Warrior Nun – 1ª temporada, nada óbvia

Série prioriza desenvolvimento de personagens e supera as expectativas

Não se deixe enganar, essa nova produção da Netflix não é mais um genérico envolvendo adolescentes com o sobrenatural como outras adições recentes do catálogo. Adaptando “Warrior Nun Areala”, quadrinho noventista de Ben Dunn (que, como material de seu período, era ultrassexualizado), a série em 10 episódios de 40 minutos cada ressuscita uma tetraplégica que se vê envolvida com uma seita de freiras guerreiras matadoras de demônios. Só por essa premissa, não daria para esperar muito de Warrior Nun e nem o trailer vende bem a ideia. Portanto, a experiência de maratonar essa aventura não só se prova divertida, como valorosa.

O produtor Simon Barry e seu time inspirado de diretores e roteiristas (com muitas mulheres envolvidas nos bastidores, aliás) consegue subverter as baixas expectativas de uma obra que tinha tudo para ser genérica. Entrega assim um enredo encorpado, representativo e sem qualquer panfletagem barata. Além disso, situa a história – de cunho universal – na Espanha. É bom ver outros ares que não os norte-americanos ou londrinos.

Warrior Nun

Warrior Nun

A produção traz boas doses de mistérios históricos, terror sobrenatural, gore, drama e bom humor. Não fica devendo em nada. Consegue emocionar na mesma medida que tira gargalhadas ou engaja com sequências muito bem executadas de ação e grandes coreografias de lutas. Para tanto, faz uso de símbolos e narrativas no qual o público jovem-adulto já está acostumado em outras produções.

Warrior Nun deixa isso como pano de fundo e investe no desenvolvimento de seus personagens, mesmo os secundários. Isso faz com que o espectador se importe com cada um deles e se envolva emocionalmente em algum nível, contribuindo para tornar a sessão mais interessante.

Com um alto valor de produção, com direção de arte e fotografia arrojadas, bons efeitos especiais e uma trilha sonora pouco convencional, além de vasta exploração de cenários (tanto internos, como a igreja, o laboratório, o Vaticano, quanto externos), a série tem parte de seu trunfo depositado no entrosamento de seu elenco, com muitos rostos desconhecidos, mas promissores.

Warrior Nun

O elenco

A começar pela protagonista Alba Baptista, uma lindíssima e carismática versão portuguesa da Ellen Page. Ela faz Eva, uma garota que ganha uma segunda chance, mas que também guarda muitos defeitos, como egoísmo e o fato de estar sempre fugindo dos problemas que caem em seu colo, por mais que sempre sinta uma necessidade de ajudar. Tendo misturas de dramas do passado como órfã paraplégica e um forte senso de humor (que a assemelha muito ao Homem-Aranha dos quadrinhos), será difícil não se encantar pela jovem.

Ao invés do batido treinamento, ela vai aprendendo a lidar com as novas habilidades na raça. Ou seja, mais como sobrevivente do que como aluna e cresce muito moralmente também. Toya Turner também impressiona com uma atuação repleta de personalidade, na sua versão da irmã Mary, que quebra todos os estereótipos esperados por uma freira e é o coração da história.

E tem mais!

Kristina Tonteri-Young, Lorena Andrea, Thekla Reuten, Sylvia De Fanti e Tristán Ulloa são outros que merecem atenção, construindo personagens singulares. O grande Joaquim de Almeida, único nome famoso do casting, já realiza um papel mais clichê e, justamente por isso, é responsável por várias reviravoltas, que vão surpreender até mesmo o espectador mais atento. O desfecho fica em aberto para uma inevitável segunda temporada, mas não sem antes entregar um clímax poderoso.

Nada nem sempre é o que parece em Warrior Nun, uma série repleta de personalidade, estilo e bom gosto, que pode agradar jovens e adultos em espectros diferentes, com sua carga repleta de referências pops modernas, mas também a clássicos de quadrinhos do passado. Não se deixe levar pela sinopse, invista nas freiras guerreiras, tenha fé.

Warrior Nun

Nome Original: Warrior Nun
Elenco: Alba Baptista, Toya Turner, Kristina Tonteri-Young
Gênero: Ação, Drama, Fantasia
Produtora: Fresco Film Services, Reality Distortion Field
Disponível: Netflix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar