K-POP: será a nova chave do sucesso?

Tudo o que você precisa e não precisa saber também...

K-popAdmita, assim como eu, tu também achou bizarrão ver uma certa agitação do público teen brasileiro para o show de uma tal banda coreana chamada BTS, afinal de contas, que diabos está acontecendo no mundo? A garotada tá curtindo os Backstreet Boys made in Korea? Primeiro que sim, eu sou um velho rabugento e segundo que na verdade existe uma new wave no cenário musical mundial e ela se chama K-POP.

Assim como a onda dos Clubbers, Boybands e Emos, o K-POP é o mais novo assunto do público juvenil pelo mundo, mas vamos devagar com a exploração desse planeta. K-POP é um gênero musical originado na Coreia do Sul, caracterizado por uma grande variedade de elementos. Abrange estilos e gêneros incorporados do ocidente como pop, rock, jazz, hip hop, R&B, reggae, folk, country, incluindo o estilo tradicional da música coreana.

Em outras palavras, é uma salada mista de música sintetizada, danças coreografadas e roupinhas coloridas.

Os principais grupos de K-POP são:

1. BTS (Bangtan Sonyeondan)
2. EXO (Exoplanet)
3. BLACKPINK
4. SEVENTEEN (SVT)
5. TWICE
6. Red Velvet
7. Wanna One
8. SHINee
9. iKON
10. Mamamoo

K-pop

Se você é uma tiazinha ou tiozinho com mais de 30, assim como eu, deve estar ouvindo seu inconsciente dizer: “Aonde é que você estava esse tempo todo que não soube dessa coisa de
K-POP? ”. Segura a onda aí terráqueo, que esse disco já está riscado.

Lembra daquele gordinho de óculos escuros e roupa de garçom cavalgando com uma música repetitiva que bugou o YouTube e bombou geral em 2012, o Psy? Isso, você até cantou aí que tô ligado “Eeee Sexy Lady, Oppa Gangnam Style…”

Pois então, esse cidadão é um exímio cantor do gênero K-POP. Com o advento das maravilhas tecnológicas nessa cadeia virtual chamada internet, esse gênero ganhou destaque nas mídias sociais. A Coreia passou a investir pesadamente na indústria cultural no final da década de 1990 e agora colhe os frutos. O K-POP rende quase US$ 5 bilhões anuais, de acordo com a Bloomberg (ou cerca de R$ 19 bilhões).

Para facilitar o processo de exportação, as músicas têm trechos em inglês, japonês ou espanhol. Assim como uma pegada meio ‘juntos e shallow now’ ou como aquela música do U2, Vertigo: “uno, dos, tres, catorce”.

Mas na minha época…

Aquelas roupinhas coloridas não estão ali à toa, existe uma grande influência na moda da Ásia e alguns artistas são referenciados como ícones de moda como G-Dragon e CL. Atualmente, existe uma preocupação sobre as tendências de beleza, como o clareamento da pele, por exemplo. Toda essa vaidade explica porque tenho dificuldade em identificar a identidade sexual dos integrantes de banda K-POP. É meio complexo.

O mundo é diferente da ponte pra cá

O governo sul-coreano reconheceu benefícios para o setor de exportação do país como resultado da Onda Coreana. Estima-se que em 2011, o aumento de US$100 dólares na exportação de produtos culturais tenha sido resultado do aumento de US$412 nas exportações de outros bens de consumo como alimentos, roupas, cosméticos e produtos de TI). Assim, por conseguinte, tenha subsidiado alguns projetos.

As iniciativas governamentais para expandir a popularidade do K-POP são realizadas principalmente pelo Ministério da Cultura, Esportes e Turismo, que é o responsável por criar os centros mundiais de cultura coreana. As embaixadas sul-coreanas e os consulados também organizaram concertos de K-pop fora do país, e o Ministério de Relações Exteriores convida regularmente fãs de K-Pop estrangeiros a participarem do K-Pop World Festival no país.

K-POP, prostituição e abusos sexuais
Tudo muito bonito e colorido até aqui, só que tenho uma má notícia para Alice!

Os astros e celebridades do universo K-POP não deixam de ser humanos e cometem crimes fora das lentes, ou melhor, nem tão fora assim. Um dos ícones, o senhor Seungri, ex-líder da banda Big Bang quis brincar de diretor de filme pornô, onde ele mesmo era um dos atores e o câmera man. O caso não é tão antigo assim e ele não é o único com esses multitalentos.

Tudo ocorria bem em Gothan até quando um abaixo-assinado pedia ao juiz que lhe negasse o benefício da liberdade provisória. Uma polêmica investigação que sacudiu a indústria musical sul-coreana, levou empresários, policiais e astros da música ao banco dos réus por seu envolvimento em uma rede de prostituição e abusos sexuais.

A denúncia de um homem que afirmava ter sido agredido na Burning Sun, uma discoteca de Gangnam da qual o cantor era sócio, deu início a uma investigação policial que pareceu terminar com o fechamento do local por narcotráfico. O portal de entretenimento SBS fun publicou uma conversa entre Seungri e seu sócio mostrando que eles administravam a contratação de prostitutas como parte de um suposto suborno a um investidor estrangeiro.

O caso dos supostos abusos sexuais chocou a sociedade sul-coreana. Tanto por revelar o comportamento predador de seus ídolos como as redes de interesses que lhes permitiam agir impunemente. O cantor pode ser condenado por acusações que incluem incentivo à prostituição (que é ilegal na Coreia do Sul), gravação ilícita, evasão de impostos e malversação de recursos.

Nada é tão ruim que não possa ficar pior

A imprensa sul-coreana também vinculou o cantor ao crime de “suborno sexual”, ou seja, Seungri forneceria prostitutas a investidores de sua empresa, a Yuri Holdings, que gerencia seus negócios de entretenimento e restaurantes. Seungri é acusado de ter tentado angariar as prostitutas para seus clientes por meio de um grupo no aplicativo KakaoTalk.

O cantor também é suspeito de ter feito parte do mesmo grupo de bate-papo no qual o cantor Jung Joon-young compartilhou vídeos de suas relações sexuais sem a permissão de suas parceiras. O cantor acusado de ter gravado pelo menos uma dúzia de mulheres sem permissão emitiu um comunicado admitindo todos os seus crimes: “Gravei mulheres sem o consentimento delas e compartilhei os vídeos em um grupo de bate-papo e, ao fazê-lo, não me senti culpado”.

Finish Him

Não posso terminar a matéria sem fazer meu jabá, então para ficar gravado na memória, acesse nossa Rádio VN: https://radio.vitaminanerd.com.br

Toca bandas de K-POP na Rádio? Ainda não, mas se você curte o gênero e deseja ouvir em nossa programação, faça seu pedido e iremos atendê-lo com todo prazer.

Saudações mutantes, seus terráqueos!!

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar