La Cama, o dia a dia de um casal que se afasta

La Cama retrata um casal (Alejo Mango e Sandra Sandrini) que se prepara para deixar a casa onde viveram a vida toda. Enquanto isso, acompanhamos o dia a dia dos dois.

Distância

O que La Cama na verdade retrata é a distância entre Mabel e Jorge, o casal de protagonistas. Os dois parecem não se entender mais e isso aparece no filme.

A câmera, inclusive, nunca se aproxima do casal, o que deixa não só Mabel e Jorge longe um do outro, mas também os espectadores longe do casal. O que acompanhamos é basicamente uma casa que se torna cada vez mais vazia, enquanto os dois tentam se encontrar.

O filme La Cama se foca em Jorge e Mabel
O filme se foca em Jorge e Mabel

O filme dá a entender que existe uma tensão entre seus protagonistas. Em alguns momentos, parece que isso será esclarecido, mas na verdade, isso nunca acontece, o que prejudica o filme, já que o público nunca chega a nenhuma conclusão do propósito por trás das ações de Mabel e Jorge.

Casa vazia

Outro ponto que vem à tona no filme é a casa quase vazia em que o casal vive. Em determinado momento do filme a gente entende que eles têm filhos que já não moram mais com eles e que, por isso, a casa se tornou grande demais.

A sensação de casa vazia permeia o filme inteiro, já que vemos ambientes com cada vez menos objetos e móveis, conforme o casal vai empacotando suas coisas. Assim, ao longo do filme, essa sensação vai se tornando cada vez mais opressora.

Sandra Sandrini em cena do filme
Sandra Sandrini em cena do filme

No entanto, não fica claro, em momento nenhum, exatamente qual é o motivo de Mabel e Jorge estarem saindo da casa, o que mais uma vez, prejudica o filme.

Aspectos técnicos de La Cama

La Cama é filmado quase como um documentário. O filme todo se passa dentro da casa do casal, em vários cômodos diferentes. A câmera nunca se aproxima dos dois e sempre os vemos de longe, dando a sensação de que não os conhecemos, embora a gente passe bastante tempo acompanhando os dois.

O que a diretora mostra em La Cama são apenas alguns dias na vida do casal, mas sem muitas reviravoltas e sem nenhuma trama mirabolante. O filme insinua um conflito entre os dois, mas isso não fica claro em nenhum momento.

Jorge e Mabel em La Cama
Jorge e Mabel

O fato do longa não ter muitos cortes, usar muitos planos abertos e não ter nenhum ponto de virada, o torna  bem monótono. Então, depois de um tempo, se torna chato acompanhar Jorge e Mabel.

Leia aqui sobre o filme Sobibor, baseado em fatos reais

É importante ressaltar que este é um filme com muitas cenas de sexo, quase explícitas, e também cenas de nudez. O sexo no filme é retratado de maneira bem natural e realista. Um ponto positivo é que ele retrata pessoas reais, que nós poderíamos encontrar na vida.

O filme tem muitas cenas de nudez e sexo
O filme tem muitas cenas de nudez e sexo

Nesse aspecto, tudo no filme se parece muito com a realidade, o que é certamente um ponto positivo. La Cama é um filme intimista sobre o amor, mas do ponto de vista do doloroso processo de dissolução. Por detrás do drama sentimental, lidamos também com outras subjetividades: o medo de envelhecer, o medo da solidão, o declínio do corpo, a nudez. A narrativa é guiada por esses corpos já velhos e enrugados – a proximidade, distância e vibração que ainda existe entre eles.

La Cama entra em cartaz no dia 25 de abril.

La Cama

Nome Original: La Cama
Direção: Mónica Lairana
Elenco: Alejo Mango, Sandra Sandrini
Gênero: Drama
Produtora: Rio Abajo, Gema Films, Topkapi Films, Sutor Kolonko, 3 Moinhos Produções Artísticas
Distribuidora: Livres Filmes
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar