Greta, uma ode aos marginalizados

Pedro (Marco Nanini) é um enfermeiro de 71 anos, que admira Greta Garbo. Sua única amiga é Daniela (Denise Weinberg), uma artista transexual que está com graves problemas de saúde.

Quando ele tenta internar Daniela no hospital em que trabalha e não encontra nenhum leito, ele resolve levar Jean (Démick Lopes), um paciente ferido recém-chegado e acusado de matar outro homem, para a sua casa, deixando o leito para a amiga. É dessa maneira que Pedro e Jean se veem envolvidos em uma relação complexa e dependente.

Marco Nanini e Denise Weinberg em cena do filme Greta
Marco Nanini e Denise Weinberg em cena do filme

Greta é livremente inspirado na peça Greta Garbo, quem diria, Acabou no Irajá, de Fernando Mello.

Personagens marginalizados em Greta

A ideia principal do diretor Armando Praça era retratar personagens que são marginalizados e que normalmente tem pouca, ou nenhuma voz no cinema. Segundo Praça “o cinema é em sua maioria, um lugar de personagens jovens e belos”.

Greta, por sua vez, vai completamente na contramão. O protagonista do filme é Pedro, um enfermeiro de 71 anos, gay e solitário, que tende a se envolver romanticamente com seus pacientes. Pessoas e corpos envelhecidos são rechaçados em diversos aspectos da sociedade e no meio gay, essa rejeição é ainda maior, por isso Greta é um filme diferente e corajoso.

Greta retrata personagens marginalizados
O filme retrata personagens marginalizados

Praça não tem medo de mostrar todas as nuances de Pedro. Ele é um homem sozinho e carente, que só deseja encontrar o amor. Os outros personagens do filme seguem a mesma linha. Daniela, a melhor amiga de Pedro, é uma mulher transexual que faz shows de dublagem que nos remetem diretamente à ideia que fazemos de drag queens, provinda de filmes como Priscilla – A Rainha do Deserto e Kinky Boots – Fábrica de Sonhos. O que vemos em Greta está muito longe do glamour que associamos às drag queens. O filme mostra a vida difícil de Daniela, o preconceito e a decadência dos personagens.

Solidão

A solidão é outro assunto que ronda o longa, nada mais justo, uma vez que a frase “I want to be alone” (Eu quero ficar sozinha, em tradução livre) foi atribuída à Greta Garbo, a grande homenageada do filme.

Pedro e Jean
Pedro e Jean

Solidão é tudo o que Pedro tem, relegado a sua condição de homem gay idoso, ele esconde sua realidade no hospital onde trabalha e enfrenta olhares feios dos homens, normalmente mais novos que ele, com quem tenta se relacionar. Ele repete diversas vezes que tudo que ele quer é ficar sozinho, como Greta Garbo.

Mas não é isso que ele demonstra. O que Pedro quer, na realidade, é encontrar uma companhia, um grande amor e vive buscando isso. Com a piora do estado de Daniela, a sensação de que ele vai, finalmente, estar sozinho no mundo aumenta e é nesse momento que Pedro, passando por cima de tudo que é razoável, sequestra e abriga na sua casa um homem acusado de matar outro homem em uma briga de bar.

Pedro e Jean

A relação de Pedro e Jean não é idílica, muito pelo contrário. Ela começa com um sequestro e se desenvolve para uma relação de dependência das duas partes, mas com motivos diferentes.

Daniela
Daniela

Pedro se sente solitário e deseja uma companhia. Assim, quando ele abriga, alimenta e cuida de Jean, ele se sente no direito de exigir amor e atenção do homem também. Jean, um homem desesperado, fugindo da polícia, não tem nenhum outro lugar para ir e nem dinheiro para sobreviver, por isso, acaba ficando na casa de Pedro e aceitando a relação que o homem lhe propõe.

Pedro é emocionalmente dependente de Jean, enquanto Jean depende de Pedro, por questões mais práticas, seja o teto e a comida que Pedro lhe oferece, seja os cuidados com os ferimentos que só um enfermeiro poderia dar.

Aspectos técnicos de Greta

Greta é um filme que trata de pessoas marginalizadas e sua estética segue essa ordem. Acompanhamos Pedro, que vive em uma casa simples, em um bairro pobre, e que está completamente na marginalidade.

A relação de Pedro e Jean é pautada na dependencia
A relação de Pedro e Jean é pautada na dependência

A fotografia do filme é escura, o que aumenta essa sensação. Tudo parece sujo e decadente, como a vida de Pedro. Muitas das escolhas estéticas do filme são pautadas no gênero do melodrama, gênero no qual boa parte da cinematografia de Greta Garbo se encaixa, por isso o autor usa elementos clássicos do gênero, como câmera parada, enquadramentos em primeiro plano e muitas cenas em espelhos e vidros.

Uma vez que a ideia do diretor é mostrar personagens que normalmente não são mostrados no cinema, Greta coloca corpos idosos e que não estão dentro do padrão em voga, nus e em cenas de sexo quase explícitas. Mas é importante ressaltar que essas cenas não são fetichizadas e sim, realistas, o que é muito importante.

Leia aqui sobre o filme Hebe – A Estrela do Brasil

Para Marco Nanini, que interpreta Pedro, o filme foi uma maneira de estar no papel de protagonista novamente, uma vez que os papeis para atores mais velhos vão se tornando cada vez menores conforme a pessoa vai envelhecendo. Ele também sentiu que o público que o acompanha desde jovem, tinha direito de ver seu envelhecimento físico na tela.

Greta retrata pessoas que normalmente não são retratadas
Greta retrata pessoas que normalmente não são retratadas

Nanini apresenta uma atuação magnifica que impulsiona o filme e que nos coloca ao lado de Pedro, sentindo a solidão e a tristeza como ele sente.

Greta de fato é um filme único, porque apresenta uma visão completamente diferente do tema, mas falha na sua duração, uma vez que é um filme mais lento e que portanto, ao longo do tempo, vai se tornando cansativo.

Démick Lopes como Jean
Démick Lopes como Jean

Repleto de melancolia e retratando pessoas que nunca tem sua história contada, Greta é um filme sobre solidão e a desesperada necessidade de curá-la.

O filme entra em cartaz no dia 10 de outubro.

Greta

Nome Original: Greta
Direção: Armando Praça
Elenco: Marco Nanini, Démick Lopes, Denise Weinberg, Gretta Sttar,
Gênero: Drama
Produtora: Carnaval Filmes, Segredo Filmes
Distribuidora: Pandora Filmes
Ano de Lançamento: 2019
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar