Nóis Por Nóis, dia a dia na periferia de Curitiba

Em Nóis Por Nóis, Café (Matheus Correa) está organizado uma festa na comunidade em que vive. Ele quer que tudo dê certo, mas tem uma série de problemas com que se preocupar.

Nando, o traficante do local, que Café pediu para não comparecer à festa, está determinado a vender seus produtos; Gui (Maicon Douglas), amigo de Café, está enfrentando um problema sério e complicado que envolve sua namorada; a polícia está sempre rondando; e Mari (Ma Ry), namorada de Café, que vai participar de uma competição de Rap na festa, está fugindo do ex-namorado.

Tudo parece piorar quando Café simplesmente desaparece depois da festa, e resta aos seus amigos descobrirem o que aconteceu com ele.

Japa
Japa

Nóis Por Nóis e a violência

Toda a trama parece pautada na violência, embora isso seja transmitido ao espectador de maneira leve. Café, morador da periferia, que trabalha para realizar uma festa e cuida do irmão mais novo, também para quando vê alguma ação policial violenta acontecendo e filma. É óbvio que esse tipo de abordagem sempre acaba colocando o jovem em problemas.

Ao mesmo tempo que Mari, namorada de Café, evita sair com o atual namorado com medo das ameaças de seu ex-namorado, que ainda não superou o fim do relacionamento. Os outros personagens do filme são, quase que diariamente, submetidos a menores e maiores tipos de violência.

Nóis Por Nóis, no entanto, começa colocando uma neblina sobre isso. Percebemos que Café vive uma vida difícil, sem privilégios, mas ele parece feliz, empolgado com a festa e animado com seu namoro. Mesmo quando ele aborda os policiais, ele o faz de maneira divertida. Mari também repete esse comportamento. Ela parece ter uma condição de vida melhor, mas divide a casa com a mãe e um avô doente, que precisa de ajuda até para tomar banho, ao mesmo tempo em que ignora as ameaças do ex, dizendo que logo ele vai superá-la. Mesmo quando Café desaparece, ainda estamos acompanhando a festa, que parece estar divertida, mesmo com todos os problemas que podem surgir dela.

Nóis por nóis retrata uma realidade brasileira
O filme retrata uma realidade brasileira

O sumiço

Café surge como o protagonista do filme e acompanhamos boa parte das ações pelo seu ponto de vista, isso até o momento em que ele sai da festa mais cedo do que os amigos e desaparece. O público sabe tanto quanto os amigos, quando eles começam a investigar o sumiço de Café.

Justamente porque Café parece ter se envolvido em uma série de problemas, de maior ou menor periculosidade, que envolvem Nando, a polícia e o ex-namorado de Mari, o filme coloca a plateia em um esquema de filme policial, onde diversos suspeitos circundam um acontecimento misterioso. Mari, Gui e Japa (Matheus Moura) começam a procurar Café e investigar o que pode ter acontecido com ele. Não que seja um filme extremamente misterioso, com diversas reviravoltas, mas ele deixa um tom de suspense.

Diversos problemas se encontram na festa de Café
Diversos problemas se encontram na festa de Café

Se tratando de uma realidade extremamente brasileira e mais especificamente, de uma realidade da periferia das grandes cidades, assim que se entende qual é a crítica por trás da trama que os diretores Aly Muritiba e Jandir Santin propõem, é bem fácil prever o que aconteceu com Café. Não que isso seja um problema, afinal, o filme não se coloca como um suspense em nenhum momento e ele passa a mensagem que deseja.

Aspectos técnicos de Nóis Por Nóis

O filme é relativamente simples, em todos os seus aspectos. O longa é ambientado na Vila Sabará, em Curitiba, e certamente apresenta aspectos muito regionais, mas também, questões que podem conversar com qualquer cidade. O discurso dos diretores é claro, mas isso não é exatamente negativo, uma vez que discute temas que precisam ser discutidos e que fazem parte da realidade brasileira.

Nóis Por Nóis está pautado na violência
Nóis Por Nóis está pautado na violência

O roteiro não é mirabolante e embora flerte com outros gêneros, como o suspense e o policial, o filme se mantém um drama porque não retrata um crime imaginário e fantasioso, que só poderia acontecer em uma história de suspense.

O elenco é composto de não atores, o que dá uma fluidez à trama. Tudo parece muito natural, como se aqueles jovens fizessem parte daquela realidade e soubessem o que estão retratando e suas implicações. Eles também entregam boas atuações, parecendo atores profissionais e que, mais importante ainda, não prejudicam em nada o contexto geral do longa.

Japa, Gui, Café e Mari
Japa, Gui, Café e Mari

Nóis Por Nóis é um filme que nos coloca de frente com a realidade brasileira e usa de um grupo de amigos de Curitiba para falar sobre questões que assolam todo o Brasil. O filme entra em cartaz no dia 12 de março.

Nóis Por Nóis

Nome Original: Nóis Por Nóis
Direção: Aly Muritiba, Jandir Santin
Elenco: Ma Ry, Maicon Douglas, Otávio Linhares, Matheus Moura, Matheus Correa
Gênero: Drama
Produtora: Gafro Audiovisual
Distribuidora: Olhar Distribuição
Ano de Lançamento: 2019
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar