What If…? – Vamos falar sobre o episódio 6?

O que aconteceria se... Killmonger salvasse Tony Stark?

O episódio 6 de What If…? chegou ao Disney+ trazendo mais ação, mais momentos tristes e o que acontece quando uma pessoa com um espírito de vingança coloca um plano perfeito em busca do poder. Vem conferir o nosso review vitaminado!

O início

A história faz um mix de Homem de Ferro (2008), Vingadores: Era de Ultron (2015) e Pantera Negra (2018) para contar a história de Killmonger (Michael B. Jordan), o jovem wakandano que cresceu em Oakland, Califórnia, consumido pelo espírito de vingança por seu pai.

Tudo começa com a primeira cena de Homem de Ferro, onde Tony Stark (Mick Wingert) é atacado pela Ordem dos Dez Anéis, mas diferentemente do filme original, Killmonger chega e o salva do sequestro, fazendo com que todo o legado de Tony como Homem de Ferro seja alterado, pois se não houve sequestro, não houve caverna, e por sua vez não houve uma miniatura do reator ARC e nem a famosa MARK 1.

What if...?

Em coletiva de imprensa, Tony nomeia Killmonger como chefe de segurança das Indústrias Stark, posto que seria ocupado por Happy Hogan (Jon Favreau), então ao ser questionado sobre como sabia o que ia acontecer, Killmonger abre o jogo e diz que soube de todos os planos de Obadiah Stane (Jeff Bridges) junto com Os Dez Anéis para assassinar Tony, fazendo com que ele assuma o lugar de Obadiah nas Indústrias Stark.

Pepper Potts (Beth Hoyt) se encontra com Coronel James Rhodes (Don Cheadle) e o questiona sobre Killmonger, que faz um breve resumo sobre a vida dele. Pepper então diz estar desconfiada de que ele queira se aproveitar de Tony para ganhar fama, mas ela não consegue farejar nada, o que a preocupa.

Colocando todo o plano em prática

Já dentro das Indústrias Stark como Chefe de Operações, Killmonger conta que em sua tese de Doutorado projetou um drone de combate mas que não conseguiu finalizar a interface, então Tony diz que irá resolver o projeto como uma forma de pagamento pelo seu salvamento.

What if...?

Após algumas tentativas de construção do drone, eles encontram um problema na fonte de energia. Tony pensa em construir um mini reator, mas descarta a possibilidade rapidamente. Killmonger então cita o Vibranium, que Tony achava que tudo que existia tinha sido usado por seu pai na construção do escudo do Capitão América, mas então lhe é revelado que ainda há muito do elemento com uma pessoa e que eles podem tentar comprar.

Para não gerar problemas para a empresa por fazer negócios no “mercado negro”, Tony resolve mandar Rhodes, que tem cobertura diplomática, para negociar com Ulisses Klaw (Andy Serkis). Parecida com a cena em que Ultron vai atrás do Vibranium, em Vingadores: Era de Ultron, Rhodes está negociando com Klaw quando T’Challa (Chadwick Boseman), em seu traje de Pantera Negra, aparece. Enquanto uma confusão acontece, Killmonger aparece usando uma das tecnologias que Obadiah usaria no Tony Stark e incapacita e mata T’Challa e Rhodes.

Wakanda e a consumação do plano

Após o enterro de Rhodes, Tony revela a Killmonger que sabe tudo o que se passou e então usa o robô que construíram para vingar a morte do amigo. Entretanto, Killmonger derrota o robô e mata Tony usando uma arma de Wakanda. Após investigação, são encontrados itens wakandanos na cena do crime, então é declarado que o exército americano irá atacar. Pepper tenta impedir e insinua que Killmonger está por traz de tudo isso, mas não é ouvida.

Killmonger segue seu plano e se encontra com Ulisses Klaw para chegar em Wakanda. Assim como no filme do Pantera Negra, ele mata Klaw para usá-lo como objeto de barganha para poder entrar em sua terra natal. O rei T’Chaka aceita seu retorno, acreditando que está recebendo uma pessoa que realmente quer fazer o bem. Ele então conta todo o plano dos americanos para invadir Wakanda usando drones de combate, os mesmos projetados por ele e Tony no começo do episódio, cuja fonte de energia é o Vibranium.

Shuri (Ozioma Akagha) e a Rainha Ramonda (Angela Bassett) se mostram desconfiadas dele, mas mesmo assim ele traça um dos planos para impedir a invasão americana. O plano dá certo inicialmente, mas um dispositivo em posse de Killmonger faz com que o plano mude e uma batalha entre drones e a guarda de Wakanda se inicia.

Killmonger luta ao lado de toda a guarda e da Rainha Ramonda, ganhando a confiança de seus líderes. Após vencerem a batalha, Killmonger é transformado no mais novo Pantera Negra mas, no mundo espiritual ele é questionado por T’Challa se tudo isso valeu a pena e é alertado que o poder sem merecimento pode ser ruim. Já nas Indústrias Stark, que agora são de propriedade do governo, Shuri se encontra com Pepper e diz que eles possuem um inimigo em comum e que devem trabalhar juntas.

Veredito

Ótimo episódio, que mostra o que uma pessoa pode fazer para conseguir assumir o poder de tudo, focado em Killmonger, dando grande profundidade ao personagem e deixando em aberto uma união que pode gerar uma equipe feminina no futuro da série.

A animação, como sempre, é muito bonita, com traços bem feitos, deixando os personagens visualmente lindos e com expressões bem destacadas. A ação é muito boa, os combates são bem coreografados, principalmente as cenas de Wakanda, que são sempre um show à parte.

O enredo é um pouco acelerado, mas não é confuso, explica muito bem toda a história e não é cansativo. A união de cenas de 3 filmes diferentes deixou o episódio muito bom, parecendo longo em relação aos outros, mas quando acaba você ficaria mais feliz se tivesse mais alguma cena. Não é o melhor episódio da série, está um pouco abaixo dos outros, mas mesmo assim é um ótimo episódio.

“Os heróis nunca desaparecem. Eles vivem para sempre. Assim como aqueles que eles inspiram a continuar lutando”

Clique aqui para saber sobre o 5º episódio

Chegou mais um episódio dessa maravilhosa série animada da Marvel Studios, que mostra o que pode acontecer quando apenas um detalhe é capaz de mudar tudo, e aqui no Vitamina Nerd você fica sabendo o que rolou no episódio.

Vingadores Apocalipse Zumbi

O episódio se passa durante os eventos do filme Vingadores Guerra Infinita (2017), no momento em que Dr. Bruce Banner (Mark Ruffalo) é enviado para a Terra através da Bifrost e cai no Sanctum Sanctorum, mas diferentemente do filme, ele está sozinho, sem Dr. Estranho, Wong ou qualquer outra pessoa.

Em uma rua deserta, Bruce recebe a visita do Fauce de Ébano (Tom Vaughan-Lawlor) e do Estrela Negra, que aparentemente tem a missão de encontrar a Joia do Infinito para Thanos. Bruce tem a mesma discussão interna com Hulk e não consegue se transformar, aí então que um portal se abre e eles são rapidamente derrotados por Tony Stark, Dr. Estranho e Wong. Ao comemorar a vitória, Bruce percebe que algo está errado. Os três Vingadores se revelam zumbis! 😮

Os zumbis atacam Bruce, mas o Manto da Levitação do Dr. Estranho impede que ele seja mordido. Em seguida, formigas gigantes aparecem, controladas por Hope Van Dyne (Evangeline Lilly), que derrotam os zumbis. Para fechar a cena, Bruce é levado por Peter Parker (Hudson Thames) para longe.

Aí então assistimos a um vídeo educacional do Peter Parker mostrando como ficar a salvo dos zumbis. Em seguida, temos a explicação de como os zumbis surgiram no momento em que o Dr. Hank Pym tenta salvar sua esposa, a Dra. Janet Van Dyne, que estava presa no mundo quântico, mas ela foi infectada por um vírus e acabou infectando também o Dr. Hank, trazendo o vírus para o mundo normal.

Uma nova equipe

Uma nova equipe se forma para tentar descobrir como resolver esse problema. Peter Parker, Vespa, Bruce Banner, Happy Hogan (Jon Favreau), Bucky Barnes (Sebastian Stan), Sharon Carter (Emily VanCamp), Kurt (David Dastmalchian) e General Okoye das Dora Milaje (Danai Gurira), essa última se junta ao grupo para saber o que houve com o Rei T’Challa.

What if...

A equipe recebe um sinal de alerta sobre uma possível base de sobreviventes que tem evoluído na descoberta da cura. Durante o trajeto, a equipe sofre mais um ataque zumbi que conta com a participação de outros Vingadores infectados. Alguns membros dessa nova equipe acabam infectados, enquanto outros conseguem escapar e seguir até o local do sinal.

Uma armadilha por amor

Após um integrante se sacrificar para que todos consigam chegar ao local do sinal, a equipe encontra Visão (Paul Bettany) que não é atacado por não ser humano e tem feito grande progresso na cura. Ele conseguiu manter Scott Lang (Paul Rudd) vivo, de uma forma bem bizarra, mas vivo.

Bucky vai verificar a instalação atrás de um transporte e acaba encontrando T’Challa com a perna amputada, mas em forma humana, e assim descobre o plano do Visão. Ele tem atraído pessoas normais para o local para que sua amada Wanda (Feiticeira Escarlate) tenha como se alimentar. Wanda escapa do seu isolamento e agora temos uma bruxa zumbi virada no ódio e com muita fome.

Após ver que errou, Visão ajuda a equipe a escapar do local e então se sacrifica arrancando a joia de sua testa. Nesse momento, todos os zumbis ao redor entram na instalação, pois é revelado que a joia conseguia manter os zumbis afastados. A equipe escapa em um Quadjet e segue para Wakanda e temos a aparição do Titan louco, Thanos, em forma de zumbi, utilizando a manopla do infinito com 5 das 6 joias.

Veredito

Mais um excelente episódio que, diferentemente dos outros, deixa em aberto o evento mostrando que no próximo episódio possivelmente teremos uma continuação. O enredo é um pouco mais acelerado em comparação com o quarto episódio, com uma pegada mais de terror zumbi e mortes mais gore, mas é efetivo em explicar como tudo iniciou e mantém um bom ritmo.

O humor, como sempre, está presente, aqui mais por parte de Peter Parker e Scott Lang, mas nada exagerado. As cenas de ação são boas, mas curtas, pois todas acabam em morte e o visual dispensa comentários, os personagens são bem desenhados e os zumbis você consegue identificar quem é quem, mesmo com o rosto deformado, mas mantendo algumas características ou então pelo traje do herói. Agora vamos aguardar o desfecho desse evento.

Clique aqui para saber sobre o 4º episódio

A série animada da Marvel Studios chega ao Disney+ com o seu quarto episódio, sendo ele o mais sombrio e triste até o momento. O episódio trata da jornada de um Stephen Strange (Benedict Cumberbatch) tomado pelo luto, e isso faz com que ele vá atrás de mais poderes, mesmo que isso seja algo extremamente perigoso.

What if

O luto e o início de uma nova jornada

O episódio se passa pela mesma trama do filme do Doutor Estranho (2016), onde Stephen Strange está a caminho de um evento, mas diferentemente do filme, ele está acompanhado da Dra. Christine Palmer (Rachel McAdams). Durante o trajeto, eles sofrem um acidente de carro, Stephen não tem lesões físicas graves, não sofre danos em suas mãos, mas Christine acaba falecendo.

Com isso, Strange começa a explorar conhecimento no mundo inteiro e, seguindo os mesmos passos do filme, ele encontra as artes místicas, conhece a Anciã (Tilda Swinton), Wong (Benedict Wong) e os segredos e perigos do Olho de Agamotto.

Então, continuando o enredo, temos a morte da Anciã, e Dr. Strange enfrentando Dormammu para salvar aquela realidade da Dimensão Negra, mas mesmo após todo o ocorrido, Stephen ainda não consegue superar a morte de Christine.

A Biblioteca de Cagliostro

Strange começa a usar o Olho de Agamotto para tentar mudar o passado e reverter a morte de sua amada. Em uma das tentativas, Strange recebe a visita da Anciã explicando que a morte de Christine é um ponto absoluto da história, um ponto que não pode ser alterado. Ele não aceita e há uma breve batalha entre os dois.

Tomado pelo luto, Strange busca mais conhecimentos na Biblioteca de Cagliostro, local de onde vieram muitos livro da Anciã. A biblioteca já havia sido referenciada no filme solo do herói, mas a conhecemos de fato aqui nesse quarto episódio. Mas quem é Cagliostro?

Cagliostro é um personagem das HQs que se torna um mago supremo e é um estudioso de magia, dando muita ênfase no Olho de Agamotto. Aqui temos a presença de O’Bengh (Ike Amadi), que é o guia de Strange pela biblioteca e é um dos supostos nomes de Cagliostro nas HQs, o que supõe que ele esteja servindo como guardião da própria biblioteca.

What if

Os Dois Estranhos e Uatu

Enquanto Strange está na biblioteca, somos apresentados a uma outra versão do Doutor Estranho, uma versão que consegue deixar de lado seu luto. É nisso que este universo começa a desmoronar, então a Anciã “aparece” e explica que houve uma divisão na linha do tempo onde existem duas versões dele, assim ele teria que combater sua outra versão que foi até a Biblioteca de Cagliostro para conseguir todo conhecimento e poder para reverter a morte de Christine.

Os dois Doutores Estranhos se encontram e começam uma batalha épica. Aqui temos um Dr. Estranho sombrio, que absorveu diversos poderes e tem uma aparência mais demoníaca, e que por fim acaba absorvendo os poderes do outro Dr. Estranho. Com isso, ele consegue reverter a morte de Christine, mas mesmo assim, vê toda aquela realidade desmoronar, assim como foi alertado pela Anciã.

Neste momento, vemos o primeiro diálogo de Uatu (Jeffrey Wright) com um personagem. Dr. Estranho pede ajuda ao Vigia para salvar aquele universo, Uatu diz que o seu papel é unicamente o de vigiar e que não pode interferir, e que se pudesse corrigir, ou mesmo punir para salvar aquela realidade, ele o faria. Uatu lembra Strange que ele deveria saber, mais do que ninguém, que interferir no tempo só leva a destruição. E é então que vemos o fim daquela realidade.

Veredito

Mais um ótimo episódio da animação, com um ótimo enredo, mais dramático e sombrio. O episódio é bem focado no Dr. Estranho, onde vemos o seu luto e o quão poderoso esse personagem pode se tornar. A animação, como sempre, é muito bem desenhada, você consegue ver as expressões dos personagens e sentir o que ele está passando no momento.

O episódio não apresenta muita ação e humor, o que faz com que ele destoe dos anteriores, mas apresenta um enredo mais profundo e com um ritmo menos acelerado, fazendo com que o episódio pareça ser um pouco mais longo que os anteriores. Os visuais são ótimos, com destaque para o Dr. Estranho sombrio, no qual é possível sentir uma presença maligna em seu rosto. Agora só nos resta esperar para saber quais os impactos desse episódio no futuro da animação e também do MCU.

“Uma vida, uma escolha, um momento podem destruir todo o universo.”

Clique aqui para saber sobre o 3º episódio

Com uma narrativa mais calma e um roteiro menos acelerado, o terceiro episódio de What If…? chegou no Disney+ contando a história de formação dos nossos amados Vingadores, mas de uma forma totalmente diferente, com um grande mix de cenas de grandes filmes solos como O Incrível Hulk (2008), Homem de Ferro 2 (2010) e Thor (2011), e assim, temos a história mais louca até o momento.

A Iniciativa Vingadores

Tudo começa na cena muito conhecida de “Homem de Ferro 2” onde Tony Stark está comendo donuts deitado com sua armadura em uma rosquinha gigante. A cena é praticamente idêntica à do filme, onde ele conversa com Nick Fury e a Viúva Negra aparece, mas ele acaba morrendo dentro da lanchonete. Natasha é acusada de matar Tony, mas foge com o apoio de Nick e inicia uma investigação.

Temos a cena de “Thor”, também muito conhecida, que é aquela em que ele invade a instalação da S.H.I.E.L.D. no Novo México, que protege o martelo Mjolnir. Thor passa pelos guardas, mas morre antes mesmo de conseguir encostar no martelo. Clint Barton é acusado de matar Thor e enquanto está em sua cela, é, supostamente, envenenado. Ao mesmo tempo, Hulk, em uma cena do filme de 2008, na qual o exército do Gerenal Ross o ataca, acaba morrendo antes de Bety Ross consiga chegar para acalmá-lo.

Viúva Negra descobre que o assassino está indo atrás dos candidatos da Iniciativa Vingadores e encontra algumas pistas, então ela liga para Fury, mas é atacada enquanto deixa uma mensagem na caixa postal: “ Fury, eu descobri! É pela filha que morreu!”- e também acaba morrendo.

What if...?
Os Vingadores

Um visitante de Asgard

Durante a batalha entre o exército comandado pelo General Ross e Hulk, a S.H.I.E.L.D. recebe a visita do nosso querido Deus da Trapaça, Loki, que dessa vez vem acompanhado do exército asgardiano, além do Destruidor e da Lady Sif. Durante o grande discurso de apresentação pessoal de Loki, ele é interrompido pelo telefone de Nick Fury, ocasionando uma das poucas cenas de humor do episódio.

Então, ele explica o motivo de sua vinda à Terra e ameaça a destruí-la para vingar a morte de Thor, mas Fury o convence a dar um prazo para descobrir o culpado.

Loki e Lady Sif

O grande responsável

O Agente Phill Coulson lembra que Nick Fury também faz parte da Iniciativa Vingadores e que ele pode estar correndo perigo. Nick consegue decifrar a mensagem de Natasha e procura Loki para conseguir deter o grande responsável por tudo isso.

Na cena seguinte, estamos em um cemitério onde Nick Fury vai até a lápide de Hope Van Dyne, e neste momento aparece Hank Pym vestindo o traje do Jaqueta Amarela, vilão do primeiro filme do Homem-Formiga. Ele começa a culpar Nick e a S.H.I.E.L.D. pela morte da filha Hope, confessa que matou Stark, Clint, Natasha e Hulk (flashbacks mostram como cada um dos heróis foi morto) e também Thor, pois sabia que ele seria recrutado para fazer parte dos Vingadores.

Então começa uma batalha entre os dois, mas temos um Nick diferente, com poderes e reflexos extremamente rápidos, sendo capaz de acertar Hank mesmo em sua forma encolhida. Aí ocorre a revelação de que, na verdade, Loki estava se passando por Nick para conseguir capturar o culpado pela morte do irmão. Após a batalha, Nick fala para Loki que ele já pode se retirar da Terra, mas Loki diz que pretende ficar mais uns dias e então vemos que ele começa seu plano de conquistar o planeta.

Para fechar o episódio, Nick está diante dos caixões de cada Vingador morto e diz a Phill Coulson que ainda encontrará os heróis que a humanidade precisa. Na cena seguinte ele encontra o escudo do Capitão América dentro de um local congelado, e a nossa querida Carol Danvers aparece atrás dele perguntando “Onde é a batalha?”.

What if...?
Hank Pym
Veredicto

Temos aqui mais um ótimo episódio, porém com um enredo mais lento. As cenas de luta são boas, há mais drama, pois acontecem as mortes dos principais personagens, então o humor é bem mais contido, mas ainda temos humor.

A animação, como sempre, é muito bonita, os personagens são bem feitos e as mudanças foram boas, destaque para Nick Fury que mantém seu jeito estrategista e inteligente, Natasha que se mostra mais espiã do que nos filmes, com um ar mais sombrio e para Hank Pym, que foi o vilão da história, com uma aparência mais revoltada quando está sem o capacete, fazendo com que o público sinta toda essa raiva que ele sente contra a S.H.I.E.L.D. e Nick Fury.

Agora vamos esperar pelo o que está por vir, pois mesmo que o Vigia declare em todo início de episódio, que tudo se trata de realidades diversas, não podemos ter certeza de nada, afinal… E se…?

Clique aqui para saber sobre o 2º episódio

O segundo episódio de What If…?, série animada da Marvel Studios, chegou ontem (19/08) ao Disney+ e conta a história do nosso querido T’Challa (Chadwick Boseman) de uma outra forma. Diferentemente do primeiro episódio, onde tivemos um roteiro mais acelerado para recapitular os eventos de Capitão América – O Primeiro Vingador, aqui temos um roteiro menos acelerado (não que seja lento) mas que acaba rápido de tão bom e divertido. Nesse episódio temos como base a história contada no primeiro filme dos Guardiões da Galáxia, mas a impressão é que estamos assistindo algo totalmente original, com grandes mudanças nos personagens.

What If...?

O início da jornada – CONTÉM SPOILERS

O episódio recria cenas do filme de James Gunn, como aquela em que Peter Quill (Chris Pratt) rouba o Orbe contendo a Joia do Poder em seu interior. T’Challa, neste episódio, ganha o título de Starlord e é considerado uma lenda em todo universo. Assim como na primeira cena do filme, Korath (Djimon Hounsou), a mando de Ronan, O Conquistador, chega para impedi-lo de roubar o Orbe, mas ao reconhecê-lo, mostra que é um grande fã de Starlord e diz que pode ser convencido a mudar de carreira, ou seja, deixar de trabalhar para Ronan e se juntar ao Senhor das Estrelas.

Já nos minutos seguintes temos a clássica cena de Yondu (Michael Rooker) onde ele usa sua flecha Yaka para acabar com diversos inimigos. Após isso, em um rápido flashback, vemos o pequeno T’Challa conversando com seu pai, o Rei T’Chaka, e vemos que ele foi abduzido por engano pelos saqueadores que estariam à procura de Peter Quill, e este foi o início de toda a mudança nesta história.

What If...?

Uma reunião um tanto quanto diferente

Após essa breve apresentação de T’Challa como o Senhor das Estrelas, estamos dentro de um bar onde a equipe de saqueadores está reunida e conversando sobre algumas missões. Então, somos apresentados a uma versão totalmente diferente do Titan louco mais temido do universo, Thanos (Josh Brolin), que deixou de ser aquele genocida e agora faz parte da equipe de saqueadores. Ele conta como T’Challa mudou seus pensamentos sobre como poderia realocar os recursos do universo.

Drax é o barman, seu planeta foi salvo por T’Challa e sua família está viva e também vemos Nebulosa, a filha de Thanos, em uma versão loira e bem elegante, que mostra que tem problemas com o pai e segue seu próprio caminho. Em uma conversa com Nebulosa, T’Challa diz que Wakanda foi destruída e tem algumas lembranças de seu pai e Nebulosa diz que isso se tornou a motivação dele para salvar os outros planetas do universo e que tem um trabalho para ele.

What If...?

A missão

Nebulosa apresenta a todos as Fagulhas de Gênesis, uma poeira cósmica rica em nutrientes de uma antiga Super Nova capaz de terraformar ecossistemas por completo, e que planeja roubar esse elemento, mas essas Fagulhas estão em posse do Colecionador (Benicio del Toro), que aqui é considerado o Chefão implacável do submundo intergaláctico e, assim como no filme dos Guardiões da Galáxia, tem seu grande museu instalado dentro da carcaça de uma cabeça de um ser celestial, lugar esse conhecido como LUGANENHUM.

A equipe não concorda com a missão, mas é convencida por T’Challa a realizar o saque. A segurança de Luganenhum é feita pela Ordem Negra, o mesmo grupo comandado por Thanos em Vingadores Guerra Infinita, e assim como no filme, a Ordem Negra é composta por Falce de Ébano, Estrela Negra, Corvus Glaive e Próxima Meia-Noite. Aqui na animação também não temos a apresentação da 5ª integrante da Ordem Negra, a Supergigante.

Ao chegar em Luganenhum, vemos pela primeira vez o visual do Colecionador, com a mesma elegância do filme, só que mais alto e muito mais forte. Temos também a participação do Howard, o Pato, que também encontra-se preso pelo Colecionador e fala para T’Challa o local exato onde estão as fagulhas que ele procura.

O que mais esse episódio de What if…? traz

A missão tem um plot twist que nos faz odiar a Nebulosa mas, minutos depois, voltamos a gostar dela e então, temos uma grande batalha entre T’Challa e o Colecionador. Em paralelo, há outra batalha por uma fuga dos saqueadores contra a Ordem Negra com um belo diálogo entre Yondu e T’Challa ao final.

Após a missão, T’Challa resolve voltar a Wakanda, pois ele descobriu que sua terra natal estava inteira após achar uma nave de Wakanda dentro do museu do Colecionador. Ele reencontra seu pai, o Rei T’Chaka e apresenta os saqueadores ao seu povo. E, para acabar, temos a presença de Ego (Kurt Russell) encontrando sue filho Peter Quill em uma lanchonete e uma homenagem a Chadwick Boseman fechando o episódio.

Esse foi um ótimo episódio de What if…?, com um bom ritmo e uma linda animação mostrando como tudo mudou, não só pelo fato de terem levado T’Challa no lugar do Peter Quill, mas sim como seu modo de agir e pensar sobre como melhorar tudo podem impactar o universo. Esse foi o último trabalho de Chadwick Boseman, interpretando o nosso querido Rei T’Challa na Marvel.

“DEDICADO AO NOSSO AMIGO, NOSSA INSPIRAÇÃO, NOSSO HERÓI CHADWICK BOSEMAN”

Clique aqui para saber sobre o 1º episódio

Chegou o primeiro episódio da tão esperada nova animação da Marvel Studios! A produção What If…? conta como seria a história se uma simples escolha diferente do original acontecesse, o que causaria um evento nexus e mudaria o rumo da história.

A série é inspirada nos quadrinhos criados em 1977 por Archie Goodwin e Stan Lee como editores-chefes e Roy Thomas como roteirista, e a ideia era bem simples: mostrar o que aconteceria se alguns eventos tivessem acontecidos de maneira diferente do que conhecemos.

What if
Capitã Carter

O primeiro ato começa com personagens como Peggy Carter, Howard Stark e militares da época que estariam presenciando o “nascimento” do Super Soldado (Capitão América) na sala de experimento onde Steve Rogers recebe o soro no filme original, mas algo diferente acontece e muda todo o curso da história.

What if…?

O Doutor Abraham Erskine pergunta para Peggy Carter se ela não gostaria de ir a um local mais seguro, mas ela se recusa a sair, então neste exato momento tudo muda em relação ao filme do Capitão América. Peggy é quem acaba recebendo o soro e se torna a Capitã Carter.

Dai em diante a história do episódio segue mais ou menos a mesma narrativa do filme. Temos o exército tentando acabar com os planos da Hydra, o Caveira Vermelha em posse do Tesseract colocando seus planos em prática para dominar o mundo, o resgate de Bucky Barnes e a 107ª tropa. Temos também a presença do Arnim Zola como o cientista da Hydra, mas ele pouco aparece na animação.

What if
Capitã Carter e a 107ª tropa – Esmagador Hydra

O que o episódio promete

O segundo ato mostra todo o potencial da Capitã Carter mostrando seus poderes, determinação, o carisma da personagem e muita ação, com cenas que fazem referências diretas ao filme original, como a parte do trem em que Bucky acaba caindo do penhasco mas, em What If...?, outro personagem importante acaba caindo após uma explosão do trem.

Temos a apresentação do Esmagador Hydra uma armadura projetada por Howard Stark, praticamente idêntica à MARK 1, construída por Tony Stark quando foi sequestrado pela Sociedade dos Dez Anéis, com grande poder de fogo, indestrutível e é pilotada por Steve Rogers.

Além disso, o Caveira Vermelha usando o Tesseract de uma forma diferente do que vimos no filme, mostrando tentáculos em uma parede, falando sobre um verdadeiro campeão da Hydra que será convocado além das estrelas, mostrando que ele sabe que o cubo é mais do que energia, mas sim um artefato capaz de abrir portais pelo universo.

Tem mais!

O terceiro ato é onde todo o clímax deveria acontecer, mas não foi algo tão grandioso. Vemos a Capitã Carter traçando os planos para entrar no castelo da Hydra, juntamente com Bucky e o Comando Selvagem, que protagonizam mais uma excelente cena de ação e invadem o castelo.

Bucky e o Comando Selvagem vão por um caminho e acabam encontrando Steve preso por correntes, enquanto Peggy e Howard vão diretamente ao encontro do Caveira Vermelha, mas chegam tarde e um monstro, que acreditamos ser o Shuma-Gorath, está saindo de um portal aberto através do Tesseract.

Temos o início de uma pequena cena de batalha entre Carter e a criatura, que logo recebe ajuda do Esmagador Hydra, mas a armadura não tem energia suficiente e para de funcionar, então, em um ato de coragem que faz referência ao sacrifício de Steve Rogers com o avião no filme original, Peggy usa de toda sua força e empurra a criatura para dentro do portal.

Nesse momento, Steve fala para ela não fazer isso e que ela lhe deve uma aula de dança, então Peggy responde: “-Sim, sábado a noite!”, fazendo mais uma referência à fala de Steve para Peggy antes de jogar o avião no mar. Após isso temos um salto temporal de 70 anos e já estamos dentro da base dos Vingadores com Nick Fury e Clint, naquela mesma cena em que Loki é apresentado no primeiro filme de Os Vingadores, mas outra pessoa sai de dentro do portal.

Cena do primeiro episódio de What if…?

Sobre os personagens de What if

  • A Capitã Carter é o centro do episódio e ela é sensacional, tudo que vemos nos trailers é ainda muito melhor na série. Ela tem muito carisma, é bem bad-ass e você sente aquele espírito de Capitão América nela. O relacionamento dela com o Steve Rogers é muito legal, vemos referências do filme em relação a algumas falas e a paixão entre eles;
  • Steve Rogers, mesmo sem o soro, mantém aquele otimismo e valentia de sempre, mas com um upgrade um pouco diferente;
  • Bucky Barnes aparece como no primeiro filme, ou seja, é o motivo da primeira missão de resgate e uma grande mudança acontece com o personagem;
  • Howard Stark também mantém a sua essência original, ele é o responsável por toda a parte de tecnologia, assim como no filme;
  • Caveira Vermelha novamente é o cabeça principal da Hydra, com planos diferentes para o planeta e com um conhecimento muito diferente sobre o Tesseract;
  • E temos o Vigia, que é um ser que apenas observa e registra os eventos que acontecem no universo, mas nunca interferindo em nada.

A animação é maravilhosa e a arte é muito bonita. As expressões dos personagens estão bem feitas e o enredo é bem acelerado, pois é praticamente um resumo de um filme em 25 minutos. Existem muitas referências e todas as alterações ficaram boas e interessantes. Lembrando que “What If…?” está inserida no MCU.

“Eu sou o Vigia. Eu sou seu guia através destas novas vastas realidades. Siga-me e pondere a questão: E SE…? (WHAT IF…?)”

 

What If...? | Marvel Studios | Trailer Oficial Legendado | Disney+

Nome Original: What If...?
Elenco: Vozes de Jeffrey Wright, Chadwick Boseman, Hayley Atwell, Josh Keaton
Gênero: Animação, Ação, Aventura
Produtora: Marvel Studios
Disponível: Disney+
Tags

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar