O Exterminador do Futuro: Gênesis

Reinvenção da franquia consegue arrumar a linha do tempo, mas não se salva dos próprios problemas

Ao querer rebootar a saga (que por si só já é desnecessária), após um longo processo de falência da produtora original e compra de distribuição pela Paramount, tendo cotado grandes nomes para conduzir o longa (entre eles, Rian Johnson, Denis Villeneuve e Ang Lee), foi colocado Alan Taylor para a direção de O Exterminador do Futuro: Gênesis.

Sendo mais operante do que autoral, o diretor de episódios de “Game of Thrones” e do pouco inspirado “Thor: Mundo Sombrio”, traz junto sua querida Daenerys, que tenta quase constrangidamente reinventar Sarah Connor (aqui já categorizada como no segundo filme), o sempre desajustado e genérico Jai Courtney como Kyle Reese, com o ótimo Jason Clarke iniciando uma curiosa versão de John Connor – que foi justamente arruinada pelo marketing do longa.

Arnold Schwarzenegger é o único rosto conhecido da história. Ele meio que faz uma paródia de seu passado, mas também é responsável pelos melhores momentos da rodagem; sejam eles de humor besta, ou de ação. Afinal, os efeitos especiais aqui estão muito bem executados.

O Exterminador do Futuro: Gênesis

O Exterminador do Futuro: Gênesis

Os roteiristas Laeta Kalogridis e Patrick Lussier são, de fato, apaixonados pela franquia. Eles brincam com a linha do tempo de maneira clara e nada confusa (como é bem comum em obras sobre viagens temporais). Fornecem tanto easter-eggs para fãs das antigas, quanto material didático para o espectador que pretenda começar a ver a cinessérie a partir do Gênesis (não à toa um título pretensioso em suas intenções de reiniciação).

Por outro lado, a trama é bastante derivativa e repleta de clichês, não só de outras produções do gênero, como também dentro da própria saga. Ela nunca consegue ganhar exatamente uma cara própria ou oferecer algo no mínimo de novo para seu público. Além disso, o tempo todo remete a um filme dos anos 1990, não intencionalmente, mas soando datada do começo ao fim.

Nós sabemos como essa história acaba: com mais um novo filme sendo lançado dois anos depois, ignorando este e mais alguns, mas deixemos isso para outra resenha. Nesta, vale encerrar o argumento dizendo que não importe o quanto mexam na linha do tempo, indo para frente ou para trás, a franquia na verdade nunca consegue sair do lugar.

O Exterminador do Futuro: Gênesis

Nome Original: Terminator Genisys
Direção: Alan Taylor
Elenco: Arnold Schwarzenegger, Jason Clarke, Emilia Clarke
Gênero: Ação, Aventura, Sci-Fi
Produtora: Paramount Pictures
Distribuidora: Paramount Pictures
Ano de Lançamento: 2015
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar