Supernatural – 15ª temporada – O desfecho

Uma das séries mais longevas da atualidade tem um fim que não emociona, mas ao menos entrega resoluções honestas

Depois de 15 anos e uma base gigantesca de fãs, a saga dos irmãos Winchester chega ao fim cumprindo algumas promessas, mesmo que muitas delas sejam previsíveis (por andamentos anteriores do enredo, seja por roteiros pouco inspirados mesmo), com os personagens enfrentando o chefe final na figura de Chuck, ou Deus, e as escolhas saem do campo metafísico/ cristão/ religioso para caminhar nas divertidas brincadeiras envolvendo o escritor e suas crias, do quanto um criador pode perder o controle da história e do mundo que criou por conta de seus protagonistas assumirem o leme.

Quantas vezes você já não ouviu ou leu algum autor dizendo que ele só escreve a trama que precisa ser contada, mas que ela ganhou vida própria e está rumando para outras direções inesperadas? Eu mesmo digo isso com frequência a respeito de meus personagens e livros.

Supernatural - 15ª temporada

Supernatural – 15ª temporada

Mas então, durante os 20 episódios, vemos muitas referências a todas as temporadas anteriores, resgates de figuras clássicas (não todas, afinal muitos já haviam reaparecido recentemente), tipos de monstros, “desafios da semana” e tudo isso, enquanto o enredo principal se desenvolve, com Dean, Sam, Jack e Castiel movendo as peças do tabuleiro a fim de impedir a tragédia final: o fim do mundo, algo que até então os caçadores bairristas jamais haviam enfrentado, já que estavam sempre no “terreno seguro” de salvar um amigo ou alguém na cidade vizinha.

E até mesmo produções famosas serviram de inspiração quase óbvia por aqui, como a ligação do vilão com o mocinho por conta de uma “marca” (ou: Harry e Voldemort), e de quando o vilão começa a estalar o dedo e evaporar toda a existência de uma vez (ou: Thanos).

Alguns personagens já haviam sinalizado seus possíveis desfechos nas temporadas mais recentes, portanto quando chegam seus finais, eles até oferecem atuações de impacto, mas não chegam a chocar, como a série já chocou um dia. Afinal, muitos desses personagens já morreram e voltaram à vida uma centena de vez.

Alguma novidade?

A sacada aqui é que dessa vez é uma viagem só de ida mesmo, seja para vilões, coadjuvantes, ajudantes, participações especiais e protagonistas. E seria muito confortável os produtores encerrarem a obra no penúltimo episódio, de maneira mais aberta (e até um pouco cafona), mas eles optam pela ousadia do epílogo, talvez o episódio mais fraco da temporada, que ao menos entrega dois desfechos dignos, ainda que não cheguem perto de emocionar.

Por outro lado, são cíclicos, simbólicos e honestíssimos. De um lado, o guerreiro que só sabia caçar e morreu durante uma caçada qualquer. Do outro, o rapaz que sempre quis ter uma vida comum e finalmente teve a oportunidade de tê-la.

Supernatural - 15ª temporada

Por que tão longa?

A essa altura, é claro, ficar martelando que “Sobrenatural só foi excelente até a quinta temporada” é irrelevante. Todos sabemos que o criador Eric Kripke compôs essa produção pensando em 5 temporadas, de longe as narrativas mais potentes e significativas desse longevo seriado. Mas é um absurdo acreditar que todas outras que vieram depois não tenham valido nada, pois valeram, com a inclusão de novos e interessantíssimos personagens (Crowley, Rowena, o próprio Chuck etc), de cenários que sempre queríamos ver (a exploração do Céu, do Purgatório e até de outros mundos) e até de novas possibilidades criativas (o “Scoobynatural” é só um, de uma dezena de episódios divertidíssimos e a altura dos primeiros).

Assim, quando cresceu e se expandiu, Supernatural deixou de ser mais uma série planejada e assumiu aquilo que nasceu para ser: uma obra para os fãs (os “hunters”) e esse último ano é, acima de tudo, um aceno e uma piscadela para eles. Escrito pelos criadores para seus fiéis a fim de agradá-los o máximo possível, mesmo que aqui e ali. Com um desfecho sim um tanto esgotado de ideias e saídas, mas honesto e apaixonado. Valeu a jornada até aqui.

Supernatural - Trailer Oficial da 15ª Temporada LEGENDADO

Supernatural - 15ª temporada

Nome Original: Supernatural
Elenco: Jared Padalecki, Jensen Ackles, Jim Beaver
Gênero: Drama, Fantasia, Horror
Produtora: Warner Bros. Television
Disponível: Netflix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar