Mormaço, denúncia social com ficção sobrenatural

Com viés crítico, Mormaço é um longa que conta a história de Ana (Mariana Provenzzano), uma defensora pública. Ela divide seu tempo entre auxiliar moradores da Vila do Autódromo, bairro carioca, onde pessoas estão sendo ameaçadas e forçadas a deixarem suas propriedades por conta da construção da Vila Olímpica, e a venda e transformação do prédio onde vive em um novo hotel na zona central do Rio. Além disso, vive um romance inusitado e uma doença misteriosa.

A trama se refere a mudança da cidade do Rio de Janeiro, por conta dos Jogos Olímpicos de 2016. Ana luta contra tais mudanças, e se mostra uma mulher firme e sem medo de embates. Principalmente por se impor e falar de igual para igual com figuras políticas de alto escalão. Entretanto, ela também se mostra solitária, num apartamento cheio de plantas.

Mariana Provenzzano é Ana em Mormaço
Mariana Provenzzano é Ana

Ana acaba por se envolver com Pedro (Pedro Gracindo), que é responsável pela desapropriação do prédio onde ela reside. Eles são vizinhos de porta, porque Pedro está comodado no apartamento vazio em frente ao dela. Numa cena um pouco forçada, Pedro adentra o apartamento de Ana após lhe chamar para tomar cerveja com sorvete. A investida culmina na primeira cena de sexo do longa.

Doença de pele e mormaço

Nesse meio tempo, ela descobre uma grosseira em seu ombro, que com o tempo também aparece nas costas e pulsos. A alergia é diagnosticada como “estresse”, por um dermatologista, que tem uma posição bastante peculiar e descabida ao dizer que nunca havia visto tal doença, porém era muito interessante e de cores lindas.

Histórias se cruzam sem muito sentido, cenas das quais não é possível entender se é um sonho, imaginação ou realidade tomam conta do filme, e o transformam em um suspense com pontos de terror fantasioso.

O que esperar?

Apesar de sua temática ser uma crítica política, com embasamento muito atual, delicado, e de grande valia, o filme não conta com um grande roteiro, e nem com uma boa sonoplastia. Falas sem muito sentido, e com cara de mal ensaiadas fazem parte da trama. Além disso, conta apenas com efeitos sonoros de suspense, uma música dos Ramones, e uma outra que mistura Rock com Candomblé.

Há problemas também em relação a fotografia, onde cenas escuras ou à noite são difíceis de serem entendidas e vistas, além de cortes de cenas continuadas, como uma em que a protagonista aparece primeiro com os cabelos bagunçados, e após o corte, aparece penteada. Mormaço tem uma boa temática, mas acabou sendo um filme cansativo, parado e sem nexo.

O longa é mais um trabalho de Marina Meliande e Felipe Bragança escrito a quatro mãos. A dupla já trabalhou junta em outros projetos e assina a direção de longas como A fuga da Mulher Gorila, que estreou no Festival de Locarno 2009, e A Alegria, que esteve na Quinzena dos Realizadores, no Festival de Cannes 2010. Além de Marina Provenzzano, o elenco conta com o estreante Pedro Gracindo, neto de Paulo Gracindo e filho de Gracindo Jr., Diego de Abreu, Analu Prestes, Igor Angelkorte e Sandra Souza. Estreia dia 09 de maio.

Mormaço

Nome Original: Mormaço
Direção: Marina Meliande
Elenco: Marina Provenzzano, Pedro Gracindo, Diego de Abreu, Analu Prestes, Igor Angelkorte, Sandra Souza, Jéssica Barbosa
Gênero: Drama
Produtora: Duas Mariola
Distribuidora: Vitrine Filmes
Ano de Lançamento: 2018
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar