Depois que acompanhamos o primeiro beijo deles, algum tempo se passa e eles já estão morando juntos e ajustando suas rotinas um ao outro. Léo, que é romântico, quer se casar, mas Manuela, que é uma mulher mais prática, quer levar tudo de maneira mais leve.

Os problemas começam quando Léo reencontra Cristina, sua colega de faculdade, por quem ele se sente balançado, o que causa ciúmes em Manuela. Isso por si só já seria uma maneira de movimentar a, aparentemente, perfeita vida do casal, mas o filme também introduz Paulo Edu (Carlos Bonow), um antigo conhecido de Manuela, que também demonstra interesse pela moça.

A partir daí as histórias paralelas do casal começam a se espelhar. Léo se sente atraído por Cristina e sai para beber com ela, Manuela se sente atraída por Paulo Edu e faz uma viagem de trabalho com ele. O grande problema aqui é que o longa soa repetitivo, já que acompanhamos praticamente a mesma história dos dois lados, com só algumas pequenas mudanças.

Um Casal Inseparável
O longa acompanha o relacionamento dos dois desde o começo

Aspectos técnicos de Um Casal Inseparável

Um Casal Inseparável é uma comédia romântica e, por isso, não consegue fugir de todos os clichês do gênero, mas isso não é um problema, já que o público que se interessa por esse tipo de filme espera mesmo ver uma história que é relativamente previsível e que tem um roteiro um tanto quanto óbvio. O que acontece aqui é que a trama não é nem um pouco criativa e apresenta praticamente a mesma história tanto para Manuela, quanto para Léo, então, se o problema de Léo é que ele encontra uma velha amiga por quem ele se sente atraído, o problema de Manuela também é que ela reencontra um conhecido, por quem ela se sente atraída e isso acontece com diversas situações ao longo do filme.

Soma-se ao roteiro pouco criativo e cheio de clichês, os diálogos que não são muito trabalhados e as piadas que são bem sem graça e em alguns momentos, soam datadas e machistas, como por exemplo, quando alguns personagens dão a entender que Manuela está mais “calma” porque arrumou um namorado, ou em diversos momentos quando o amigo de Léo, Péricles (Cláudio Amado) solta alguma brincadeirinha que teria sido muito engraçada em um filme dos anos 1990, mas que hoje já não funciona mais.

O elenco até se sai bem, mas o texto não é muito inspirado e tudo parece meio bobo e sem graça, mesmo para uma comédia romântica, onde o telespectador já entra sabendo o que vai acontecer no final.

O filme é repetitivo
O filme é repetitivo

E o que mais?

O longa é cuidadoso com seu figurino, que consegue transmitir a personalidade dos protagonistas. Léo, por exemplo, aparece sempre com roupas sociais e mais sérias, afinal de contas, ele é um personagem responsável, que precisa de muito planejamento antes de agir. Já Manuela tem um figurino composto por bastante shorts e tops, não só porque ela dá aulas na praia, mas também porque ela é uma mulher que leva a vida menos a sério e que não é muito vaidosa.

Um Casal Inseparável poderia ser uma boa e divertida comédia romântica, mas não traz muitas variações dentro da sua própria trama e tem poucos momentos engraçados, o que faz o público rir pouco e não se surpreender nunca. O filme chega aos cinemas no dia 9 de setembro.

Um Casal Inseparável (2021)_trailer oficial

Um Casal Inseparável

Nome Original: Um Casal Inseparável
Direção: Sérgio Goldenberg
Elenco: Nathalia Dill, Marcos Veras, Totia Meireles, Stepan Nercessian, Danni Suzuki
Gênero: Comédia, Romance
Produtora: TVZero, Globo Filmes
Distribuidora: H2O Films
Ano de Lançamento: 2021
Tags

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar